Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 15 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Fed mantém taxa de juros inalterada na faixa entre 2,00% e 2,25%



08/11/2018 | 17:20


Os membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) decidiram, por unanimidade, manter a taxa dos Fed funds inalterada na faixa entre 2,00% e 2,25% nesta quinta-feira. A manutenção dos juros era largamente esperada por analistas e pelo mercado financeiro.

Ao justificar a decisão, o Fed afirmou, em comunicado, que as informações recebidas desde a reunião do início de agosto indicam que o mercado de trabalho dos EUA continuou a ganhar fôlego e que a atividade americana apresenta expansão a um ritmo "forte". Além disso, o banco central notou que a taxa de desemprego caiu, efetuando uma leve alteração ao relação ao comunicado anterior, quando o Fed havia apontado que a taxa de desemprego continuava em ritmos baixos.

No início deste mês, o relatório de empregos do país mostrou que o salário médio por hora do trabalhador americano avançou 3,1% na comparação anual de outubro, no ritmo mais acelerado no atual ciclo de expansão econômica, enquanto a taxa de desemprego está em 3,7%, no menor nível em 49 anos. Em seu comunicado, a autoridade monetária dos EUA apontou que os ganhos de emprego têm sido fortes, em média, nos meses recentes. Além disso, o Fed afirmou que os gastos das famílias continuaram em níveis fortes, enquanto o crescimento dos investimentos fixos das empresas apresentou moderação em relação ao ritmo acelerado visto no início do ano.

Quanto à inflação, o banco central pontuou que tanto o índice global de preços ao consumidor quanto o núcleo do indicador, que exclui itens como alimentos e energia, permanecem próximos da meta de 2% estabelecida pelo próprio Fed. O indicador de inflação acompanhado de perto pela autoridade monetária americana, o núcleo do índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) atingiu 2,0% na comparação anual de setembro, indo ao encontro da meta do banco central.

Ainda no documento, o Federal Reserve reiterou que espera aumentar as taxas de juros de maneira gradual, o que seria "consistente com a expansão sustentada da atividade econômica, condições fortes do mercado de trabalho e inflação próxima da meta de 2%". Além disso, de acordo com o banco central, os riscos para a perspectiva econômica parecem "mais ou menos equilibrados".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;