Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 18 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Em vídeo, Witzel ensina 'engenharia' dos juízes para receber gratificação



13/10/2018 | 21:47


Candidato ao governo do Estado do Rio de Janeiro, o ex-juiz Wilson Witzel (PSC) aparece em um vídeo explicando o acordo que fazia quando ainda trabalhava na Justiça Federal para incorporar a gratificação de acúmulo ao seu salário, além dos auxílios-moradia e alimentação. No vídeo, revelado pelo jornal O Globo neste sábado, 13, o candidato conta a "engenharia" elaborada por ele e pelo seu substituto para receber mais R$ 4 mil todo mês.

O ex-juiz federal Wilson Witzel é o candidato a governador do PSC Foto: Samuel klickSam/ Arquivo Pessoal

"Os juízes hoje estão recebendo auxílio-moradia, auxílio-alimentação e a gratificação de acúmulo, que eu sei que na Justiça do Trabalho é muito mais difícil de receber. Mas na Justiça Federal praticamente todos os juízes recebem a gratificação de acúmulo que é de R$ 4 mil. Eu recebo. Expulsei o juiz substituto da minha Vara. Falei: 'negão, ou você vai ficar um ano fora ou vou te expulsar da Vara'. Brincadeira, adoro meu juiz substituto, mas se ele ficar eu não recebo. E aí a gente fez uma engenharia. Todo mês, 15 dias do mês o juiz substituto sai da Vara", afirma Witzel no vídeo.

Não há informação de quando e para que plateia a afirmação foi feita. Procurada, a assessoria de imprensa do candidato não respondeu aos questionamentos da reportagem. O jornal O Globo traz uma resposta da assessoria, que alega que "todos os auxílios a que magistrados têm direito estão previstos na Lei Orgânica da Magistratura. O candidato, que é ex-juiz, defende que o Congresso Nacional discuta com a população as alterações na Lei. Caso tivesse apego a privilégios, Wilson Witzel não teria deixado de ser juiz" para se candidatar ao cargo de governador.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;