Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Camelôs voltam a protestar na 25 de Março



01/08/2003 | 00:50


A segunda manifestação dos camelôs, na rua 25 de Março, no Centro de São Paulo, terminou de forma tranqüila. Na madrugada, porém, o cerco aos ambulantes havia resultado na apreensão de cinco ônibus com mercadorias contrabandeadas e 41 pessoas detidas. Uma nova passeata está marcada para nesta sexta-feira, às 10h, com destino ao Palácio das Indústrias, onde funciona a prefeitura de São Paulo. Os manifestantes querem uma reunião com a prefeita Marta Suplicy.

"Vamos organizar a categoria para formar uma frente forte de luta", afirmou o presidente da Comissão de Ambulantes da Avenida Paulista, Jair Martins de Andrade, prometendo mais atos públicos, entre eles uma passeata e um panelaço na Paulista.

A passeata de quinta-feira, que reuniu 300 pessoas, segundo os organizadores – de acordo com a PM, foram cem –, começou às 10h, na rua 25 de Março, foi até a praça da Sé e terminou em um apitaço na rua Comendador Afonso Kherlakian, uma hora mais tarde.

A maioria dos comerciantes manteve as lojas abertas e a polícia não precisou interferir. Sete carros e 30 integrantes da Força Tática da PM estavam no local.

Um dos manifestantes, que se identificou como Marreteiro, fala em "tombar" a rua. "Vamos formar uma comissão, falar com a Marta e pedir o tombamento da 25 de Março, para fazer um grande camelódromo"', disse. Ele sugeriu a redução do tamanho das bancas, para poder acomodar todos os camelôs.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Camelôs voltam a protestar na 25 de Março


01/08/2003 | 00:50


A segunda manifestação dos camelôs, na rua 25 de Março, no Centro de São Paulo, terminou de forma tranqüila. Na madrugada, porém, o cerco aos ambulantes havia resultado na apreensão de cinco ônibus com mercadorias contrabandeadas e 41 pessoas detidas. Uma nova passeata está marcada para nesta sexta-feira, às 10h, com destino ao Palácio das Indústrias, onde funciona a prefeitura de São Paulo. Os manifestantes querem uma reunião com a prefeita Marta Suplicy.

"Vamos organizar a categoria para formar uma frente forte de luta", afirmou o presidente da Comissão de Ambulantes da Avenida Paulista, Jair Martins de Andrade, prometendo mais atos públicos, entre eles uma passeata e um panelaço na Paulista.

A passeata de quinta-feira, que reuniu 300 pessoas, segundo os organizadores – de acordo com a PM, foram cem –, começou às 10h, na rua 25 de Março, foi até a praça da Sé e terminou em um apitaço na rua Comendador Afonso Kherlakian, uma hora mais tarde.

A maioria dos comerciantes manteve as lojas abertas e a polícia não precisou interferir. Sete carros e 30 integrantes da Força Tática da PM estavam no local.

Um dos manifestantes, que se identificou como Marreteiro, fala em "tombar" a rua. "Vamos formar uma comissão, falar com a Marta e pedir o tombamento da 25 de Março, para fazer um grande camelódromo"', disse. Ele sugeriu a redução do tamanho das bancas, para poder acomodar todos os camelôs.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;