Fechar
Publicidade

Sábado, 20 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

China e EUA buscam reduzir diferenças comerciais por reunião de presidentes



12/02/2019 | 17:41


Os negociadores da China e dos Estados Unidos se concentram nesta semana em produzir uma solução em linhas gerais para um acordo comercial, para que os presidentes dos dois países possam marcar uma possível cúpula, de acordo com pessoas ligadas ao assunto. Integrantes dos dois governos buscam reduzir as diferenças ainda substanciais entre as concessões que Pequim está disposta a fazer e o que o governo do presidente Donald Trump deseja.

A partir desta quinta-feira, uma delegação de alto nível liderada pelo Representante de Comércio americano, Robert Lighthizer, e pelo secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, terão dois dias de reunião com o vice-premiê Liu He e sua equipe. Os dois lados querem chegar às linhas gerais para um acordo, de acordo com as fontes, com o objetivo de que ele possa ser finalizado na reunião entre Trump e o presidente chinês, Xi Jinping.

A trégua bilateral no comércio tem fim previsto para 1º de março. Caso ela não seja estendida, entrarão em vigor mais tarifas sobre US$ 20 bilhões em produtos chineses, que subirão de 10% para 25%. Questionado sobre a possibilidade de um acordo, Trump respondeu nesta terça-feira: "Nós veremos o que acontece", acrescentando que a China deseja chegar a um acordo. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

China e EUA buscam reduzir diferenças comerciais por reunião de presidentes


12/02/2019 | 17:41


Os negociadores da China e dos Estados Unidos se concentram nesta semana em produzir uma solução em linhas gerais para um acordo comercial, para que os presidentes dos dois países possam marcar uma possível cúpula, de acordo com pessoas ligadas ao assunto. Integrantes dos dois governos buscam reduzir as diferenças ainda substanciais entre as concessões que Pequim está disposta a fazer e o que o governo do presidente Donald Trump deseja.

A partir desta quinta-feira, uma delegação de alto nível liderada pelo Representante de Comércio americano, Robert Lighthizer, e pelo secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, terão dois dias de reunião com o vice-premiê Liu He e sua equipe. Os dois lados querem chegar às linhas gerais para um acordo, de acordo com as fontes, com o objetivo de que ele possa ser finalizado na reunião entre Trump e o presidente chinês, Xi Jinping.

A trégua bilateral no comércio tem fim previsto para 1º de março. Caso ela não seja estendida, entrarão em vigor mais tarifas sobre US$ 20 bilhões em produtos chineses, que subirão de 10% para 25%. Questionado sobre a possibilidade de um acordo, Trump respondeu nesta terça-feira: "Nós veremos o que acontece", acrescentando que a China deseja chegar a um acordo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;