Fechar
Publicidade

Sábado, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Procura pela Receita é 50% maior na região após greve


Adriana Mompean
Do Diário do Grande ABC

31/08/2005 | 08:57


  

Os técnicos da Receita Federal retornaram terça-feira ao trabalho nos dois Cacs (Centro de Atendimento ao Contribuinte) em Santo André e São Bernardo e nas agências de São Caetano, Mauá, Diadema e Ribeirão Pires. De acordo com estimativas do Sindireceita (Sindicato Nacional dos Técnicos da Receita Federal), a procura por atendimento nas unidades da Receita na região foi de 50%, e deverá aumentar nesta quarta-feira para 60%.

"Amanhã (nesta quarta-feira) será o último dia de prazo para o pagamento da quinta cota sem multa do Imposto de Renda de Pessoa Física. Além disso, tenho a impressão de que muita gente ainda não estava sabendo da volta dos técnicos", afirma Hamilton Mathias, delegado regional do Sindireceita.

A demanda por atendimento aumentou no Cac de Santo André e nas agências de São Caetano, Mauá e Ribeirão Pires, de acordo com Raileide Arrais Bitu, assistente do delegado da Receita Federal de Santo André, Sérgio Vasco Rodriguez de Pinho, responsável pelas quatro unidades da Receita. "Em São Caetano, a procura dobrou. Em Santo André, houve aumento de demanda de 30%."

Já Ciro Rocha, delegado da Receita Federal de São Bernardo, também responsável pela agência de Diadema, declarou que o atendimento nas duas unidades foi considerado normal. "Até esperávamos um acúmulo de contribuintes, mas isso não aconteceu", garante. "Tenho a impressão de que as pessoas já estão acostumadas com greves."

Muitos contribuintes da região aproveitaram a volta dos técnicos para resolver assuntos pendentes devido à greve da categoria, que durou seis semanas. Foi o caso de Sérgio Silva Borges, que foi ao Cac de Santo André para regularizar o pagamento de Imposto de Renda dos anos de 2003 e 2004. "Procurei atendimento durante a paralisação. Acho que os servidores têm direito de fazer greve, mas deveriam ter mantido um atendimento parcial para não prejudicar a população", diz.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Procura pela Receita é 50% maior na região após greve

Adriana Mompean
Do Diário do Grande ABC

31/08/2005 | 08:57


  

Os técnicos da Receita Federal retornaram terça-feira ao trabalho nos dois Cacs (Centro de Atendimento ao Contribuinte) em Santo André e São Bernardo e nas agências de São Caetano, Mauá, Diadema e Ribeirão Pires. De acordo com estimativas do Sindireceita (Sindicato Nacional dos Técnicos da Receita Federal), a procura por atendimento nas unidades da Receita na região foi de 50%, e deverá aumentar nesta quarta-feira para 60%.

"Amanhã (nesta quarta-feira) será o último dia de prazo para o pagamento da quinta cota sem multa do Imposto de Renda de Pessoa Física. Além disso, tenho a impressão de que muita gente ainda não estava sabendo da volta dos técnicos", afirma Hamilton Mathias, delegado regional do Sindireceita.

A demanda por atendimento aumentou no Cac de Santo André e nas agências de São Caetano, Mauá e Ribeirão Pires, de acordo com Raileide Arrais Bitu, assistente do delegado da Receita Federal de Santo André, Sérgio Vasco Rodriguez de Pinho, responsável pelas quatro unidades da Receita. "Em São Caetano, a procura dobrou. Em Santo André, houve aumento de demanda de 30%."

Já Ciro Rocha, delegado da Receita Federal de São Bernardo, também responsável pela agência de Diadema, declarou que o atendimento nas duas unidades foi considerado normal. "Até esperávamos um acúmulo de contribuintes, mas isso não aconteceu", garante. "Tenho a impressão de que as pessoas já estão acostumadas com greves."

Muitos contribuintes da região aproveitaram a volta dos técnicos para resolver assuntos pendentes devido à greve da categoria, que durou seis semanas. Foi o caso de Sérgio Silva Borges, que foi ao Cac de Santo André para regularizar o pagamento de Imposto de Renda dos anos de 2003 e 2004. "Procurei atendimento durante a paralisação. Acho que os servidores têm direito de fazer greve, mas deveriam ter mantido um atendimento parcial para não prejudicar a população", diz.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;