Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 15 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

No momento, não há nenhuma decisão sobre hedge para diesel, diz Petrobras



10/09/2018 | 14:28


O presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, afirmou que a companhia pode vir a adorar no futuro uma solução de hedge semelhante à prevista para a gasolina também para o diesel. Em coletiva de imprensa em São Paulo, Monteiro afirmou, no entanto, que neste momento a empresa não tomou nenhuma decisão.

Monteiro respondia a jornalistas sobre essa possibilidade quando se encerrar o período de subsídio do governo ao preço do diesel, medida prevista para vigorar apenas até o final deste ano.

A Petrobras anunciou na última quinta-feira, 6, a terceira alteração na sua política de reajuste do preço da gasolina desde que passou a acompanhar o mercado internacional, em outubro de 2016.

O valor do litro na refinaria poderá ficar congelado por até 15 dias, em vez de sofrer alterações diárias, como acontecia desde julho do ano passado. Para evitar prejuízos, a empresa vai recorrer a instrumentos financeiros de proteção - a compra de derivativos de gasolina na Bolsa de Nova York e o hedge cambial no Brasil.

Segundo Monteiro, a mudança representa "uma evolução da política de preços" anteriormente implementada. O presidente da companhia considerou ainda que o uso do hedge foi pensado como uma forma de lidar com o impacto que a temporada de furacões no hemisfério norte pode ter nos preços do óleo tipo brent.

"Pela política anterior, a companhia teria que repassar toda a volatilidade de um evento climático aos preços. Essa volatilidade é inadequada", disse ele, considerando que, ao final de um evento climático como um furacão, os preços tendem a voltar ao patamar anterior.

Agenda de candidatos

O diretor de Estratégia, Organização e Sistema de Gestão da Petrobras, Nelson Silva, afirmou que o subsídio do governo ao diesel não tem feito parte da agenda de conversas da companhia com assessores de candidatos à Presidência da República.

A diretoria da companhia tem agendado conversas com os assessores econômicos das campanhas. Os esforços, segundo Silva, começaram há cerca de duas semanas e devem continuar. O objetivo, de acordo com ele, tem sido apresentar a companhia e falar sobre os resultados.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;