Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Vicunha demite 400 trabalhadores no Ceará


Do Diário OnLine

02/06/2001 | 13:54


A Vicunha, maior indústria têxtil do Ceará, anunciou na sexta-feira a demissão de 400 funcionários devido à crise energética, segundo informações do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias em Fiação e Tecelagem (Sindtêxtil).

De acordo com a Sindtêxtil, a direção do grupo afirmou que não tem como manter o mesmo quadro de funcionários apresentando quede na produção.

O diretor do Sindicato das Indústrias Têxteis do Ceará, Ivan Bezerra Filho, afirmou que se o Nordeste tiver que economizar energia, não restará outra alternativa a não ser demissões.

A escolha dos funcionários a serem demitidos foram aleatórias, atingindo mulheres grávidas e trabalhadores com mais de 40 anos, que terão dificuldades para encontrar outra vaga no mercado de trabalho.

O grupo vai realizar uma assembléia na próxima terça-feira, às 15 horas, para tentar reverter a situação.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vicunha demite 400 trabalhadores no Ceará

Do Diário OnLine

02/06/2001 | 13:54


A Vicunha, maior indústria têxtil do Ceará, anunciou na sexta-feira a demissão de 400 funcionários devido à crise energética, segundo informações do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias em Fiação e Tecelagem (Sindtêxtil).

De acordo com a Sindtêxtil, a direção do grupo afirmou que não tem como manter o mesmo quadro de funcionários apresentando quede na produção.

O diretor do Sindicato das Indústrias Têxteis do Ceará, Ivan Bezerra Filho, afirmou que se o Nordeste tiver que economizar energia, não restará outra alternativa a não ser demissões.

A escolha dos funcionários a serem demitidos foram aleatórias, atingindo mulheres grávidas e trabalhadores com mais de 40 anos, que terão dificuldades para encontrar outra vaga no mercado de trabalho.

O grupo vai realizar uma assembléia na próxima terça-feira, às 15 horas, para tentar reverter a situação.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;