Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

A São Caetano dos leiteiros e verdureiros e...

Aos 75 anos, Izidoro Herrador volta à infância e juventude de entregador de pão pelas vilas semeadas numa cidade que explodia urbanisticamente


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

19/01/2009 | 00:00


Aos 75 anos, Izidoro Herrador volta à infância e juventude de entregador de pão pelas vilas semeadas numa cidade que explodia urbanisticamente, mas que não tinha padarias. Entregadores de pão sempre existiram, em São Caetano e outras cidades, numa atividade que alcançou os anos 1950 e 1960. O ofício chegou ao fim com a urbanização.

Tocamos nesse assunto com o senhor Izidoro na entrevista que fizemos. Concordamos que seria um sonho descobrir os entregadores de pão anteriores a ele. Quem entregava pão na São Caetano dos anos 1930, 1920, 1910?

Izidoro conviveu com outros profissionais do gênero, como os leiteiros e verdureiros. Os primeiros leiteiros da Rua Olinda, por exemplo, foram dona Dolores e ‘seo' Antonio, da família Arrebola, e seus filhos Antonio, Rafael e Pepe. Os Arrebola mantinham 20 vacas leiteiras que eram levadas a pastar nas várzeas dos Parentes, às margens do Ribeirão dos Meninos.

Zé Maria era um verdureiro com chácara na Rua Espírito Santo, esquina com a Rua Casimiro de Abreu. E Izidoro Herrador, entregador de pão. Os fregueses encomendavam o filão, a bengala ou o almofadinha. Pãozinho era uma exceção. Nas padarias encontravam-se os pães de água, de cerveja e a panhoca, que era um pão redondo semelhante ao italiano de hoje.

No tempo da guerra, o pão era racionado. Cinquenta gramas diárias para cada pessoa. Fazia-se pão de mandioca, também chamado de pão de guerra, cujo ingrediente básico era a farinha de arroz. Tempos difíceis, de uma São Caetano em formação, ainda horizontal. De qualquer forma, saudosa São Caetano.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;