Fechar
Publicidade

Sábado, 23 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Lady Gaga afirma que não trabalhará mais com R. Kelly

Reprodução/Instagram  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


10/01/2019 | 11:37


Lady Gaga se comprometeu a remover de todas as plataformas de streaming um dueto que gravou com o cantor de R&B R.Kelly e a nunca mais colaborar com ele.

Os comentários da cantora, divulgados em uma longa publicação no Instagram e no Twitter na noite de quarta-feira, 9, surgem após diversas mulheres acusarem Kelly de assédio sexual, algumas vezes contra menores de idade, em um novo documentário.

Gaga disse acreditar nas mulheres e ter achado o documentário "absolutamente horripilante". "Eu apoio essas mulheres 1000%, acredito nelas e sei que elas estão sofrendo e com dor, e sinto fortemente que as vozes delas precisam ser ouvidas e levadas a sério", escreveu a cantora. Em 2013, Gaga lançou o dueto "Do What U Want (With My Body)" com Kelly.

"Eu pretendo remover a música do iTunes e de outras plataformas de streaming e não trabalharei mais com ele", declarou. "Eu peço desculpas, tanto pelo meu mau julgamento quando mais nova e por não ter me pronunciado mais cedo."

"Como uma vítima de abuso sexual, eu fiz a música e o vídeo em um momento sombrio da minha vida e minha intenção foi criar algo extremamente desafiador e provocativo, porque estava com raiva e não tinha processado ainda o trauma que ocorreu na minha vida", comentou a cantora.

Kelly, cantor e produtor de 52 anos, mais conhecido pelo sucesso "I Believe I Can Fly", tem repetidamente negado as acusações de abuso, incluindo as presentes no novo documentário.

Em 2008, o cantor vencedor do Grammy foi julgado e absolvido em um caso por pornografia infantil em Chicago. O advogado de Kelly não respondeu a pedidos da agência Reuters por comentários sobre o documentário de seis horas Surviving R.Kelly, transmitido na semana passada pelo canal Lifetime.

O filme mostra entrevistas com diversas mulheres acusando o cantor de abuso sexual, psicológico e físico, assim como entrevistas com alguns de seus ex-empresários e produtores. A Reuters afirma que não foi capaz de verificar as acusações de maneira independente.

Na terça-feira, 8, uma procuradora de Chicago pediu que todas as vítimas que alegam ter sofrido abuso de Kelly se apresentem para que as acusações possam ser investigadas.

"Não há nada que possa ser feito para investigar essas alegações sem a cooperação tanto das vítimas como de testemunhas. Nós não podemos buscar a justiça sem vocês", afirmou a procuradora do condado de Cook, Kim Foxx, em coletiva de imprensa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Lady Gaga afirma que não trabalhará mais com R. Kelly


10/01/2019 | 11:37


Lady Gaga se comprometeu a remover de todas as plataformas de streaming um dueto que gravou com o cantor de R&B R.Kelly e a nunca mais colaborar com ele.

Os comentários da cantora, divulgados em uma longa publicação no Instagram e no Twitter na noite de quarta-feira, 9, surgem após diversas mulheres acusarem Kelly de assédio sexual, algumas vezes contra menores de idade, em um novo documentário.

Gaga disse acreditar nas mulheres e ter achado o documentário "absolutamente horripilante". "Eu apoio essas mulheres 1000%, acredito nelas e sei que elas estão sofrendo e com dor, e sinto fortemente que as vozes delas precisam ser ouvidas e levadas a sério", escreveu a cantora. Em 2013, Gaga lançou o dueto "Do What U Want (With My Body)" com Kelly.

"Eu pretendo remover a música do iTunes e de outras plataformas de streaming e não trabalharei mais com ele", declarou. "Eu peço desculpas, tanto pelo meu mau julgamento quando mais nova e por não ter me pronunciado mais cedo."

"Como uma vítima de abuso sexual, eu fiz a música e o vídeo em um momento sombrio da minha vida e minha intenção foi criar algo extremamente desafiador e provocativo, porque estava com raiva e não tinha processado ainda o trauma que ocorreu na minha vida", comentou a cantora.

Kelly, cantor e produtor de 52 anos, mais conhecido pelo sucesso "I Believe I Can Fly", tem repetidamente negado as acusações de abuso, incluindo as presentes no novo documentário.

Em 2008, o cantor vencedor do Grammy foi julgado e absolvido em um caso por pornografia infantil em Chicago. O advogado de Kelly não respondeu a pedidos da agência Reuters por comentários sobre o documentário de seis horas Surviving R.Kelly, transmitido na semana passada pelo canal Lifetime.

O filme mostra entrevistas com diversas mulheres acusando o cantor de abuso sexual, psicológico e físico, assim como entrevistas com alguns de seus ex-empresários e produtores. A Reuters afirma que não foi capaz de verificar as acusações de maneira independente.

Na terça-feira, 8, uma procuradora de Chicago pediu que todas as vítimas que alegam ter sofrido abuso de Kelly se apresentem para que as acusações possam ser investigadas.

"Não há nada que possa ser feito para investigar essas alegações sem a cooperação tanto das vítimas como de testemunhas. Nós não podemos buscar a justiça sem vocês", afirmou a procuradora do condado de Cook, Kim Foxx, em coletiva de imprensa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;