Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 25 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Minuto de trabalho de Rautenberg custou R$ 668

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Vereador de Sto.André atuou menos de uma hora em apenas uma sessão de 2018 e recebeu 2 salários


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

10/02/2019 | 07:00


 Vereador campeão de votos na região em 2016 – com 7.863 adesões –, Roberto Rautenberg (PRB) exerceu o mandato na Câmara de Santo André por apenas 45 minutos em 2018. Suficientes para receber dois salários antes de pedir nova licença, na semana passada. Os R$ 30.063.52 que caíram na conta do republicano – pelos meses de dezembro e janeiro, quando a Casa ficou de recesso – representam que cada minuto trabalhado de Rautenberg custou R$ 668,08 aos cofres públicos.

Rautenberg pediu licença com prejuízo dos vencimentos pela primeira vez em agosto de 2017, alegando motivos pessoais. Ele decidiu investir no plano de expansão de rede de academias da qual é proprietário – inclusive com abertura de filiais em outros Estados – e optou por não mais exercer a vereança. Porém, não quis renunciar ao mandato.

O republicano retornou no dia 4 de dezembro para participar da eleição à mesa diretora do Legislativo porque seu suplente, Jorge Kina (PSB), havia dito que não votaria em Pedrinho Botaro (PSDB) para presidente. A sessão começou às 15h31. Rautenberg usou o microfone apenas uma vez, para proferir seu voto – a favor do tucano. Os trabalhos foram encerrados às 16h16. O vereador foi ao gabinete e depois, embora da Casa. Entrou de férias e gozou do que diz o regimento, que recebe por presença na sessão naquele mês e também no recesso. Na volta da Câmara, terça-feira, protocolou novo pedido de licença – sequer foi ao Parlamento.

Para efeito de comparação, os R$ 668,08 pagos a Rautenberg por minuto de trabalho nos últimos dois meses é mais do que o atacante Neymar, estrela da Seleção Brasileira e do time francês Paris Saint-Germain, recebeu por 60 segundos em seu clube. Jogador com um dos maiores salários da Europa, o brasileiro ganha R$ 13,9 milhões por mês. Por minuto, seus vencimentos são de R$ 317,73. Outra comparação: em 90 segundos (um minuto e meio), Rautenberg ganhou o equivalente a um salário mínimo nacional mensal (R$ 998).

A equipe do Diário fez levantamento de todas as presenças de Rautenberg nesta legislatura de Santo André. Entre fevereiro e agosto de 2017, quando ele efetivamente exerceu a vereança, a Casa realizou 44 sessões (ordinárias e extraordinárias). O republicano faltou em quatro, sendo duas nos dias 7 e 9 de março, por motivos de saúde, e 3 e 8 de agosto, quando já cogitava abandonar a política.

Nesse período, o parlamentar recebeu R$ 105,2 mil de subsídio pelos meses de janeiro a julho. Somados aos contracheques de dezembro de 2018 e janeiro deste ano, o total chega a R$ 135,3 mil. Ao todo, Rautenberg atuou em 145 horas e 16 minutos nas sessões.

Novo presidente da comissão de ética da Câmara de Santo André, Fábio Lopes (PPS) já declarou que vai apresentar projeto de lei restringindo o volume de licenças que um vereador pode tirar no mandato como forma de combater a manobra de seu colega de Casa. Rautenberg não retornou aos contatos da equipe do Diário.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Minuto de trabalho de Rautenberg custou R$ 668

Vereador de Sto.André atuou menos de uma hora em apenas uma sessão de 2018 e recebeu 2 salários

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

10/02/2019 | 07:00


 Vereador campeão de votos na região em 2016 – com 7.863 adesões –, Roberto Rautenberg (PRB) exerceu o mandato na Câmara de Santo André por apenas 45 minutos em 2018. Suficientes para receber dois salários antes de pedir nova licença, na semana passada. Os R$ 30.063.52 que caíram na conta do republicano – pelos meses de dezembro e janeiro, quando a Casa ficou de recesso – representam que cada minuto trabalhado de Rautenberg custou R$ 668,08 aos cofres públicos.

Rautenberg pediu licença com prejuízo dos vencimentos pela primeira vez em agosto de 2017, alegando motivos pessoais. Ele decidiu investir no plano de expansão de rede de academias da qual é proprietário – inclusive com abertura de filiais em outros Estados – e optou por não mais exercer a vereança. Porém, não quis renunciar ao mandato.

O republicano retornou no dia 4 de dezembro para participar da eleição à mesa diretora do Legislativo porque seu suplente, Jorge Kina (PSB), havia dito que não votaria em Pedrinho Botaro (PSDB) para presidente. A sessão começou às 15h31. Rautenberg usou o microfone apenas uma vez, para proferir seu voto – a favor do tucano. Os trabalhos foram encerrados às 16h16. O vereador foi ao gabinete e depois, embora da Casa. Entrou de férias e gozou do que diz o regimento, que recebe por presença na sessão naquele mês e também no recesso. Na volta da Câmara, terça-feira, protocolou novo pedido de licença – sequer foi ao Parlamento.

Para efeito de comparação, os R$ 668,08 pagos a Rautenberg por minuto de trabalho nos últimos dois meses é mais do que o atacante Neymar, estrela da Seleção Brasileira e do time francês Paris Saint-Germain, recebeu por 60 segundos em seu clube. Jogador com um dos maiores salários da Europa, o brasileiro ganha R$ 13,9 milhões por mês. Por minuto, seus vencimentos são de R$ 317,73. Outra comparação: em 90 segundos (um minuto e meio), Rautenberg ganhou o equivalente a um salário mínimo nacional mensal (R$ 998).

A equipe do Diário fez levantamento de todas as presenças de Rautenberg nesta legislatura de Santo André. Entre fevereiro e agosto de 2017, quando ele efetivamente exerceu a vereança, a Casa realizou 44 sessões (ordinárias e extraordinárias). O republicano faltou em quatro, sendo duas nos dias 7 e 9 de março, por motivos de saúde, e 3 e 8 de agosto, quando já cogitava abandonar a política.

Nesse período, o parlamentar recebeu R$ 105,2 mil de subsídio pelos meses de janeiro a julho. Somados aos contracheques de dezembro de 2018 e janeiro deste ano, o total chega a R$ 135,3 mil. Ao todo, Rautenberg atuou em 145 horas e 16 minutos nas sessões.

Novo presidente da comissão de ética da Câmara de Santo André, Fábio Lopes (PPS) já declarou que vai apresentar projeto de lei restringindo o volume de licenças que um vereador pode tirar no mandato como forma de combater a manobra de seu colega de Casa. Rautenberg não retornou aos contatos da equipe do Diário.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;