Fechar
Publicidade

Domingo, 19 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mais da metade dos pais no Brasil conversam regularmente com os filhos sobre segurança online

Da Redação, com assessoria

07/03/2019 | 14:18


O estilo de vida digital é cada vez mais adotado por famílias ao redor do mundo. Portanto, a segurança online é um tema relevante nas conversas entre pais e filhos. Uma pesquisa da AVG Online Security sobre a independência das crianças no universo digital, revelou que mais da metade (57,38%) dos pais no Brasil conversam regularmente com os filhos sobre suas atividades online, enquanto globalmente esse percentual é de 42%.

O estudo da AVG constatou ainda que 30,49% dos brasileiros têm conversas de tempos em tempos com seus filhos sobre o que fazem no mundo digital. Entre aqueles que não debatem muito sobre segurança online, 5,14% dos entrevistados afirmaram que simplesmente não querem, 3,72% disseram que não se sentem confortáveis, e 3,28% gostariam de fazê-lo, porém seus filhos não deixam debater o assunto.

Leia mais
Crianças na internet: veja dicas para proteger seus filhos
5 benefícios que smartphones e computadores podem oferecer às crianças
Saiba como evitar que as crianças assistam a vídeos impróprios no YouTube

Independência digital

Quando questionados sobre como definiriam a independência digital, 56,81% dos pais no Brasil (46% no mundo) disseram: “Quando meu filho é totalmente responsável pelo que publica e faz no mundo online, compreendendo as implicações ou consequências”. Outros 23,87% dos brasileiros (26,44% no mundo) disseram que seu filho seria considerado digitalmente independente, depois de conversar sobre os tipos de conteúdos não adequados para compartilhar ou visualizar nas plataformas digitais, além de orientá-lo sobre comportamentos corretos e inadequados no mundo digital.

Idade adequada

Quando se trata da idade para que uma criança seja considerada digitalmente independente, a escolha mais popular entre os entrevistados no Brasil (33,90%) é 18 anos, seguido por 15 anos (13,56%) e 19 anos ou mais (12,85%). Quase 1 em cada 10 entrevistados em todo o mundo, no entanto, consideraria um adolescente de 13 anos digitalmente independente. Já no Brasil, 6,5% dos entrevistados consideram 13 anos uma idade adequada. No mundo todo, 8% dos pais acreditam que menores de 12 anos podem ser digitalmente independentes, enquanto entre os brasileiros esse percentual é de 5,08%.

Metodologia

A pesquisa online foi realizada entre os usuários AVG no segundo semestre de 2018, gerando 9.485 entrevistados globalmente e 915 no Brasil. Todos os entrevistados tinham pelo menos um filho com menos de 18 anos, morando em casa.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

 
 

<
>

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;