Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Vânia Bastos e os pianistas Túlio Mourão e Rafa Castro exaltam a música de Minas



11/01/2019 | 08:00


No show Tons de Minas, que estreia no Sesc Santo André, nesta sexta, 11, e sábado, 12, o Estado de Minas Gerais é reverenciado em cada detalhe: no repertório que abrange dos clássicos do Clube da Esquina a uma nova geração de compositores; nos dois pianistas, os mineiros Túlio Mourão e Rafa Castro; e na cantora Vânia Bastos, que, apesar de paulista, tem uma ligação com Minas, por causa do pai e da memória afetiva das férias que passava na cidade mineira Januária quando era adolescente. Além disso tudo, existe um forte impacto da música do Clube da Esquina, de uma forma ou de outra, na vida e carreira de Túlio, Rafa e Vânia.

E é com essa formação no palco, de dois pianistas e uma cantora, que Tons de Minas inicia sua turnê pelo Brasil. "Achei que trazer a música de Minas, um pilar da MPB, unindo compositores tradicionais e da nova geração, seria interessante em dois pianos. E ter a voz da Vânia Bastos como fio condutor é espetacular. É sofisticado e popular", conta o também mineiro Fran Carlo, diretor e idealizador do projeto. "Fiz um show com o Túlio Mourão e o Rafa Castro no teatro do Sesc Consolação, em 2018, o Teias, que virou especial na TV Sesc. Fiquei impressionado com a desenvoltura dos dois juntos."

Para esse diálogo de compositores de diferentes gerações no repertório, foram selecionadas canções como Cais (Milton Nascimento/Ronaldo Bastos), Nada Será Como Antes (Milton Nascimento/Ronaldo Bastos), Um Gosto de Sol (Milton Nascimento/Ronaldo Bastos), Românticos (Vander Lee) e Resposta (Samuel Rosa/Nando Reis). Diretor musical do show ao lado de Túlio, Rafa traz também duas composições suas: Casulo, que faz a abertura instrumental do espetáculo, e Fronteira. Ao longo do show, a maior parte das apresentações será em trio.

Vânia Bastos lembra de sua aproximação com a música mineira, que veio antes mesmo de ser cantora. "Essas músicas são deliciosas para mim desde 1972, quando foi lançado o disco Clube da Esquina. Eu era pré-adolescente na época, meu irmão comprava os LPs, e ele comprou esse e eu amei tanto. Eu ouvia demais", recorda-se. "E, quando eu ia passar minhas férias em Minas Gerais, a gente ia ouvindo pelas rádios que tocavam esse tipo de música." Anos mais tarde, ela fez sua homenagem àquela música que a tocou tão profundamente no disco Vânia Bastos Canta Clube da Esquina, lançado em 2002. "Nunca mais imaginei que eu iria retomar tudo aquilo e dessa forma tão singela", diz a cantora. "Os dois (pianistas) têm estilos diferentes e se complementam muito bem. Já fiz vários shows na minha vida de piano e voz, gosto de cantar com piano. Agora com eles dois está sendo um luxo redobrado, e tem um suingue muito bom, tem a suavidade, tem os detalhes sonoros."

Além dos estilos diferentes, Rafa Castro e Túlio Mourão são representantes de duas gerações do piano. Túlio explica que, no caso deles, a distribuição e o ordenamento das funções rítmicas, harmônicas e melódicas entre os dois pianos são muito dinâmicos, ágeis e bastante mais sensíveis ao momento criativo do que ao arranjo, o que, segundo ele, exige da cantora versatilidade, domínio e segurança consideráveis.

Sobre a parceria com Rafa Castro no palco, Túlio diz que o melhor do encontro é a via de mão dupla. "Esse encontro é possível porque trafega numa larga e confortável pista de convergência, identificação e, principalmente, amizade e admiração mútua."

Rafa também exalta essa parceria. "É enriquecedor estar ao lado dessa pessoa tão importante do piano brasileiro", afirma Rafa. "Acho que a sonoridade que a gente criou com a riqueza dos pianos e da voz da Vânia é singular." Para ele, esse reencontro com a música mineira no novo projeto é importante, simbólico. "Faz muito sentido para mim cantar minhas raízes, as principais influências", diz. "Além disso, cantar o Clube da Esquina, que é um encontro de figuras maravilhosas, não é só uma exaltação à musica, é uma exaltação à poesia, à amizade."

TONS DE MINAS

Sesc Santo André. Teatro. R. Tamarutaca, 302, Vila Guiomar, tel. 4469-1200. Hoje (11), 21h, e amanhã (12), 20h. R$ 6 / R$ 20

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vânia Bastos e os pianistas Túlio Mourão e Rafa Castro exaltam a música de Minas


11/01/2019 | 08:00


No show Tons de Minas, que estreia no Sesc Santo André, nesta sexta, 11, e sábado, 12, o Estado de Minas Gerais é reverenciado em cada detalhe: no repertório que abrange dos clássicos do Clube da Esquina a uma nova geração de compositores; nos dois pianistas, os mineiros Túlio Mourão e Rafa Castro; e na cantora Vânia Bastos, que, apesar de paulista, tem uma ligação com Minas, por causa do pai e da memória afetiva das férias que passava na cidade mineira Januária quando era adolescente. Além disso tudo, existe um forte impacto da música do Clube da Esquina, de uma forma ou de outra, na vida e carreira de Túlio, Rafa e Vânia.

E é com essa formação no palco, de dois pianistas e uma cantora, que Tons de Minas inicia sua turnê pelo Brasil. "Achei que trazer a música de Minas, um pilar da MPB, unindo compositores tradicionais e da nova geração, seria interessante em dois pianos. E ter a voz da Vânia Bastos como fio condutor é espetacular. É sofisticado e popular", conta o também mineiro Fran Carlo, diretor e idealizador do projeto. "Fiz um show com o Túlio Mourão e o Rafa Castro no teatro do Sesc Consolação, em 2018, o Teias, que virou especial na TV Sesc. Fiquei impressionado com a desenvoltura dos dois juntos."

Para esse diálogo de compositores de diferentes gerações no repertório, foram selecionadas canções como Cais (Milton Nascimento/Ronaldo Bastos), Nada Será Como Antes (Milton Nascimento/Ronaldo Bastos), Um Gosto de Sol (Milton Nascimento/Ronaldo Bastos), Românticos (Vander Lee) e Resposta (Samuel Rosa/Nando Reis). Diretor musical do show ao lado de Túlio, Rafa traz também duas composições suas: Casulo, que faz a abertura instrumental do espetáculo, e Fronteira. Ao longo do show, a maior parte das apresentações será em trio.

Vânia Bastos lembra de sua aproximação com a música mineira, que veio antes mesmo de ser cantora. "Essas músicas são deliciosas para mim desde 1972, quando foi lançado o disco Clube da Esquina. Eu era pré-adolescente na época, meu irmão comprava os LPs, e ele comprou esse e eu amei tanto. Eu ouvia demais", recorda-se. "E, quando eu ia passar minhas férias em Minas Gerais, a gente ia ouvindo pelas rádios que tocavam esse tipo de música." Anos mais tarde, ela fez sua homenagem àquela música que a tocou tão profundamente no disco Vânia Bastos Canta Clube da Esquina, lançado em 2002. "Nunca mais imaginei que eu iria retomar tudo aquilo e dessa forma tão singela", diz a cantora. "Os dois (pianistas) têm estilos diferentes e se complementam muito bem. Já fiz vários shows na minha vida de piano e voz, gosto de cantar com piano. Agora com eles dois está sendo um luxo redobrado, e tem um suingue muito bom, tem a suavidade, tem os detalhes sonoros."

Além dos estilos diferentes, Rafa Castro e Túlio Mourão são representantes de duas gerações do piano. Túlio explica que, no caso deles, a distribuição e o ordenamento das funções rítmicas, harmônicas e melódicas entre os dois pianos são muito dinâmicos, ágeis e bastante mais sensíveis ao momento criativo do que ao arranjo, o que, segundo ele, exige da cantora versatilidade, domínio e segurança consideráveis.

Sobre a parceria com Rafa Castro no palco, Túlio diz que o melhor do encontro é a via de mão dupla. "Esse encontro é possível porque trafega numa larga e confortável pista de convergência, identificação e, principalmente, amizade e admiração mútua."

Rafa também exalta essa parceria. "É enriquecedor estar ao lado dessa pessoa tão importante do piano brasileiro", afirma Rafa. "Acho que a sonoridade que a gente criou com a riqueza dos pianos e da voz da Vânia é singular." Para ele, esse reencontro com a música mineira no novo projeto é importante, simbólico. "Faz muito sentido para mim cantar minhas raízes, as principais influências", diz. "Além disso, cantar o Clube da Esquina, que é um encontro de figuras maravilhosas, não é só uma exaltação à musica, é uma exaltação à poesia, à amizade."

TONS DE MINAS

Sesc Santo André. Teatro. R. Tamarutaca, 302, Vila Guiomar, tel. 4469-1200. Hoje (11), 21h, e amanhã (12), 20h. R$ 6 / R$ 20

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;