Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Eleição evitaria guerra na Venezuela, diz Mujica

Reprodução/Instagram Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

'Se não tiver mais jeito, os EUA vão intervir', disse o ex-presidente do Uruguai



08/02/2019 | 09:15


O ex-presidente do Uruguai José Mujica manifestou apoio à proposta de negociação feita pelo governo uruguaio para tentar contornar a crise na Venezuela. Em entrevista à BBC, ele afirmou que a convocação de eleições seria a melhor saída. "Se não tiver mais jeito, os EUA vão intervir. O tema central, para mim, é evitar a guerra", disse.

Mujica negou que a posição do Uruguai seja a de dar tempo ao governo de Nicolás Maduro, uma referência ao Grupo Internacional de Contato (GIC), que aceitou discutir em Montevidéu uma saída para a crise e foi acusado de ajudar o regime chavista. "A posição do Uruguai é a de tentar encontrar uma saída que dê uma possibilidade de retomar o governo venezuelano sem a necessidade de uma guerra."

O ex-presidente do Uruguai novamente disse que aceitaria mediar o conflito na Venezuela se o Uruguai pedisse. "Não dizer (se o regime de Maduro) é uma ditadura. Se eu quiser negociar, não posso insultar", afirmou Mujica, que sempre manteve uma relação mais próxima com Hugo Chávez do que com Maduro, a quem responsabilizou pelo período difícil que enfrenta a esquerda no continente.

"Há uma velha confusão entre socializar e estatizar, que culmina em burocratismo, uma velha doença humana da qual até Roma padeceu. E parte da esquerda não aprende as lições da história", disse Mujica. "O que não significa abandonar nossas bandeiras. A luta pela igualdade se justifica mais do que nunca. Não pela igualdade absoluta, mas para reduzir a distância (entre pobres e ricos)." (Com agências internacionais).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Eleição evitaria guerra na Venezuela, diz Mujica

'Se não tiver mais jeito, os EUA vão intervir', disse o ex-presidente do Uruguai


08/02/2019 | 09:15


O ex-presidente do Uruguai José Mujica manifestou apoio à proposta de negociação feita pelo governo uruguaio para tentar contornar a crise na Venezuela. Em entrevista à BBC, ele afirmou que a convocação de eleições seria a melhor saída. "Se não tiver mais jeito, os EUA vão intervir. O tema central, para mim, é evitar a guerra", disse.

Mujica negou que a posição do Uruguai seja a de dar tempo ao governo de Nicolás Maduro, uma referência ao Grupo Internacional de Contato (GIC), que aceitou discutir em Montevidéu uma saída para a crise e foi acusado de ajudar o regime chavista. "A posição do Uruguai é a de tentar encontrar uma saída que dê uma possibilidade de retomar o governo venezuelano sem a necessidade de uma guerra."

O ex-presidente do Uruguai novamente disse que aceitaria mediar o conflito na Venezuela se o Uruguai pedisse. "Não dizer (se o regime de Maduro) é uma ditadura. Se eu quiser negociar, não posso insultar", afirmou Mujica, que sempre manteve uma relação mais próxima com Hugo Chávez do que com Maduro, a quem responsabilizou pelo período difícil que enfrenta a esquerda no continente.

"Há uma velha confusão entre socializar e estatizar, que culmina em burocratismo, uma velha doença humana da qual até Roma padeceu. E parte da esquerda não aprende as lições da história", disse Mujica. "O que não significa abandonar nossas bandeiras. A luta pela igualdade se justifica mais do que nunca. Não pela igualdade absoluta, mas para reduzir a distância (entre pobres e ricos)." (Com agências internacionais).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;