Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 17 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Em Diadema, servidores pedem 7% de reajuste

Divulgação/Sindema  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sindicato entregou há uma semana, ao Paço, a pauta de reivindicações


Júnior Carvalho
do dgabc.com.br

08/03/2019 | 07:00


Os servidores públicos de Diadema aprovaram em assembleia, há cerca de uma semana, pauta que reivindica 7% de aumento salarial neste ano, sendo parte desse índice referente à reposição da inflação e outra fatia relacionada ao que chamam de “início de recomposição de perdas” – em 2017, os funcionários não tiveram reajuste.

A categoria, representada pelo Sindema (Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema), oficializou o pleito ao governo do prefeito Lauro Michels (PV) na semana passada e ainda aguarda o começo das negociações no Paço. A pauta de itens considerados prioritários também pede “reajuste imediato” no vale-alimentação, dos atuais R$ 312,73, por mês, para R$ 467,65; pagamento em dia das contribuições patronais com o Ipred (Instituto de Previdência de Diadema), bem como o cumprimento dos acordos de parcelamento das dívidas da Prefeitura com o instituto, referentes a atrasos nos repasses previdenciários.

Além disso, o documento entregue ao Paço cita “itens para negociação permanente”, como o pedido para colocar fim às terceirizações em todos os setores da administração municipal e a implementação do plano de cargos e salários.

No ano passado, o funcionalismo municipal conquistou os mesmos 7% de aumento salarial, embora tenha reivindicado 10% de reajuste. Em 2017, porém, a categoria viu a data-base (março) ser atropelada por outra investida do governo Lauro. Na ocasião, a mobilização do Sindema ficou voltada à tentativa do Executivo em modificar o estatuto dos servidores, restringindo direitos históricos dos funcionários. Ficaram sem aumento naquele exercício, mas barraram as alterações. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em Diadema, servidores pedem 7% de reajuste

Sindicato entregou há uma semana, ao Paço, a pauta de reivindicações

Júnior Carvalho
do dgabc.com.br

08/03/2019 | 07:00


Os servidores públicos de Diadema aprovaram em assembleia, há cerca de uma semana, pauta que reivindica 7% de aumento salarial neste ano, sendo parte desse índice referente à reposição da inflação e outra fatia relacionada ao que chamam de “início de recomposição de perdas” – em 2017, os funcionários não tiveram reajuste.

A categoria, representada pelo Sindema (Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema), oficializou o pleito ao governo do prefeito Lauro Michels (PV) na semana passada e ainda aguarda o começo das negociações no Paço. A pauta de itens considerados prioritários também pede “reajuste imediato” no vale-alimentação, dos atuais R$ 312,73, por mês, para R$ 467,65; pagamento em dia das contribuições patronais com o Ipred (Instituto de Previdência de Diadema), bem como o cumprimento dos acordos de parcelamento das dívidas da Prefeitura com o instituto, referentes a atrasos nos repasses previdenciários.

Além disso, o documento entregue ao Paço cita “itens para negociação permanente”, como o pedido para colocar fim às terceirizações em todos os setores da administração municipal e a implementação do plano de cargos e salários.

No ano passado, o funcionalismo municipal conquistou os mesmos 7% de aumento salarial, embora tenha reivindicado 10% de reajuste. Em 2017, porém, a categoria viu a data-base (março) ser atropelada por outra investida do governo Lauro. Na ocasião, a mobilização do Sindema ficou voltada à tentativa do Executivo em modificar o estatuto dos servidores, restringindo direitos históricos dos funcionários. Ficaram sem aumento naquele exercício, mas barraram as alterações. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;