Fechar
Publicidade

Sábado, 20 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

TRE-SP cria ferramenta para evitar efeito fake news

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Órgão implantou telefone para reduzir impacto de notícias falsas na data do segundo turno


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

25/10/2018 | 07:00


O TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) criou mecanismo na tentativa de minimizar o impacto das fake news no dia do segundo turno da eleição, marcado para domingo. O órgão disponibilizou um número de telefone – com WhatsApp – que será utilizado pelos próprios funcionários do tribunal com o objetivo de encaminhar conteúdo oficial com posicionamentos e esclarecimentos da Justiça Eleitoral que visam combater notícias falsas na data derradeira do pleito.

Isso quer dizer que assim que os conteúdos forem passados para os funcionários dos cartórios, em seus telefones pessoais, os colaboradores poderão compartilhar com seus contatos particulares, disseminando informação real que rebata as notícias falsas. “Sofremos muito com a questão das fake news no primeiro turno. Não esperávamos tamanho movimento de desinformação. Para mim, esta foi a eleição mais difícil da qual participei”, sustentou Kelly Gonçalves Silva Basseto, chefe de cartório eleitoral da 306ª Zona Eleitoral de Santo André.

Conforme conteúdo dirigido somente aos funcionários do tribunal, o órgão descreve que as urnas eletrônicas estão sendo alvo de “ataques sem precedentes”. “Neste momento, na reta final do segundo turno das eleições de 2018, o TRE-SP o convida a contribuir para disseminar informação correta sobre o sistema eletrônico de votação e totalização, compartilhando mensagens em formatos diversos, como vídeos e textos”, diz a mensagem.

De acordo com Kelly, esse mecanismo é apenas mais um utilizado para garantir a lisura do processo eleitoral, assim como a confiabilidade das urnas eletrônicas. “Um dos objetivos é o de acalmar o eleitor. Se por um acaso uma fake news cair na rede, um conteúdo oficial poderá aparecer para desmentir aquela desinformação”, explicou a chefe do cartório. “Sabemos que as fake news podem sugestionar o eleitor”, complementou.

No primeiro turno, por exemplo, um eleitor de Minas Gerais afirmou que ao digitar a tecla número 1 da urna, automaticamente aparecia a foto do presidenciável do PT, Fernando Haddad. O vídeo viralizou e colocou em dúvida, mesmo que momentaneamente, o sistema utilizado. Perito foi contratado e atestou que a imagem era montagem.

URNA

A equipe do Diário acompanhou os procedimentos para verificação de funcionamento das urnas eletrônicas. Antes de chegar nas seções eleitorais, o dispositivo passa por 16 etapas de averiguação e só segue para votação se todos os passos estiverem aprovados.

No momento em que a equipe do Diário assistia aos testes no local, uma das urnas apresentou problema de identificação de biometria – que não é obrigatória na cidade – e, prontamente, a chefe do cartório efetivou chamada para manutenção do equipamento, que tem que ser realizada em 48 horas. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

TRE-SP cria ferramenta para evitar efeito fake news

Órgão implantou telefone para reduzir impacto de notícias falsas na data do segundo turno

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

25/10/2018 | 07:00


O TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) criou mecanismo na tentativa de minimizar o impacto das fake news no dia do segundo turno da eleição, marcado para domingo. O órgão disponibilizou um número de telefone – com WhatsApp – que será utilizado pelos próprios funcionários do tribunal com o objetivo de encaminhar conteúdo oficial com posicionamentos e esclarecimentos da Justiça Eleitoral que visam combater notícias falsas na data derradeira do pleito.

Isso quer dizer que assim que os conteúdos forem passados para os funcionários dos cartórios, em seus telefones pessoais, os colaboradores poderão compartilhar com seus contatos particulares, disseminando informação real que rebata as notícias falsas. “Sofremos muito com a questão das fake news no primeiro turno. Não esperávamos tamanho movimento de desinformação. Para mim, esta foi a eleição mais difícil da qual participei”, sustentou Kelly Gonçalves Silva Basseto, chefe de cartório eleitoral da 306ª Zona Eleitoral de Santo André.

Conforme conteúdo dirigido somente aos funcionários do tribunal, o órgão descreve que as urnas eletrônicas estão sendo alvo de “ataques sem precedentes”. “Neste momento, na reta final do segundo turno das eleições de 2018, o TRE-SP o convida a contribuir para disseminar informação correta sobre o sistema eletrônico de votação e totalização, compartilhando mensagens em formatos diversos, como vídeos e textos”, diz a mensagem.

De acordo com Kelly, esse mecanismo é apenas mais um utilizado para garantir a lisura do processo eleitoral, assim como a confiabilidade das urnas eletrônicas. “Um dos objetivos é o de acalmar o eleitor. Se por um acaso uma fake news cair na rede, um conteúdo oficial poderá aparecer para desmentir aquela desinformação”, explicou a chefe do cartório. “Sabemos que as fake news podem sugestionar o eleitor”, complementou.

No primeiro turno, por exemplo, um eleitor de Minas Gerais afirmou que ao digitar a tecla número 1 da urna, automaticamente aparecia a foto do presidenciável do PT, Fernando Haddad. O vídeo viralizou e colocou em dúvida, mesmo que momentaneamente, o sistema utilizado. Perito foi contratado e atestou que a imagem era montagem.

URNA

A equipe do Diário acompanhou os procedimentos para verificação de funcionamento das urnas eletrônicas. Antes de chegar nas seções eleitorais, o dispositivo passa por 16 etapas de averiguação e só segue para votação se todos os passos estiverem aprovados.

No momento em que a equipe do Diário assistia aos testes no local, uma das urnas apresentou problema de identificação de biometria – que não é obrigatória na cidade – e, prontamente, a chefe do cartório efetivou chamada para manutenção do equipamento, que tem que ser realizada em 48 horas. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;