Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 25 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Alimentos funcionais


Leo Kahn

19/10/2018 | 07:00


 Alimentos funcionais oferecem vários benefícios à saúde, além de suas funções nutricionais básicas, podendo reduzir o risco de doenças crônicas degenerativas, como câncer, diabete e hipertensão, entre outras.

Combinam produtos comestíveis de alta flexibilidade com moléculas biologicamente ativas, corrigindo distúrbios metabólicos, resultando em redução dos riscos de doenças e a manutenção da saúde.

Os alimentos e ingredientes funcionais podem ser classificados em origem vegetal, animal ou quanto aos benefícios que oferecem.

Pertencem à classe da nutrologia e não da farmacologia, merecendo uma categoria própria, concentrado mais na redução dos riscos do que na prevenção.

 

No organismo atuam nas seguintes áreas:

Gastrointestinal

Cardiovascular

Metabolismo de substratos

Crescimento e desenvolvimento

Diferenciação celular

Antioxidantes

 

Saiba mais:

É necessário que o seu consumo seja regular a fim de alcançar seus benefícios.

Indicação de maior uso de vegetais, frutas e cereais integrais na alimentação regular, pois grande parte dos componentes ativos estudados se encontra nesses alimentos.

Substitua em parte o consumo de carne de vaca, embutidos e outros produtos à base de carne vermelha por soja e derivados (especialmente carne de soja e isolados proteicos de soja) ou peixes ricos em ômega 3.

O consumidor deve estar atento e procurar saber se o alimento teve sua eficácia avaliada por pesquisas sérias.

Esses alimentos funcionam quando fazem parte de uma dieta equilibrada, balanceada.

Um alimento para o controle do colesterol somente terá resultados positivos se a ingestão deste estiver associada a uma dieta pobre em gordura saturada e colesterol.

Não possuem contra indicação.

 

Principais compostos funcionais:

Isoflavonas – tem ação estrogênica (reduz sintomas da menopausa) e anticâncer (soja e derivados)

Proteínas de soja – reduzem níveis de colesterol ruim (soja e derivados)

Ácidos graxos ômega-3 – sua função é a redução do LDL; ação antinflamatória; indispensável para o desenvolvimento do cérebro e da retina de recém-nascidos (sardinha, salmão, atum, anchova, arenque etc.)

Ácido a-linolênico – estímulo do sistema imunológico e ação anti-inflamatória (óleos de linhaça, colza, soja, nozes e amêndoas)

Catequinas – atua no nível de colesterol, na incidência de certos tipos de câncer e estimula o sistema imunológico(chá verde, cereais, amoras, framboesas, mirtilo, uva-roxa e vinho tinto)

Licopeno – antioxidante e reduz o risco de certos tipos de câncer, como de próstata ( tomate e derivados, goiaba vermelha, pimentão vermelho e melancia)

Luteína e zeaxantina – ação antioxidante e protege contra degeneração macular (folhas verdes a luteína/ pequi e milho a zeaxantina)

Indóis e Isotiocianatos – indutores de enzimas protetoras contra o câncer, principalmente de mama (couve-flor, repolho, brócolis, couve-de-bruxelas, rabanete e mostarda)

Flavonoides – tem atividade anticâncer, vasodilatadora, anti-inflamatória e antioxidante (soja, frutas cítricas, tomate, pimentão, alcachofra e cereja)

Fibras solúveis e insolúveis – reduz risco de câncer de cólon; melhora o funcionamento intestinal. As solúveis podem ajudar no controle da glicemia e no tratamento da obesidade (cereais integrais como aveia, centeio, cevada, farelo de trigo e leguminosas como soja, feijão, ervilha etc.; hortaliças com talos, frutas com casca)

Prebióticos – fruto-oligossacarídeos, inulina: ativam a microflora intestinal, favorecendo o bom funcionamento do intestino (extraídos de vegetais como raiz de chicória e batata yacon)

Sulfetos alílicos (alilsulfetos) – redutor de colesterol e pressão sanguínea, melhoram o sistema imunológico e reduzem risco de câncer gástrico (alho e cebola)

Lignanas – auxiliam na inibição de tumores hormônio-dependentes (linhaça, noz moscada)

Tanino – antioxidante, antisséptico, vasoconstritor (maçã, sorgo, manjericão, manjerona, sálvia, uva e soja)

Estanóis e esteróis vegetais – diminui o risco de doenças cardiovasculares (extraídos de óleos vegetais como soja e de madeiras)

Probióticos – bífidobacterias e lactobacilos: auxiliam nas funções gastrointestinais, reduzindo o risco de constipação e câncer de cólon (leites fermentados, iogurtes e outros produtos lácteos fermentados).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alimentos funcionais

Leo Kahn

19/10/2018 | 07:00


 Alimentos funcionais oferecem vários benefícios à saúde, além de suas funções nutricionais básicas, podendo reduzir o risco de doenças crônicas degenerativas, como câncer, diabete e hipertensão, entre outras.

Combinam produtos comestíveis de alta flexibilidade com moléculas biologicamente ativas, corrigindo distúrbios metabólicos, resultando em redução dos riscos de doenças e a manutenção da saúde.

Os alimentos e ingredientes funcionais podem ser classificados em origem vegetal, animal ou quanto aos benefícios que oferecem.

Pertencem à classe da nutrologia e não da farmacologia, merecendo uma categoria própria, concentrado mais na redução dos riscos do que na prevenção.

 

No organismo atuam nas seguintes áreas:

Gastrointestinal

Cardiovascular

Metabolismo de substratos

Crescimento e desenvolvimento

Diferenciação celular

Antioxidantes

 

Saiba mais:

É necessário que o seu consumo seja regular a fim de alcançar seus benefícios.

Indicação de maior uso de vegetais, frutas e cereais integrais na alimentação regular, pois grande parte dos componentes ativos estudados se encontra nesses alimentos.

Substitua em parte o consumo de carne de vaca, embutidos e outros produtos à base de carne vermelha por soja e derivados (especialmente carne de soja e isolados proteicos de soja) ou peixes ricos em ômega 3.

O consumidor deve estar atento e procurar saber se o alimento teve sua eficácia avaliada por pesquisas sérias.

Esses alimentos funcionam quando fazem parte de uma dieta equilibrada, balanceada.

Um alimento para o controle do colesterol somente terá resultados positivos se a ingestão deste estiver associada a uma dieta pobre em gordura saturada e colesterol.

Não possuem contra indicação.

 

Principais compostos funcionais:

Isoflavonas – tem ação estrogênica (reduz sintomas da menopausa) e anticâncer (soja e derivados)

Proteínas de soja – reduzem níveis de colesterol ruim (soja e derivados)

Ácidos graxos ômega-3 – sua função é a redução do LDL; ação antinflamatória; indispensável para o desenvolvimento do cérebro e da retina de recém-nascidos (sardinha, salmão, atum, anchova, arenque etc.)

Ácido a-linolênico – estímulo do sistema imunológico e ação anti-inflamatória (óleos de linhaça, colza, soja, nozes e amêndoas)

Catequinas – atua no nível de colesterol, na incidência de certos tipos de câncer e estimula o sistema imunológico(chá verde, cereais, amoras, framboesas, mirtilo, uva-roxa e vinho tinto)

Licopeno – antioxidante e reduz o risco de certos tipos de câncer, como de próstata ( tomate e derivados, goiaba vermelha, pimentão vermelho e melancia)

Luteína e zeaxantina – ação antioxidante e protege contra degeneração macular (folhas verdes a luteína/ pequi e milho a zeaxantina)

Indóis e Isotiocianatos – indutores de enzimas protetoras contra o câncer, principalmente de mama (couve-flor, repolho, brócolis, couve-de-bruxelas, rabanete e mostarda)

Flavonoides – tem atividade anticâncer, vasodilatadora, anti-inflamatória e antioxidante (soja, frutas cítricas, tomate, pimentão, alcachofra e cereja)

Fibras solúveis e insolúveis – reduz risco de câncer de cólon; melhora o funcionamento intestinal. As solúveis podem ajudar no controle da glicemia e no tratamento da obesidade (cereais integrais como aveia, centeio, cevada, farelo de trigo e leguminosas como soja, feijão, ervilha etc.; hortaliças com talos, frutas com casca)

Prebióticos – fruto-oligossacarídeos, inulina: ativam a microflora intestinal, favorecendo o bom funcionamento do intestino (extraídos de vegetais como raiz de chicória e batata yacon)

Sulfetos alílicos (alilsulfetos) – redutor de colesterol e pressão sanguínea, melhoram o sistema imunológico e reduzem risco de câncer gástrico (alho e cebola)

Lignanas – auxiliam na inibição de tumores hormônio-dependentes (linhaça, noz moscada)

Tanino – antioxidante, antisséptico, vasoconstritor (maçã, sorgo, manjericão, manjerona, sálvia, uva e soja)

Estanóis e esteróis vegetais – diminui o risco de doenças cardiovasculares (extraídos de óleos vegetais como soja e de madeiras)

Probióticos – bífidobacterias e lactobacilos: auxiliam nas funções gastrointestinais, reduzindo o risco de constipação e câncer de cólon (leites fermentados, iogurtes e outros produtos lácteos fermentados).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;