Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 25 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Contraproposta


Maria Sartori
gerente sênior da empresa de recrutamento Robert Half

13/11/2018 | 07:07


Imagine a situação: você não encontra mais motivação para ir trabalhar, resolve procurar outra oportunidade, encontra, recebe a proposta e aceita. Porém, ao comunicar seu atual empregador, ele oferece um aumento de salário em troca da sua permanência. Ótima notícia, certo? Errado! Para o bem da sua carreira, não aceite a contraproposta. Ela só faz bem para o ego momentaneamente e vou te explicar alguns motivos.

1. Costuma ser uma estratégia emergencial da empresa – Alguns empregadores aumentam o salário de quem manifesta desejo de sair por receio de ficar com a vaga em aberto de uma hora para outra. Alguns deles, sabendo da insatisfação do funcionário, iniciam a busca por um novo profissional. Uma pesquisa da Robert Half apontou que 85% dos colaboradores que aceitaram uma contraproposta acabaram se desligando da empresa seis meses depois, demitidos ou por vontade própria.

2. Seu salário tende a estagnar – Como não estava nos planos da empresa te dar aumento, é possível que você fique bom tempo com essa mesma remuneração. Além disso, por ter recebido um incremento acima da média para o cargo que ocupa, você vai se tornar profissional caro para o mercado, dificultando futuras movimentações.

3. É possível que você volte a pedir demissão – Se você estava procurando emprego é porque algo na empresa atual estava te incomodando. As estatísticas mostram que, em geral, o salário não é o principal motivo que leva uma pessoa a pedir demissão. Na lista, entram outros fatores, como mau relacionamento com o chefe, baixa aderência à cultura da empresa ou insatisfação com o clima organizacional, entre outros. Ou seja, assim que a nova remuneração não for mais novidade, é possível que a insatisfação volte a te atormentar.

4. Sua reputação poderá ficar manchada – Independentemente do que o seu empregador diga no momento da contraproposta, você corre o risco de ser visto como alguém que pode pedir demissão novamente a qualquer momento, que direciona a carreira apenas por questões salariais ou que utiliza pedido de demissão para conseguir aumento salarial ou promoção. Quanto ao gestor que desejava de contratar, é muito provável que você saia definitivamente da lista de opções dele.

5. Diante de uma necessidade de cortes, é possível que seu nome esteja na lista – Muitos empregadores questionam a lealdade de um profissional que pediu demissão e voltou atrás após ser atraído por uma contraproposta. Por essa razão, diante da necessidade de cortes, não hesitam em colocar o nome desse profissional na lista de possibilidades.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Contraproposta

Maria Sartori
gerente sênior da empresa de recrutamento Robert Half

13/11/2018 | 07:07


Imagine a situação: você não encontra mais motivação para ir trabalhar, resolve procurar outra oportunidade, encontra, recebe a proposta e aceita. Porém, ao comunicar seu atual empregador, ele oferece um aumento de salário em troca da sua permanência. Ótima notícia, certo? Errado! Para o bem da sua carreira, não aceite a contraproposta. Ela só faz bem para o ego momentaneamente e vou te explicar alguns motivos.

1. Costuma ser uma estratégia emergencial da empresa – Alguns empregadores aumentam o salário de quem manifesta desejo de sair por receio de ficar com a vaga em aberto de uma hora para outra. Alguns deles, sabendo da insatisfação do funcionário, iniciam a busca por um novo profissional. Uma pesquisa da Robert Half apontou que 85% dos colaboradores que aceitaram uma contraproposta acabaram se desligando da empresa seis meses depois, demitidos ou por vontade própria.

2. Seu salário tende a estagnar – Como não estava nos planos da empresa te dar aumento, é possível que você fique bom tempo com essa mesma remuneração. Além disso, por ter recebido um incremento acima da média para o cargo que ocupa, você vai se tornar profissional caro para o mercado, dificultando futuras movimentações.

3. É possível que você volte a pedir demissão – Se você estava procurando emprego é porque algo na empresa atual estava te incomodando. As estatísticas mostram que, em geral, o salário não é o principal motivo que leva uma pessoa a pedir demissão. Na lista, entram outros fatores, como mau relacionamento com o chefe, baixa aderência à cultura da empresa ou insatisfação com o clima organizacional, entre outros. Ou seja, assim que a nova remuneração não for mais novidade, é possível que a insatisfação volte a te atormentar.

4. Sua reputação poderá ficar manchada – Independentemente do que o seu empregador diga no momento da contraproposta, você corre o risco de ser visto como alguém que pode pedir demissão novamente a qualquer momento, que direciona a carreira apenas por questões salariais ou que utiliza pedido de demissão para conseguir aumento salarial ou promoção. Quanto ao gestor que desejava de contratar, é muito provável que você saia definitivamente da lista de opções dele.

5. Diante de uma necessidade de cortes, é possível que seu nome esteja na lista – Muitos empregadores questionam a lealdade de um profissional que pediu demissão e voltou atrás após ser atraído por uma contraproposta. Por essa razão, diante da necessidade de cortes, não hesitam em colocar o nome desse profissional na lista de possibilidades.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;