Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Novo chefe da Sama se reúne com diretores da Sabesp

Divulgação/Sama  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Governo Alaíde, que já admitiu que pode entregar autarquia, volta a procurar estatal


Júnior Carvalho
do dgabc.com.br

11/01/2019 | 07:00


Novo superintendente da Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá), Antonio Bertucci (MDB) esteve ontem na sede da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) para conversar com diretores da estatal. O governo da prefeita Alaíde Damo (MDB) já admitiu a possibilidade de vender a autarquia municipal à empresa estadual como forma de amortizar a dívida que possui com a companhia paulista.

Segundo comunicado da Sama, Toninho Bertucci, como é conhecido, “reuniu-se com o chefe de gabinete da estatal, Luiz Fernando Beraldo Guimarães, a fim de apresentar a nova gestão da Sama e apontar os planos e metas existentes para os anos que se seguem”.

De acordo com o anúncio, o novo chefe da autarquia também conversou com outros dois diretores da Sabesp. “O principal assunto abordado foi a intenção da autarquia para a criação de políticas públicas mais eficientes para melhorar o abastecimento de água da cidade”, diz o texto.

Em julho, durante a primeira passagem de Alaíde pelo Paço mauaense, o então secretário de Governo, Antônio Carlos de Lima (PRTB), admitiu explicitamente a possibilidade de a Prefeitura vender a Sama à Sabesp em busca de zerar a dívida que a autarquia tem com a estatal – estimada em cerca de R$ 3 bilhões –, como fez Diadema em 2013. “Se a gente conseguir tirar da frente esse peso e entregar a Sama para a Sabesp, não tenham dúvida que a Prefeitura vai fazer isso. É 100% de possibilidade”, afirmou o então secretário.

A entrega da Sama à Sabesp vai na contramão do que sempre foi pregado pelo núcleo duro do governo eleito, então chefiado por Atila. Desde que assumiu o Paço, o socialista sustentava a manutenção do controle municipal sobre serviços de abastecimento de água na cidade – o saneamento já é privatizado e está nas mãos da BRK Ambiental. “Fomos muito bem recebidos por toda a equipe. Nossa conversa foi muito franca e clara, na qual expus as reais necessidades de Mauá nesse momento, recebendo um retorno muito positivo por parte da Sabesp. Tenho a certeza de que esse encontro vai alavancar uma relação transparente e justa”, destacou Bertucci, que também solicitou um encontro com o novo presidente da Sabesp, Benedito Braga. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Novo chefe da Sama se reúne com diretores da Sabesp

Governo Alaíde, que já admitiu que pode entregar autarquia, volta a procurar estatal

Júnior Carvalho
do dgabc.com.br

11/01/2019 | 07:00


Novo superintendente da Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá), Antonio Bertucci (MDB) esteve ontem na sede da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) para conversar com diretores da estatal. O governo da prefeita Alaíde Damo (MDB) já admitiu a possibilidade de vender a autarquia municipal à empresa estadual como forma de amortizar a dívida que possui com a companhia paulista.

Segundo comunicado da Sama, Toninho Bertucci, como é conhecido, “reuniu-se com o chefe de gabinete da estatal, Luiz Fernando Beraldo Guimarães, a fim de apresentar a nova gestão da Sama e apontar os planos e metas existentes para os anos que se seguem”.

De acordo com o anúncio, o novo chefe da autarquia também conversou com outros dois diretores da Sabesp. “O principal assunto abordado foi a intenção da autarquia para a criação de políticas públicas mais eficientes para melhorar o abastecimento de água da cidade”, diz o texto.

Em julho, durante a primeira passagem de Alaíde pelo Paço mauaense, o então secretário de Governo, Antônio Carlos de Lima (PRTB), admitiu explicitamente a possibilidade de a Prefeitura vender a Sama à Sabesp em busca de zerar a dívida que a autarquia tem com a estatal – estimada em cerca de R$ 3 bilhões –, como fez Diadema em 2013. “Se a gente conseguir tirar da frente esse peso e entregar a Sama para a Sabesp, não tenham dúvida que a Prefeitura vai fazer isso. É 100% de possibilidade”, afirmou o então secretário.

A entrega da Sama à Sabesp vai na contramão do que sempre foi pregado pelo núcleo duro do governo eleito, então chefiado por Atila. Desde que assumiu o Paço, o socialista sustentava a manutenção do controle municipal sobre serviços de abastecimento de água na cidade – o saneamento já é privatizado e está nas mãos da BRK Ambiental. “Fomos muito bem recebidos por toda a equipe. Nossa conversa foi muito franca e clara, na qual expus as reais necessidades de Mauá nesse momento, recebendo um retorno muito positivo por parte da Sabesp. Tenho a certeza de que esse encontro vai alavancar uma relação transparente e justa”, destacou Bertucci, que também solicitou um encontro com o novo presidente da Sabesp, Benedito Braga. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;