Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Mercado de lâmpadas fluorescentes deve se normalizar em julho


Do Diário OnLine

26/06/2001 | 17:27


O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Iluminação (Abilux), Carlos Eduardo Uchôa Fagundes, afirmou nesta terça-feira que em julho o mercado de lâmpadas fluorescentes compactas deve se normalizar. Segundo ele, os fabricantes começaram a receber na última semana novos lotes do produto, já isentos do Imposto de Importação (II) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

As lâmpadas fluorescentes, que estão em falta no mercado devido a alta procura pelo produto após o anúncio do racionamento de energia, substituem com vantagem as incandescentes na economia de energia.

Fagundes lembrou que vale a pena esperar pelos novos lotes, que com certeza serão mais baratos. Os comerciantes concordam que depois do anúncio do racionamento houve uma elevação média de 20% no preço dos produtos. No entanto, o aumento deve ser compensado com a isenção dos impostos.

Produção Nacional — O presidente da Abilux disse que o acordo com o governo para produção das lâmpadas fluorescentes no país deve sair até o final de julho. O acordo prevê incentivos fiscais, como redução de imposto de importação de máquinas e equipamentos sem similar nacional para linhas de montagens e também isenção do imposto de importação de componentes, que hoje chega a 18%.

Segundo Fagundes, o país tem condição de ter as linhas mais modernas do mundo. Ele estima que as vendas cheguem a 16 milhões no país neste ano. Além disso, a indústria brasileira também poderia exportar para outros países da América Latina.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mercado de lâmpadas fluorescentes deve se normalizar em julho

Do Diário OnLine

26/06/2001 | 17:27


O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Iluminação (Abilux), Carlos Eduardo Uchôa Fagundes, afirmou nesta terça-feira que em julho o mercado de lâmpadas fluorescentes compactas deve se normalizar. Segundo ele, os fabricantes começaram a receber na última semana novos lotes do produto, já isentos do Imposto de Importação (II) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

As lâmpadas fluorescentes, que estão em falta no mercado devido a alta procura pelo produto após o anúncio do racionamento de energia, substituem com vantagem as incandescentes na economia de energia.

Fagundes lembrou que vale a pena esperar pelos novos lotes, que com certeza serão mais baratos. Os comerciantes concordam que depois do anúncio do racionamento houve uma elevação média de 20% no preço dos produtos. No entanto, o aumento deve ser compensado com a isenção dos impostos.

Produção Nacional — O presidente da Abilux disse que o acordo com o governo para produção das lâmpadas fluorescentes no país deve sair até o final de julho. O acordo prevê incentivos fiscais, como redução de imposto de importação de máquinas e equipamentos sem similar nacional para linhas de montagens e também isenção do imposto de importação de componentes, que hoje chega a 18%.

Segundo Fagundes, o país tem condição de ter as linhas mais modernas do mundo. Ele estima que as vendas cheguem a 16 milhões no país neste ano. Além disso, a indústria brasileira também poderia exportar para outros países da América Latina.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;