Fechar
Publicidade

Sábado, 23 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Catequina


Leo Kahn

16/11/2018 | 07:00


Polifenól do grupo dos bioflavonoides, possui importante ação antioxidante e anti-inflamatória, presente em frutas, vegetais e flores. Quando está presente no organismo e encontra um radical livre, reage com o mesmo, evitando a oxidação de células sadias.

O tanino dessa molécula é melhor antioxidante do que somente o flavonoide da mesma, pois é formado por três estruturas de catequina, conseguindo atuar sobre três radicais livres ao mesmo tempo, e os produtos dessa reação são compostos denominados quinonas.

Outros benefícios:
Previne doenças cardiovasculares

Auxilia na quelação de íons metálicos

Atua na inibição da oxidação das LDL (lipoproteínas plasmáticas de baixa densidade transportadoras do colesterol)

Neutraliza radicais livres

Regenera a vitamina E

Inibe a agregação plaquetária

Protege o aparelho vascular por interação com cadeias peptídicas de colágeno e elastina que revestem os vasos sanguíneos

Exibem ação protetora tumoral e antiage

Saiba mais:


Já foram identificados mais de 5.000 diferentes flavonoides.

Existem outras fontes de antioxidantes exógenos, que são os casos da vitamina A e C (ácido ascórbico).

Ambas possuem em sua estrutura hidroxilas, que, assim como os fenóis, têm facilidade de perder um hidrogênio e oxidar.

Outra característica que vale ressaltar sobre taninos é a capacidade que têm de reagirem com proteínas.

Esta associação tem diversas funções, sendo a principal delas a inibição enzimática.

Quando ingerimos taninos presentes em alguns alimentos, que é o caso do vinho, sentimos um sabor adstringente.

Isso ocorre porque as catequinas e os demais taninos do vinho reagem com as enzimas salivares, as inibindo e formando um complexo tanino/proteína.

Outro exemplo é a ação antimicrobiana desses compostos.

Os taninos condensados são capazes de reagir com as enzimas responsáveis pela catálise de transporte de nutrientes de algumas bactérias.

Quando essa reação acontece, essa enzima torna-se inativa e, portanto, resulta na falta de nutrientes para a bactéria.

Compostos polifenólicos de mais baixo peso molecular, como as catequinas, são capazes de atravessar diretamente a barreira intestinal.

A catequina está presente no chá verde e lhe confere o famoso sabor amargo.

Estão presentes em grande concentração em alimentos vegetais que fazem parte da dieta mediterrânea.

O vinho tinto e as uvas possuem uma capacidade antioxidante mais potente que os polifenóis puros. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Catequina

Leo Kahn

16/11/2018 | 07:00


Polifenól do grupo dos bioflavonoides, possui importante ação antioxidante e anti-inflamatória, presente em frutas, vegetais e flores. Quando está presente no organismo e encontra um radical livre, reage com o mesmo, evitando a oxidação de células sadias.

O tanino dessa molécula é melhor antioxidante do que somente o flavonoide da mesma, pois é formado por três estruturas de catequina, conseguindo atuar sobre três radicais livres ao mesmo tempo, e os produtos dessa reação são compostos denominados quinonas.

Outros benefícios:
Previne doenças cardiovasculares

Auxilia na quelação de íons metálicos

Atua na inibição da oxidação das LDL (lipoproteínas plasmáticas de baixa densidade transportadoras do colesterol)

Neutraliza radicais livres

Regenera a vitamina E

Inibe a agregação plaquetária

Protege o aparelho vascular por interação com cadeias peptídicas de colágeno e elastina que revestem os vasos sanguíneos

Exibem ação protetora tumoral e antiage

Saiba mais:


Já foram identificados mais de 5.000 diferentes flavonoides.

Existem outras fontes de antioxidantes exógenos, que são os casos da vitamina A e C (ácido ascórbico).

Ambas possuem em sua estrutura hidroxilas, que, assim como os fenóis, têm facilidade de perder um hidrogênio e oxidar.

Outra característica que vale ressaltar sobre taninos é a capacidade que têm de reagirem com proteínas.

Esta associação tem diversas funções, sendo a principal delas a inibição enzimática.

Quando ingerimos taninos presentes em alguns alimentos, que é o caso do vinho, sentimos um sabor adstringente.

Isso ocorre porque as catequinas e os demais taninos do vinho reagem com as enzimas salivares, as inibindo e formando um complexo tanino/proteína.

Outro exemplo é a ação antimicrobiana desses compostos.

Os taninos condensados são capazes de reagir com as enzimas responsáveis pela catálise de transporte de nutrientes de algumas bactérias.

Quando essa reação acontece, essa enzima torna-se inativa e, portanto, resulta na falta de nutrientes para a bactéria.

Compostos polifenólicos de mais baixo peso molecular, como as catequinas, são capazes de atravessar diretamente a barreira intestinal.

A catequina está presente no chá verde e lhe confere o famoso sabor amargo.

Estão presentes em grande concentração em alimentos vegetais que fazem parte da dieta mediterrânea.

O vinho tinto e as uvas possuem uma capacidade antioxidante mais potente que os polifenóis puros. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;