Fechar
Publicidade

Domingo, 19 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Moradores relatam momentos de medo no bairro Fundação, em São Caetano

Foto Leitor Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Água ultrapassou dois metros de altura em alguns pontos; Prefeitura disponibiliza pontos de apoio


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

11/03/2019 | 12:48


O bairro Fundação, em São Caetano, ficou debaixo d´água por conta da tempestade que caiu sobre o Grande ABC entre o fim da tarde de domingo e a madrugada de segunda-feira. Em meio à retirada de móveis, moradores contabilizam as perdas e relatam os momentos de medo. Segundo eles, em alguns pontos a água ultrapassou dois metros de altura.

"Pensei que não fosse escapar", contou o aposentado Emídio Vieira de Melo, 101 anos, morador da rua Coligni. Ele e a filha Lúcia Maria de Melo, 63, que é especial, ficaram quase submersos. "Passei muito frio", lembrou ela. Seu irmão, Cláudio José dos Santos, 54, explicou que dois homens passavam pela rua e ajudaram a salvar seus familiares. "Colocamos uma mesa em cima da outra e minha irmã lá em cima. Nunca aconteceu com água nessa altura", disse ele, que contabilizou as perdas de três televisões, sofá, mesa, armário, cama, eletrodomésticos, cerca de 150 livros, documentos e mais.

Morador da mesma rua, o porteiro Luciano Medeiros, 40, lembrou que esta "foi a pior enchente" e que a água só começou a baixar pela manhã. "Perdi tudo", lamentou enquanto mostrava seu sobrado. "Quase chegou ao andar de cima", apontou, mostrando a marca da água na parede.

SOLIDARIEDADE
Em meio a pessoas retirando móveis e lavando as casas afetadas pela enchente, moradores de outros bairros, funcionários da APAE e soldados do Tiro de Guerra auxiliavam a carregar mobílias e distribuíam alimentos.

"A gente sempre ajuda quando pode", contou o motoboy Rogge Willian Venâncio, 30, morador do bairro Olímpico e que carregava caixa com 200 lanches. Com ele, dois colegas distribuíam água, suco, bolacha, papel higiênico e material de limpeza.

APOIO
A Prefeitura de São Caetano informou que 500 residências foram afetadas pela enchente e que as famílias devem procurar os pontos de apoio montados, inclusive aqueles que queiram levar doações:

PONTOS OFICIAIS DE APOIO para água, cesta básica, cobertor, colchão, kit limpeza, agasalhos:
CRAS Fundação: Rua Heloísa Pamplona, 316.
CISE Prosperidade: Rua da Garça, 323.
IGREJA Sagrado Coração de Jesus (Bairro São José): Rua Padre Mororó, 425.

TELEFONES DE EMERGÊNCIA:
156 e 0800 7000 156



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Moradores relatam momentos de medo no bairro Fundação, em São Caetano

Água ultrapassou dois metros de altura em alguns pontos; Prefeitura disponibiliza pontos de apoio

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

11/03/2019 | 12:48


O bairro Fundação, em São Caetano, ficou debaixo d´água por conta da tempestade que caiu sobre o Grande ABC entre o fim da tarde de domingo e a madrugada de segunda-feira. Em meio à retirada de móveis, moradores contabilizam as perdas e relatam os momentos de medo. Segundo eles, em alguns pontos a água ultrapassou dois metros de altura.

"Pensei que não fosse escapar", contou o aposentado Emídio Vieira de Melo, 101 anos, morador da rua Coligni. Ele e a filha Lúcia Maria de Melo, 63, que é especial, ficaram quase submersos. "Passei muito frio", lembrou ela. Seu irmão, Cláudio José dos Santos, 54, explicou que dois homens passavam pela rua e ajudaram a salvar seus familiares. "Colocamos uma mesa em cima da outra e minha irmã lá em cima. Nunca aconteceu com água nessa altura", disse ele, que contabilizou as perdas de três televisões, sofá, mesa, armário, cama, eletrodomésticos, cerca de 150 livros, documentos e mais.

Morador da mesma rua, o porteiro Luciano Medeiros, 40, lembrou que esta "foi a pior enchente" e que a água só começou a baixar pela manhã. "Perdi tudo", lamentou enquanto mostrava seu sobrado. "Quase chegou ao andar de cima", apontou, mostrando a marca da água na parede.

SOLIDARIEDADE
Em meio a pessoas retirando móveis e lavando as casas afetadas pela enchente, moradores de outros bairros, funcionários da APAE e soldados do Tiro de Guerra auxiliavam a carregar mobílias e distribuíam alimentos.

"A gente sempre ajuda quando pode", contou o motoboy Rogge Willian Venâncio, 30, morador do bairro Olímpico e que carregava caixa com 200 lanches. Com ele, dois colegas distribuíam água, suco, bolacha, papel higiênico e material de limpeza.

APOIO
A Prefeitura de São Caetano informou que 500 residências foram afetadas pela enchente e que as famílias devem procurar os pontos de apoio montados, inclusive aqueles que queiram levar doações:

PONTOS OFICIAIS DE APOIO para água, cesta básica, cobertor, colchão, kit limpeza, agasalhos:
CRAS Fundação: Rua Heloísa Pamplona, 316.
CISE Prosperidade: Rua da Garça, 323.
IGREJA Sagrado Coração de Jesus (Bairro São José): Rua Padre Mororó, 425.

TELEFONES DE EMERGÊNCIA:
156 e 0800 7000 156

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;