Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 19 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Previsão para esta terça-feira é de tempo instável e chuva

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Luís Felipe Soares
Daniel Macário

11/03/2019 | 13:00


Atualizada às 19h36

Para a terça-feira (12), a previsão é que o tempo permaneça instável devido a um sistema de baixa pressão que atua sobre o Grande ABC. No período da manhã o Sol aparece entre nuvens, mas a partir da tarde há chances de pancadas de chuva de moderadas a fortes, com possíveis ocorrências de alagamento e deslizamento de terra. As temperaturas sobem um pouco, com mínima de 17º e máxima de 29°. 

A tempestade que assustou a população na noite de domingo (10) e na madrugada de segunda-feira (11) ainda deixa as pessoas tensas. Parte da preocupação agora fica por conta se novas pancadas de chuva irão aparecer em breve no Grande ABC. De acordo a Defesa Civil do Estado de São Paulo, a expectativa é que até o fim da tarde chuva moderada passe pelas setes cidades, com alto risco para alagamentos e enchentes.

“Embora a chuva seja em menor intensidade, se comparado a de ontem, ainda temos muitos pontos de alagamentos onde o nível da água não abaixa, o que coloca essas áreas e cidades em alto risco para ocorrências de alagamentos e desmoronamento”, afirma capitã Aline Betânia, porta-voz da Defesa Civil e chefe da Divisão Preparatória do órgão.

Todos os pontos afetados pela tempestade, segundo o governo estadual, estão sendo monitorados pelo Centro de Gerenciamento de Emergências. Além das equipes da Defesa Civil, técnicos do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) e do Instituto Geológico estão realizando vistoria em áreas de risco da região. “Nosso objetivo é diminuir o mais rápido possível os transtornos causados aos moradores de modo a prevenir novas ocorrências com a chuva de hoje”, relata a capitã.

Segundo o meteorologista responsável pelo setor meteorológico do CGE (Centro de Gerenciamento Emergências) do Grande ABC, Caio Pereira Souza, a forte chuva registrada nas últimas horas foi provocada por dois fatores. “Áreas de instabilidade associadas a uma configuração atmosférica de altitude chamada de Cavado, foi responsável por deixar as condições de tempo favoráveis a nuvens de chuvas moderada e forte”.

O meteorologista explica que Cavado é um tipo de onda atmosférica que favorece a formação de nuvens em determinados setores. O fenômeno está relacionado à dinâmica atmosférica. Diversos fatores, como vorticidade (grandeza física empregada no setor meteorológico para quantificar a rotação das partículas de um fluido em movimento) do vento, são afetados por essa configuração.

BALANÇO

O CGE ABC (Centro de Gerenciamento do Grande ABC), mantido pelo Consórcio Intermunicipal Grande ABC, revelou balanço das chuvas registradas na noite de domingo e madrugada de segunda-feira. Os dados foram obtidos por meio dos pluviômetros do Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais).

Santo André

Maior acumulado no período: 149 mm (Vila João Ramalho); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 62,4 mm

São Bernardo

Maior acumulado no período: 150 mm (Centro); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 78,9 mm

São Caetano

Maior acumulado no período: 34,4 mm (Centro); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 64,1 mm

Diadema

Maior acumulado no período: 130 mm (Jardim Novo Lar); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 44,8 mm

Mauá

Maior acumulado no período: 127 mm (Parque das Américas); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 53,1 mm

Ribeirão Pires

Maior acumulado no período: 145 mm (Vila Mortari); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 47,1 mm

Rio Grande da Serra 

Maior acumulado no período: 60,4 mm (Centro); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 27,2 mm

“A forte chuva da noite foi provocada por áreas de instabilidade associadas a uma configuração atmosférica de altitude chamada de Cavado, que foi responsável por deixar as condições de tempo favoráveis a nuvens de chuvas moderada e forte”, comenta o meteorologista responsável pelo setor meteorológico do CGE ABC, Caio Pereira Souza.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Previsão para esta terça-feira é de tempo instável e chuva

Luís Felipe Soares
Daniel Macário

11/03/2019 | 13:00


Atualizada às 19h36

Para a terça-feira (12), a previsão é que o tempo permaneça instável devido a um sistema de baixa pressão que atua sobre o Grande ABC. No período da manhã o Sol aparece entre nuvens, mas a partir da tarde há chances de pancadas de chuva de moderadas a fortes, com possíveis ocorrências de alagamento e deslizamento de terra. As temperaturas sobem um pouco, com mínima de 17º e máxima de 29°. 

A tempestade que assustou a população na noite de domingo (10) e na madrugada de segunda-feira (11) ainda deixa as pessoas tensas. Parte da preocupação agora fica por conta se novas pancadas de chuva irão aparecer em breve no Grande ABC. De acordo a Defesa Civil do Estado de São Paulo, a expectativa é que até o fim da tarde chuva moderada passe pelas setes cidades, com alto risco para alagamentos e enchentes.

“Embora a chuva seja em menor intensidade, se comparado a de ontem, ainda temos muitos pontos de alagamentos onde o nível da água não abaixa, o que coloca essas áreas e cidades em alto risco para ocorrências de alagamentos e desmoronamento”, afirma capitã Aline Betânia, porta-voz da Defesa Civil e chefe da Divisão Preparatória do órgão.

Todos os pontos afetados pela tempestade, segundo o governo estadual, estão sendo monitorados pelo Centro de Gerenciamento de Emergências. Além das equipes da Defesa Civil, técnicos do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) e do Instituto Geológico estão realizando vistoria em áreas de risco da região. “Nosso objetivo é diminuir o mais rápido possível os transtornos causados aos moradores de modo a prevenir novas ocorrências com a chuva de hoje”, relata a capitã.

Segundo o meteorologista responsável pelo setor meteorológico do CGE (Centro de Gerenciamento Emergências) do Grande ABC, Caio Pereira Souza, a forte chuva registrada nas últimas horas foi provocada por dois fatores. “Áreas de instabilidade associadas a uma configuração atmosférica de altitude chamada de Cavado, foi responsável por deixar as condições de tempo favoráveis a nuvens de chuvas moderada e forte”.

O meteorologista explica que Cavado é um tipo de onda atmosférica que favorece a formação de nuvens em determinados setores. O fenômeno está relacionado à dinâmica atmosférica. Diversos fatores, como vorticidade (grandeza física empregada no setor meteorológico para quantificar a rotação das partículas de um fluido em movimento) do vento, são afetados por essa configuração.

BALANÇO

O CGE ABC (Centro de Gerenciamento do Grande ABC), mantido pelo Consórcio Intermunicipal Grande ABC, revelou balanço das chuvas registradas na noite de domingo e madrugada de segunda-feira. Os dados foram obtidos por meio dos pluviômetros do Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais).

Santo André

Maior acumulado no período: 149 mm (Vila João Ramalho); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 62,4 mm

São Bernardo

Maior acumulado no período: 150 mm (Centro); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 78,9 mm

São Caetano

Maior acumulado no período: 34,4 mm (Centro); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 64,1 mm

Diadema

Maior acumulado no período: 130 mm (Jardim Novo Lar); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 44,8 mm

Mauá

Maior acumulado no período: 127 mm (Parque das Américas); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 53,1 mm

Ribeirão Pires

Maior acumulado no período: 145 mm (Vila Mortari); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 47,1 mm

Rio Grande da Serra 

Maior acumulado no período: 60,4 mm (Centro); Maior acumulado em 1º de março de 2018: 27,2 mm

“A forte chuva da noite foi provocada por áreas de instabilidade associadas a uma configuração atmosférica de altitude chamada de Cavado, que foi responsável por deixar as condições de tempo favoráveis a nuvens de chuvas moderada e forte”, comenta o meteorologista responsável pelo setor meteorológico do CGE ABC, Caio Pereira Souza.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;