Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Stepway é popular aventureiro

Dérek Bittencourt/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Encantadora à primeira vista, versão apresenta pró e contra em teste na estrada


Dérek Bittencourt

08/02/2019 | 08:14


Ao pegar a estrada, o motorista deve se preocupar – em primeiro lugar – com a manutenção do carro, para não ficar na mão e acabar com o fim de semana, feriado ou passeio da família. Entretanto, outros pontos também devem ser levados em conta para um maior conforto tanto de quem dirige quanto para os acompanhantes ou demais passageiros, como segurança, espaços internos e do porta-malas e um dos mais importantes: consumo de combustível. E num breve desafio de 460 quilômetros de ida e volta de Santo André até São Carlos, no Interior, colocamos à prova o Sandero Stepway, vendido desde 2014 pela marca francesa como um hatch aventureiro, que tem fama de ser grande por dentro e não estar entre os mais beberrões. Pé na estrada!

Verdade seja dita: pode não ser a principal intenção, mas o design, a cor (neste caso, laranja ocre) e todos os aparatos esportivos dessa versão fazem o carro chamar muita atenção por onde passa. Talvez porque o torne mais do que um simples Sandero. Seja como for, para uma família composta por um casal e uma criança de 1 ano e 3 meses que ainda utiliza a cadeirinha – que foi meu caso – este Renault teve pró e contra.

Vamos começar pela parte boa: o porta-malas de 320 litros acomodou tranquilamente as bagagens – e os pais e mães sabem que vão muito além de uma ou duas malas, mas também brinquedos e outros aparatos. O espaço ao motorista é bastante confortável e permitiu desbravar as estradas sem maiores problemas. Aliás, os bancos são anatômicos e trazem detalhes em laranja nas costuras. O Media Nav, equipado com tela sensível ao toque de sete polegadas, conta com GPS, Bluetooth e MP3.

Sobre o consumo, na estrada, com este modelo de câmbio manual, obtivemos um desempenho de apenas 8,4 quilômetros por litro no etanol. Isso num propulsor 1.6 de 16 válvulas e 118 cavalos. O manual de instruções indica que até os primeiros 3.500 quilômetros o motor ainda está em fase de adaptação (peguei este Sandero com 2.000), então é possível que estes números melhorem. E se ativado o modo Eco-Coaching, uma indicação no painel mostra o momento certo de trocar a marcha. No painel, a função Eco-Scoring ainda traz um gráfico avaliando essa exatidão em aumentar ou diminuir a marcha e regularidade de velocidade. Se torna um desafio tentar alcançar os 100%.

Por outro lado... Bem, ao tentar instalar a cadeirinha, só foi possível atrás do banco do passageiro, porque não era possível fazê-lo às costas do motorista – utilizo o assento todo para trás – com espaço suficiente para acomodar a criança. Além disso, a velocidade média na Rodovia Washington Luís é de 110 km/h. Cruzamos este trecho sob chuva intensa e ventos fortes, que causaram certa instabilidade no carro, que nem é o mais alto entre os concorrentes: 190 mm, contra 206 mm do Hyundai HB20X.

Esta versão descrita acima, a Dynamique, tem preço sugerido (com a pintura em laranja ocre) de R$ 64.440. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Stepway é popular aventureiro

Encantadora à primeira vista, versão apresenta pró e contra em teste na estrada

Dérek Bittencourt

08/02/2019 | 08:14


Ao pegar a estrada, o motorista deve se preocupar – em primeiro lugar – com a manutenção do carro, para não ficar na mão e acabar com o fim de semana, feriado ou passeio da família. Entretanto, outros pontos também devem ser levados em conta para um maior conforto tanto de quem dirige quanto para os acompanhantes ou demais passageiros, como segurança, espaços internos e do porta-malas e um dos mais importantes: consumo de combustível. E num breve desafio de 460 quilômetros de ida e volta de Santo André até São Carlos, no Interior, colocamos à prova o Sandero Stepway, vendido desde 2014 pela marca francesa como um hatch aventureiro, que tem fama de ser grande por dentro e não estar entre os mais beberrões. Pé na estrada!

Verdade seja dita: pode não ser a principal intenção, mas o design, a cor (neste caso, laranja ocre) e todos os aparatos esportivos dessa versão fazem o carro chamar muita atenção por onde passa. Talvez porque o torne mais do que um simples Sandero. Seja como for, para uma família composta por um casal e uma criança de 1 ano e 3 meses que ainda utiliza a cadeirinha – que foi meu caso – este Renault teve pró e contra.

Vamos começar pela parte boa: o porta-malas de 320 litros acomodou tranquilamente as bagagens – e os pais e mães sabem que vão muito além de uma ou duas malas, mas também brinquedos e outros aparatos. O espaço ao motorista é bastante confortável e permitiu desbravar as estradas sem maiores problemas. Aliás, os bancos são anatômicos e trazem detalhes em laranja nas costuras. O Media Nav, equipado com tela sensível ao toque de sete polegadas, conta com GPS, Bluetooth e MP3.

Sobre o consumo, na estrada, com este modelo de câmbio manual, obtivemos um desempenho de apenas 8,4 quilômetros por litro no etanol. Isso num propulsor 1.6 de 16 válvulas e 118 cavalos. O manual de instruções indica que até os primeiros 3.500 quilômetros o motor ainda está em fase de adaptação (peguei este Sandero com 2.000), então é possível que estes números melhorem. E se ativado o modo Eco-Coaching, uma indicação no painel mostra o momento certo de trocar a marcha. No painel, a função Eco-Scoring ainda traz um gráfico avaliando essa exatidão em aumentar ou diminuir a marcha e regularidade de velocidade. Se torna um desafio tentar alcançar os 100%.

Por outro lado... Bem, ao tentar instalar a cadeirinha, só foi possível atrás do banco do passageiro, porque não era possível fazê-lo às costas do motorista – utilizo o assento todo para trás – com espaço suficiente para acomodar a criança. Além disso, a velocidade média na Rodovia Washington Luís é de 110 km/h. Cruzamos este trecho sob chuva intensa e ventos fortes, que causaram certa instabilidade no carro, que nem é o mais alto entre os concorrentes: 190 mm, contra 206 mm do Hyundai HB20X.

Esta versão descrita acima, a Dynamique, tem preço sugerido (com a pintura em laranja ocre) de R$ 64.440. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;