Fechar
Publicidade

Sábado, 23 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Brasil perde 7,2 milhões de linhas móveis em 2018, diz Anatel



11/02/2019 | 19:56


O Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas móveis no ano passado, segundo levantamento feito pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A redução corresponde a uma queda de 3,08% na quantidade de linhas. A comparação é feita entre dezembro de 2018 e o mesmo mês em 2017.

Hoje, a Vivo é a operadora com maior quantidade de clientes, cerca de 73 milhões, o que corresponde a 31,91% do mercado. A segunda posição do ranking ficou com a Claro, com 56,4 milhões de linhas (24,61%), seguido da TIM com 55,9 milhões de clientes (24,39%) e a Oi com 37 milhões de linhas (14,44%).

Dentre as prestadoras de pequeno porte, nome dado àquelas que detêm menos de 5% do mercado, a Nextel é a com mais clientes, com um total de 3,3 milhões de linhas. A Algar aparece na segunda posição com 1,3 milhão de clientes, seguido da Porto Seguro com 825 mil.

Os celulares pré-pagos continuam sendo a maioria no Brasil. As linhas desse tipo equivale a 56,51% do mercado, cerca de 129,5 milhões de clientes, em relação às 99,6 milhões de linhas (43,49%) pós-pagas.

No último ano, somente cinco Estados apresentaram crescimento no número de linhas móveis: Roraima (+4,76 %), Amapá, (+2,72%) Amazonas (+1,93 %) São Paulo (+1,03%) e Espírito Santo (+0,31%).

O Estado com maior quantidade de usuários de linhas móveis continua sendo São Paulo, com 27,48% do mercado e 62,9 milhões de clientes.

Navegação

A maioria dos celulares no País (55,64%) já possui a conexão de internet móvel mais rápida disponível, a 4G. A quantidade de usuários de 3G representa 23,87% dos usuários e de 2G é de 10,84%. Ainda conforme a Anatel, a adoção da tecnologia 4G cresceu 27% no último ano, enquanto a de 3G diminuiu 36,82%.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Brasil perde 7,2 milhões de linhas móveis em 2018, diz Anatel


11/02/2019 | 19:56


O Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas móveis no ano passado, segundo levantamento feito pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A redução corresponde a uma queda de 3,08% na quantidade de linhas. A comparação é feita entre dezembro de 2018 e o mesmo mês em 2017.

Hoje, a Vivo é a operadora com maior quantidade de clientes, cerca de 73 milhões, o que corresponde a 31,91% do mercado. A segunda posição do ranking ficou com a Claro, com 56,4 milhões de linhas (24,61%), seguido da TIM com 55,9 milhões de clientes (24,39%) e a Oi com 37 milhões de linhas (14,44%).

Dentre as prestadoras de pequeno porte, nome dado àquelas que detêm menos de 5% do mercado, a Nextel é a com mais clientes, com um total de 3,3 milhões de linhas. A Algar aparece na segunda posição com 1,3 milhão de clientes, seguido da Porto Seguro com 825 mil.

Os celulares pré-pagos continuam sendo a maioria no Brasil. As linhas desse tipo equivale a 56,51% do mercado, cerca de 129,5 milhões de clientes, em relação às 99,6 milhões de linhas (43,49%) pós-pagas.

No último ano, somente cinco Estados apresentaram crescimento no número de linhas móveis: Roraima (+4,76 %), Amapá, (+2,72%) Amazonas (+1,93 %) São Paulo (+1,03%) e Espírito Santo (+0,31%).

O Estado com maior quantidade de usuários de linhas móveis continua sendo São Paulo, com 27,48% do mercado e 62,9 milhões de clientes.

Navegação

A maioria dos celulares no País (55,64%) já possui a conexão de internet móvel mais rápida disponível, a 4G. A quantidade de usuários de 3G representa 23,87% dos usuários e de 2G é de 10,84%. Ainda conforme a Anatel, a adoção da tecnologia 4G cresceu 27% no último ano, enquanto a de 3G diminuiu 36,82%.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;