Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Celular quebrado? Confira guia básico para economizar no conserto

Marcella Blass

06/11/2018 | 10:18


Vidro trincado, bateria que não sustenta a carga ou carregador quebrado são alguns dos problemas que podem afetar qualquer pessoa que tenha um smartphone. Mas nem sempre a primeira solução é trocar de aparelho ou pagar preços altíssimos no conserto. A sócia e técnica da Fix Online, Tatiana Moura, preparou um guia com os procedimentos corretos a serem seguidos – e que te ajudarão a economizar um dinheirão.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Quando é necessário trocar o vidro e tela do celular?

Um dos acidentes mais comuns com celulares é a queda do aparelho, que costuma quebrar o vidro ou tela do telefone. Quando isso acontece, o consumidor tende a entrar em desespero, achando que terá que trocar tudo e pagar um absurdo pelo serviço.

Mas a técnica da Fix Online, empresa especialista em troca de vidro e tela de celulares, faz um alerta. “Apesar da grande maioria das assistências trocarem tudo, em 95% dos casos a quebra é apenas do vidro, não do LCD”, revela. A troca somente do vidro, gera uma economia de 70% no orçamento.

Para saber se há a necessidade de fazer a troca completa, Tatiana dá três dicas valiosas “Se a tela estiver sem manchas, sem riscos e com o touch funcionando normalmente, não há a necessidade de trocar o LCD”, conta.

Mas se houver a necessidade de um novo vidro e tela, para que o consumidor saiba se o conserto valerá a pena, em termos de custo, basta fazer um conta. “Se a troca custar até 30% do valor aparelho, compensa”, afirma.

O carregador quebrou: vale a pena comprar um muito baratinho?

“Em hipótese alguma, deve-se comprar um carregador que não seja de boa qualidade ou sem garantia”, aconselha Tatiana. O item pode causar sérios danos ao celular, como provocar encaixes imperfeitos, inchaço da bateria e superaquecimento do conector de carga, além de colocar a vida do usuário em risco, já que ele não possui sistemas de segurança embutido, podendo causar explosões, choques e incêndios.

Outra questão que a técnica da Fix Online destaca é a economia a longo prazo que um carregador de procedência proporciona. “Um carregador de baixa qualidade tem vida curta, então por mais que se pague barato nele, em questão de dias será necessário trocá-lo de novo”, explica.

O uso do carregador de baixa qualidade também pode ocasionar na perda de eficiência da bateria do celular. “Um bom carregador entende quando a bateria do aparelho está cheia e para, automaticamente, de enviar energia pra ela. Já os outros continuam mandando energia o tempo todo em que o celular estiver conectado na tomada, o que prejudicará a vida útil da bateria”, aponta Tatiana.

Quando é a hora de trocar a bateria do celular por uma nova?

De acordo com a técnica da Fix Online, a bateria de um celular possui 500 ciclos e toda vez que o carregamento atinge 100%, elas vão diminuindo. “As pessoas têm o costume de colocar o celular na tomada, mesmo quando ele está com uma porcentagem alta de bateria. Porém, o ideal deixá-la acabar por completo para depois carregá-lo. É uma forma de não desperdiçar as cargas”, explica.

Quando a bateria não sustentar mais a carga, ficar estufada ou o celular aquecer demais, são sinais que está na hora de trocá-la. “É preciso observar essas questões, porque vai chegar uma hora que o celular não irá mais ligar. Então o ideal é trocar a bateria o quanto antes”, indica Tatiana. Mas neste caso, assim como o carregador, o indicado é sempre optar por peças originais, assim evita-se gastos desnecessários no futuro.

O celular não para de travar, é hora de trocar o aparelho?

Não é incomum encontrar pessoas que trocaram de aparelho porque o antigo começou a travar. Porém, Tatiana afirma que, às vezes, alguns procedimentos bastam para resolver o problema. “Se o celular começar a sofrer congelamentos repentinos, antes de decidir pela troca do aparelho, é indicado investigar os motivos disso estar acontecendo”, conta.

Para descobrir a origem do problema, o ideal é sempre verificar em configurações, como está o armazenamento do celular. Desta forma será possível verificar a memória que já foi usada, o quanto ainda está livre e o espaço que cada aplicativo está ocupando.

Outra questão que pode fazer com que o celular trave constantemente é ter um sistema operacional desatualizado. “Essa é uma questão de mão dupla. Ao mesmo tempo que um sistema atualizado consegue corrigir falhas que ocasionam no congelamento do celular, se o aparelho for muito antigo, ele não suportará a atualização devido ao peso. Neste caso, é a hora de trocar o aparelho”, finaliza Tatiana.

Leia mais:
Película de vidro ou de silicone: teste mostra qual é a melhor opção para o seu smartphone
Veja os smartphones mais desejados do começo de 2018

Confira todos os dispositivos já testados pelo 33Giga:

 
 

  • Sony_Xperia XZ2_Preto
  • Fone JBL T450BT. O teste completo em https://wp.me/p7AVMp-eKM
  • Testamos: por R$ 330, caixa de som Pulse é resistente à água e dura mais de cinco horas

<
>

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;