Fechar
Publicidade

Domingo, 24 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Técnica de Crispr e os limites da ética


Do Diário do Grande ABC

30/12/2018 | 10:53


Artigo

Há quatro semanas, novamente o mundo tremeu com divulgação de mais uma dessas pesquisas científicas inesperadas. O pesquisador chinês He Jiankui anunciou que havia utilizado técnica de Crispr-Cas9 para modificar material genético de embriões, com intenção de criar mutação que os protegesse da infecção pelo vírus HIV e, consequentemente, da Aids. Segundo He, duas crianças gêmeas (com pseudônimos Nana e Lulu) já teriam nascido fruto desse procedimento e testes genéticos nessas crianças teriam demonstrado que tais modificações genéticas realmente ocorreram. A comunidade científica ‘entrou em parafuso’, por vários motivos:

1 – Há na comunidade científica internacional consenso de que a modificação de material genético de embriões a serem implantados não poderia ser realizada sem que houvesse avanços nos quesitos de segurança e eficácia – e apenas se e quando houvesse amplo consenso da sociedade de que tal tecnologia poderia ser usada de forma adequada.

2 – A técnica de Crispr-Cas9, um dos avanços mais promissores da ciência no sentido de curar doenças genéticas, ainda carece de maior desenvolvimento técnico para passar da etapa de investigação científica para aplicação clínica. O maior desafio científico atual é desenvolver metodologias para que a técnica de Crisp-Cas9 não possa modificar o genoma humano em locais não intencionais e não programados e de forma não detectável, o que traria consequências imprevisíveis para os pacientes, seus descendentes e, em aspecto mais amplo, para toda a espécie humana;

3 – Há fortes indícios de que nem os sete casais participantes da própria pesquisa foram corretamente informados em detalhes dos meios que seriam utilizados por He para atingir seu objetivo;

4 – Como se tudo isso já não fosse suficientemente assustador, o objetivo final de He (evitar que filhos de pais com HIV se infectassem) poderia ser atingido com alternativas já disponíveis na medicina, mais seguras, eficazes e éticas do que o método utilizado.

Existem cerca de 8.000 doenças genéticas sem cura. Como corrigir erro genético presente em cada uma das 37 trilhões de células do corpo? Há pelo menos meio século, cientistas se debruçam sobre pesquisas que levem a método seguro, eficaz e eticamente aceitável para transpor a enorme barreira científica. Já não bastassem enormes obstáculos científicos, de tempo em tempo um ou outro pesquisador se aproveita para ficar mundialmente famoso, insinuando que a transpôs, mesmo sem levar em conta um ou mais dos três princípios básicos e intransponíveis de toda pesquisa científica séria: segurança, eficácia e ética.

Neste triste episódio da pesquisa inadvertida de He Jiankui, todos perderam. Mas a perda maior foi daqueles que contam os dias para que surjam curas para as doenças genéticas.

Salmo Raskin e médico geneticista, diretor do Centro de Aconselhamento e Laboratório Genetika, professor e pesquisador da Universidade Positivo.

Palavra do leitor

Boas-Festas
O Diário recebe e retribui votos de Boas-Festas a Chocolate Pan; Elisabete Alonso; Família Sarasá; deputado federal Roberto de Lucena; Note! Comunicação Inteligente; Isabela Videira; Celafiscs (Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano); Manesco, Ramires, Perez, Azevedo Marques Sociedade de Advogados; Unisys; Eduardo Almeida; Advice Comunicação Corporativa; Maria Eduarda Amorim; Abav (Associação Brasileira de Agências de Viagens) Nacional; Dehlicom – Soluções em Comunicação Empresarial; Creche João XXIII; Olsen – Soluções Para Odontologia; Edinalva Marinheiro Arruda; Gustavo Henrique Marinheiro Carli; Taiane de Sá; Eliana Ferreira.

Anjos na Terra
Minha irmã e eu agradecemos, do fundo do coração, à equipe de enfermagem e médicos da ‘ala vermelha’ e da ‘ala amarela’ da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Central de Santo André por todo carinho e dedicação com que atenderam minha mãe nos últimos oito dias, não medindo esforços para tornarem seus últimos dias de vida o mais confortável possível. Vocês foram anjos nesses momentos de tanta dor e sofrimento. Jamais esqueceremos. Deus abençoe vocês.
Débora Maria B. Romão de Moraes
Santo André

Fundação
A alegação para as dispensas de 35 professores na Fundação Santo André, a meu ver, é inaceitável e ilegal por ferir o conceito de direito adquirido. Interessante que no site da referida Fundação está publicado edital para concurso público para o preenchimento de vagas de professores em 51 áreas de atuação. A remuneração para docente de Nível Superior é de R$ 37,78 por aula e a prova será realizada no dia 20 de janeiro. Fica aqui questionamento. Por que será que esses 35 professores foram úteis à FSA, mesmo sem prestarem concurso, até o dia 20? E o mais impressionante, segundo reportagem deste Diário (Setecidades, dia 27), é que os demitidos não terão direito a nenhum tipo de remuneração indenizatória. O mais correto, a meu ver, seria reunir os 35 professores e explicar-lhes de possíveis ilegalidades e promover concurso interno para regularizar a situação. Talvez se isso tivesse acontecido, o professor Roque Roberto Amighini ainda estaria vivo e tido a oportunidade de passar Natal feliz ao lado de seus familiares.
Arlindo Ligeirinho Ribeiro
Diadema

Aquietaram-se?
Engraçado é ver que aparecem histórias de corrupção na família do fascista eleito e seus defensores aqui desta coluna calaram-se. Até então, o admirador do militarismo era o ‘exemplo’ no combate à corrupção, homem ‘ilibado’, ‘correto’. Além desse fato, está nomeando gente envolvida até o pescoço em falcatruas, trabalhava com ‘fantasma’, é preconceituoso e vai acabar com direitos dos trabalhadores. O mundo dá voltas. A máscara caiu e o pior cego é o que não quer ver.
Sérgio Praxedes
Rio Grande da Serra

Multa
Radar é exemplo do caça-níquel colocado no cruzamento das avenidas Humberto de Alencar Castelo Branco e Valentil dal Checo, no dia 13 de novembro, às 13h. Minha mulher, Maria Felicia Macedo Sarra Vandevelde, recebeu a notificação no dia 10 de dezembro. Tiramos foto dia 24, às 14h, andando atrás de ônibus, mostrando que o semáforo torna-se ‘invisível’ e está pessimamente colocado. Aliás, passando o semáforo vi que estava no amarelo! Também já fui multado, assim como muitos motoristas. A sinalização horizontal também é inexistente, e isso vale para toda a Castelo Branco. Quando a Prefeitura de São Bernardo vai parar de multar inocentes e colocar sinalização do trânsito em dia? A sinalização em todas as obras – semiacabadas e cheias de buracos – é inexistente.
Serge R. Vandevelde
São Bernardo 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Técnica de Crispr e os limites da ética

Do Diário do Grande ABC

30/12/2018 | 10:53


Artigo

Há quatro semanas, novamente o mundo tremeu com divulgação de mais uma dessas pesquisas científicas inesperadas. O pesquisador chinês He Jiankui anunciou que havia utilizado técnica de Crispr-Cas9 para modificar material genético de embriões, com intenção de criar mutação que os protegesse da infecção pelo vírus HIV e, consequentemente, da Aids. Segundo He, duas crianças gêmeas (com pseudônimos Nana e Lulu) já teriam nascido fruto desse procedimento e testes genéticos nessas crianças teriam demonstrado que tais modificações genéticas realmente ocorreram. A comunidade científica ‘entrou em parafuso’, por vários motivos:

1 – Há na comunidade científica internacional consenso de que a modificação de material genético de embriões a serem implantados não poderia ser realizada sem que houvesse avanços nos quesitos de segurança e eficácia – e apenas se e quando houvesse amplo consenso da sociedade de que tal tecnologia poderia ser usada de forma adequada.

2 – A técnica de Crispr-Cas9, um dos avanços mais promissores da ciência no sentido de curar doenças genéticas, ainda carece de maior desenvolvimento técnico para passar da etapa de investigação científica para aplicação clínica. O maior desafio científico atual é desenvolver metodologias para que a técnica de Crisp-Cas9 não possa modificar o genoma humano em locais não intencionais e não programados e de forma não detectável, o que traria consequências imprevisíveis para os pacientes, seus descendentes e, em aspecto mais amplo, para toda a espécie humana;

3 – Há fortes indícios de que nem os sete casais participantes da própria pesquisa foram corretamente informados em detalhes dos meios que seriam utilizados por He para atingir seu objetivo;

4 – Como se tudo isso já não fosse suficientemente assustador, o objetivo final de He (evitar que filhos de pais com HIV se infectassem) poderia ser atingido com alternativas já disponíveis na medicina, mais seguras, eficazes e éticas do que o método utilizado.

Existem cerca de 8.000 doenças genéticas sem cura. Como corrigir erro genético presente em cada uma das 37 trilhões de células do corpo? Há pelo menos meio século, cientistas se debruçam sobre pesquisas que levem a método seguro, eficaz e eticamente aceitável para transpor a enorme barreira científica. Já não bastassem enormes obstáculos científicos, de tempo em tempo um ou outro pesquisador se aproveita para ficar mundialmente famoso, insinuando que a transpôs, mesmo sem levar em conta um ou mais dos três princípios básicos e intransponíveis de toda pesquisa científica séria: segurança, eficácia e ética.

Neste triste episódio da pesquisa inadvertida de He Jiankui, todos perderam. Mas a perda maior foi daqueles que contam os dias para que surjam curas para as doenças genéticas.

Salmo Raskin e médico geneticista, diretor do Centro de Aconselhamento e Laboratório Genetika, professor e pesquisador da Universidade Positivo.

Palavra do leitor

Boas-Festas
O Diário recebe e retribui votos de Boas-Festas a Chocolate Pan; Elisabete Alonso; Família Sarasá; deputado federal Roberto de Lucena; Note! Comunicação Inteligente; Isabela Videira; Celafiscs (Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano); Manesco, Ramires, Perez, Azevedo Marques Sociedade de Advogados; Unisys; Eduardo Almeida; Advice Comunicação Corporativa; Maria Eduarda Amorim; Abav (Associação Brasileira de Agências de Viagens) Nacional; Dehlicom – Soluções em Comunicação Empresarial; Creche João XXIII; Olsen – Soluções Para Odontologia; Edinalva Marinheiro Arruda; Gustavo Henrique Marinheiro Carli; Taiane de Sá; Eliana Ferreira.

Anjos na Terra
Minha irmã e eu agradecemos, do fundo do coração, à equipe de enfermagem e médicos da ‘ala vermelha’ e da ‘ala amarela’ da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Central de Santo André por todo carinho e dedicação com que atenderam minha mãe nos últimos oito dias, não medindo esforços para tornarem seus últimos dias de vida o mais confortável possível. Vocês foram anjos nesses momentos de tanta dor e sofrimento. Jamais esqueceremos. Deus abençoe vocês.
Débora Maria B. Romão de Moraes
Santo André

Fundação
A alegação para as dispensas de 35 professores na Fundação Santo André, a meu ver, é inaceitável e ilegal por ferir o conceito de direito adquirido. Interessante que no site da referida Fundação está publicado edital para concurso público para o preenchimento de vagas de professores em 51 áreas de atuação. A remuneração para docente de Nível Superior é de R$ 37,78 por aula e a prova será realizada no dia 20 de janeiro. Fica aqui questionamento. Por que será que esses 35 professores foram úteis à FSA, mesmo sem prestarem concurso, até o dia 20? E o mais impressionante, segundo reportagem deste Diário (Setecidades, dia 27), é que os demitidos não terão direito a nenhum tipo de remuneração indenizatória. O mais correto, a meu ver, seria reunir os 35 professores e explicar-lhes de possíveis ilegalidades e promover concurso interno para regularizar a situação. Talvez se isso tivesse acontecido, o professor Roque Roberto Amighini ainda estaria vivo e tido a oportunidade de passar Natal feliz ao lado de seus familiares.
Arlindo Ligeirinho Ribeiro
Diadema

Aquietaram-se?
Engraçado é ver que aparecem histórias de corrupção na família do fascista eleito e seus defensores aqui desta coluna calaram-se. Até então, o admirador do militarismo era o ‘exemplo’ no combate à corrupção, homem ‘ilibado’, ‘correto’. Além desse fato, está nomeando gente envolvida até o pescoço em falcatruas, trabalhava com ‘fantasma’, é preconceituoso e vai acabar com direitos dos trabalhadores. O mundo dá voltas. A máscara caiu e o pior cego é o que não quer ver.
Sérgio Praxedes
Rio Grande da Serra

Multa
Radar é exemplo do caça-níquel colocado no cruzamento das avenidas Humberto de Alencar Castelo Branco e Valentil dal Checo, no dia 13 de novembro, às 13h. Minha mulher, Maria Felicia Macedo Sarra Vandevelde, recebeu a notificação no dia 10 de dezembro. Tiramos foto dia 24, às 14h, andando atrás de ônibus, mostrando que o semáforo torna-se ‘invisível’ e está pessimamente colocado. Aliás, passando o semáforo vi que estava no amarelo! Também já fui multado, assim como muitos motoristas. A sinalização horizontal também é inexistente, e isso vale para toda a Castelo Branco. Quando a Prefeitura de São Bernardo vai parar de multar inocentes e colocar sinalização do trânsito em dia? A sinalização em todas as obras – semiacabadas e cheias de buracos – é inexistente.
Serge R. Vandevelde
São Bernardo 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;