Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

'Agora o pessoal vai respeitar mais o meu estilo defensivo', diz Mano Menezes

Reprodução/Instagram  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Cruzeiro venceu o Corinthians por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, em Itaquera, pela Copa do Brasil



18/10/2018 | 01:45


Primeiro técnico bicampeão consecutivo da Copa do Brasil, Mano Menezes fez um desabafo ao fim da vitória do Cruzeiro sobre o Corinthians por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, em Itaquera. O treinador pediu respeito ao seu estilo de jogo defensivo, tantas vezes criticado por torcedores e rivais.

"Agora, o pessoal vai ter um pouquinho de tolerância agora com minha maneira defensiva de jogar. Há outras maneiras, eu respeito, mas tenho minhas convicções", afirmou o técnico. "Mas eu não abro a mão de atacar quando surge a oportunidade. Eu quero que o time funcione bem."

Com a conquista, Mano obteve feito inédito na história da Copa do Brasil. Em 30 anos de existência do torneio, ele se tornou o primeiro treinador a ganhar o título por dois anos consecutivos. "Eu não abro a mão de atacar quando surge a oportunidade", destacou o técnico.

Para as finais da Copa do Brasil, o técnico surpreendeu ao tomar decisões inesperadas, como sacar Lucas Silva do primeiro jogo e improvisar Lucas Romero na lateral-direita, ao invés de escalar Marcelo Hermes, jogador de ofício da posição - Egídio cumpriu suspensão nesta quarta.

"A vida do técnico é tomada de decisão o tempo inteiro. É um momento solitário. Você não pode transferir para ninguém", disse Mano, que ainda contou com o rápido retorno do uruguaio Arrascaeta, que estava com sua seleção no Japão. Ele passou 25 horas em uma viagem para chegar a tempo de defender o Cruzeiro nesta quarta.

O meia entrou em campo no segundo tempo e fez valer a pena o investimento do time, que gastou cerca de R$ 60 mil para pagar passagem de primeira classe para o atleta. Ele marcou o segundo e decisivo gol da finalíssima.

"Tinha ainda essa questão de se o Arrascaeta vai esperar ou não para entrar. Se tiramos o Lucas Silva e colocamos o Ariel Cabral no primeiro jogo para tentar ser mais ofensivo. E você não pode se omitir nesta hora. Esse é o momento do técnico de ponta, de fazer o que acredita."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Agora o pessoal vai respeitar mais o meu estilo defensivo', diz Mano Menezes

Cruzeiro venceu o Corinthians por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, em Itaquera, pela Copa do Brasil


18/10/2018 | 01:45


Primeiro técnico bicampeão consecutivo da Copa do Brasil, Mano Menezes fez um desabafo ao fim da vitória do Cruzeiro sobre o Corinthians por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, em Itaquera. O treinador pediu respeito ao seu estilo de jogo defensivo, tantas vezes criticado por torcedores e rivais.

"Agora, o pessoal vai ter um pouquinho de tolerância agora com minha maneira defensiva de jogar. Há outras maneiras, eu respeito, mas tenho minhas convicções", afirmou o técnico. "Mas eu não abro a mão de atacar quando surge a oportunidade. Eu quero que o time funcione bem."

Com a conquista, Mano obteve feito inédito na história da Copa do Brasil. Em 30 anos de existência do torneio, ele se tornou o primeiro treinador a ganhar o título por dois anos consecutivos. "Eu não abro a mão de atacar quando surge a oportunidade", destacou o técnico.

Para as finais da Copa do Brasil, o técnico surpreendeu ao tomar decisões inesperadas, como sacar Lucas Silva do primeiro jogo e improvisar Lucas Romero na lateral-direita, ao invés de escalar Marcelo Hermes, jogador de ofício da posição - Egídio cumpriu suspensão nesta quarta.

"A vida do técnico é tomada de decisão o tempo inteiro. É um momento solitário. Você não pode transferir para ninguém", disse Mano, que ainda contou com o rápido retorno do uruguaio Arrascaeta, que estava com sua seleção no Japão. Ele passou 25 horas em uma viagem para chegar a tempo de defender o Cruzeiro nesta quarta.

O meia entrou em campo no segundo tempo e fez valer a pena o investimento do time, que gastou cerca de R$ 60 mil para pagar passagem de primeira classe para o atleta. Ele marcou o segundo e decisivo gol da finalíssima.

"Tinha ainda essa questão de se o Arrascaeta vai esperar ou não para entrar. Se tiramos o Lucas Silva e colocamos o Ariel Cabral no primeiro jogo para tentar ser mais ofensivo. E você não pode se omitir nesta hora. Esse é o momento do técnico de ponta, de fazer o que acredita."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;