Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Pelo segundo ano seguido, IPCA fecha abaixo do centro da meta

Mesmo com convênios e combustível como vilões, inflação foi a 3,75%


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

12/01/2019 | 07:21


A recuperação morna da atividade econômica e as dificuldades enfrentadas pelos brasileiros que ainda buscam emprego ajudaram a conter a inflação oficial no País em 2018. Pelo segundo ano seguido, o resultado ficou abaixo do centro da meta de inflação perseguida pelo governo, embora os gastos com plano de saúde, energia elétrica, gasolina e alimentos tenham pesado no bolso das famílias.

Em dezembro, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) ficou atipicamente baixo, ao variar 0,15%, e levar o indicador, no acumulado do ano, a 3,75%. Os custos dos serviços encerraram o ano com o menor resultado da série histórica, em 2012, alta de 3,36%. “As famílias estão gastando com o que é mais essencial: alimentação, habitação, transportes”, disse Fernando Gonçalves, gerente na coordenação de índices de preços do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Para Diogo Moreira Carneiro, professor da Faculdade Fipecafi, em 2019 o cenário deve continuar sendo de inflação sob controle, mais estabilidade e juros da Selic no mesmo patamar. “O ponto positivo é que a renda do consumidor não está sendo corroída, o dólar está sob controle e o Brasil está operando sua capacidade ociosa. Há espaço de sobra para crescer sem pressão inflacionária. Os empresários têm condições de aumentar sua produção com a estrutura que possuem, a fim de atender demanda retraída com o alto desemprego visto nos últimos anos.”
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pelo segundo ano seguido, IPCA fecha abaixo do centro da meta

Mesmo com convênios e combustível como vilões, inflação foi a 3,75%

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

12/01/2019 | 07:21


A recuperação morna da atividade econômica e as dificuldades enfrentadas pelos brasileiros que ainda buscam emprego ajudaram a conter a inflação oficial no País em 2018. Pelo segundo ano seguido, o resultado ficou abaixo do centro da meta de inflação perseguida pelo governo, embora os gastos com plano de saúde, energia elétrica, gasolina e alimentos tenham pesado no bolso das famílias.

Em dezembro, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) ficou atipicamente baixo, ao variar 0,15%, e levar o indicador, no acumulado do ano, a 3,75%. Os custos dos serviços encerraram o ano com o menor resultado da série histórica, em 2012, alta de 3,36%. “As famílias estão gastando com o que é mais essencial: alimentação, habitação, transportes”, disse Fernando Gonçalves, gerente na coordenação de índices de preços do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Para Diogo Moreira Carneiro, professor da Faculdade Fipecafi, em 2019 o cenário deve continuar sendo de inflação sob controle, mais estabilidade e juros da Selic no mesmo patamar. “O ponto positivo é que a renda do consumidor não está sendo corroída, o dólar está sob controle e o Brasil está operando sua capacidade ociosa. Há espaço de sobra para crescer sem pressão inflacionária. Os empresários têm condições de aumentar sua produção com a estrutura que possuem, a fim de atender demanda retraída com o alto desemprego visto nos últimos anos.”
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;