Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Ronaldo Lacerda culpa PT por derrotas e ironiza: ‘Filippi era o bambambã’

Vereador, que rivalizou com ex-prefeito, acusa diretório de ser omisso


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

23/11/2018 | 07:00


Derrotado na eleição para deputado federal em outubro, o vereador Ronaldo Lacerda (PT), de Diadema, culpou a direção do partido na cidade pelo seu próprio revés e também do ex-prefeito José de Filippi Júnior (PT), que, da mesma forma, tentou, sem sucesso, vaga na Câmara Federal.

Para o parlamentar, conhecido por discursos críticos aos correligionários, o PT diademense “foi omisso” ao permitir a existência de três candidaturas para um mesmo cargo. No caso, Lacerda também contabiliza o projeto de Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT), que há dois anos mudou seu domicílio eleitoral para Diadema e, no mês passado, foi reeleito para o quinto mandato consecutivo. “Quem errou foi o partido. O PT tem que começar a ter projeto para a cidade, é um absurdo o partido deixar três candidaturas (de uma mesma cidade para disputar o mesmo cargo). Não dá para negar isso. Não dá para o forasteiro vir e depois ficar correndo às escondidas. Foram três candidaturas e nenhuma foi discutida pelo partido”, disparou o parlamentar, que tentou negociar, internamente, a retirada do projeto neste ano em troca de apoio à candidatura a prefeito, em 2020. “O que atrapalhou foi a falta de projetos. Já que não era para ser candidato agora, teria espaço em 2020? O problema é a intransigência das pessoas, que querem 2018, querem 2020 e aí não tem espaço político para ninguém mais. Então não existe projeto. Se o projeto que tem é de pessoas, como vamos eleger um deputado federal que vai abandonar o mandato em dois anos para ser candidato a prefeito?”, criticou Lacerda, em referência a possível candidatura de Filippi a prefeito no pleito de daqui dois anos. “Minha candidatura não foi imposta, ela foi colocada porque eu fui o vereador mais votado do PT, em 2012, quatro anos depois fui reeleito como o mais votado da cidade e o mais votado do PT no Grande ABC e o partido não tinha nenhum projeto para mim.”

Lacerda, que dos 15.868 votos que recebeu, 12.568 foram em Diadema, ainda ironizou o desempenho de Filippi. “O Filippi era o bambambã, (contavam) que ele já estava eleito. Não foi o que a urna mostrou. (Isso ocorreu porque) Já passou o tempo, as pessoas querem renovação, as pessoas querem mudança. Se eu tivesse 10% do recurso que ele teve na campanha, tinha sido mais votado que ele.”

O ex-prefeito teve 43.382 votos, sendo 25.985 no município que governou de 1993 a 1996, de 2001 a 2004 e de 2005 a 2008. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ronaldo Lacerda culpa PT por derrotas e ironiza: ‘Filippi era o bambambã’

Vereador, que rivalizou com ex-prefeito, acusa diretório de ser omisso

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

23/11/2018 | 07:00


Derrotado na eleição para deputado federal em outubro, o vereador Ronaldo Lacerda (PT), de Diadema, culpou a direção do partido na cidade pelo seu próprio revés e também do ex-prefeito José de Filippi Júnior (PT), que, da mesma forma, tentou, sem sucesso, vaga na Câmara Federal.

Para o parlamentar, conhecido por discursos críticos aos correligionários, o PT diademense “foi omisso” ao permitir a existência de três candidaturas para um mesmo cargo. No caso, Lacerda também contabiliza o projeto de Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT), que há dois anos mudou seu domicílio eleitoral para Diadema e, no mês passado, foi reeleito para o quinto mandato consecutivo. “Quem errou foi o partido. O PT tem que começar a ter projeto para a cidade, é um absurdo o partido deixar três candidaturas (de uma mesma cidade para disputar o mesmo cargo). Não dá para negar isso. Não dá para o forasteiro vir e depois ficar correndo às escondidas. Foram três candidaturas e nenhuma foi discutida pelo partido”, disparou o parlamentar, que tentou negociar, internamente, a retirada do projeto neste ano em troca de apoio à candidatura a prefeito, em 2020. “O que atrapalhou foi a falta de projetos. Já que não era para ser candidato agora, teria espaço em 2020? O problema é a intransigência das pessoas, que querem 2018, querem 2020 e aí não tem espaço político para ninguém mais. Então não existe projeto. Se o projeto que tem é de pessoas, como vamos eleger um deputado federal que vai abandonar o mandato em dois anos para ser candidato a prefeito?”, criticou Lacerda, em referência a possível candidatura de Filippi a prefeito no pleito de daqui dois anos. “Minha candidatura não foi imposta, ela foi colocada porque eu fui o vereador mais votado do PT, em 2012, quatro anos depois fui reeleito como o mais votado da cidade e o mais votado do PT no Grande ABC e o partido não tinha nenhum projeto para mim.”

Lacerda, que dos 15.868 votos que recebeu, 12.568 foram em Diadema, ainda ironizou o desempenho de Filippi. “O Filippi era o bambambã, (contavam) que ele já estava eleito. Não foi o que a urna mostrou. (Isso ocorreu porque) Já passou o tempo, as pessoas querem renovação, as pessoas querem mudança. Se eu tivesse 10% do recurso que ele teve na campanha, tinha sido mais votado que ele.”

O ex-prefeito teve 43.382 votos, sendo 25.985 no município que governou de 1993 a 1996, de 2001 a 2004 e de 2005 a 2008. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;