Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Sem contrato de iluminação, Diadema deixa bairros no escuro

Denis Maciel/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Problema é observado há pelo menos 15 dias; população teme aumento de crimes na cidade


Bia Moço
biamoco@dgabc.com.br

08/09/2018 | 08:49


Sem contrato de iluminação pública, a Prefeitura de Diadema deixa pelo menos 20 bairros no escuro há 15 dias. Isso porque o convênio com a FM Rodrigues, da Capital, antiga prestadora do serviço, venceu e não pode mais ser prorrogado. Em paralelo, o Paço não obteve êxito em modelo de PPP (Parceria Público-Privada) para modernizar a área, antiga promessa de campanha do governo Lauro Michels (PV) e discutida desde o ano passado sem avanços.

A iluminação pública de Diadema passou a ser terceirizada pela Prefeitura e não mais de responsabilidade da AES Eletropaulo em 2012, quando consórcio formado pelas empresas Engeform e FM Rodrigues venceu a licitação para cuidar do serviço. O contrato girava em torno de R$ 120 mil mensais.

Agora sob guarda-chuva da administração diademense, o serviço começa a apresentar problemas. Moradores relatam que diversos pontos da cidade sofrem com a falta de manutenção, como é o caso da Rua Juruá, no Jardim Paineiras. Por lá, o mecânico Lenício Tadeu Araújo, 40 anos, contabilizou três assaltos em bar no local. Isso porque, segundo ele, após às 19h, tudo vira breu. “Essa rua não tem uma luz funcionando, o que obviamente aumenta a criminalidade. Aqui no bairro sempre foi complicada a situação de roubo, mas no escuro, os criminosos estão mais seguros.”

O cenário é o mesmo na Rua Mata Virgem, no Eldorado. Moradores ouvidos pela equipe do Diário relataram medo ao passar pelo local no período noturno, principalmente em passarela existente. A cozinheira Michele Silva, 36, ressaltou que tenta voltar para casa sempre antes do anoitecer. “Acho absurdo ver as crianças brincando naquela escuridão, fora a quantidade de estupros que ouvimos falar na área.”

Já na Rua Cristóvão Cardoso de Barros, no Jardim Casa Grande, moradores relataram que o 0800 destinado às reclamações do serviço já não funciona. O casal Alberto, 54, e Beatriz Lima, 53, ficou 15 dias sem luz na rua e, depois de tanto reclamar, a Prefeitura ligou a fiação. “Agora as luzes ficam ligadas 24 horas por dia. Imagino o gasto com energia.”

MODERNIZAÇÃO

Embora a PPP da iluminação tenha sido aprovada na Câmara em meados de 2017, a concorrência para contratação da empresa que ficaria responsável pela troca dos 20.125 pontos de luz do município por lâmpadas LED ainda não ocorreu. A empresa que vencesse a concessão teria 25 anos para gerenciar o sistema, com valor do contrato fixado em R$ 45 milhões, recursos esses provenientes da CIP (Contribuição sobre Iluminação Pública). A estimativa do governo era a de que a firma iniciasse as primeiras intervenções até 2021 e as últimas em até 14 anos.

O boato que corre na cidade é o de que a Prefeitura teria desistido da PPP por receio de possíveis cobranças do TCE (Tribunal de Contas do Estado) e resolvido licitar apenas o serviço de modernização das lâmpadas das vias públicas no período de até cinco anos. Até lá, mão de obra própria da administração ficaria responsável pela manutenção do sistema.

Questionada sobre o tema, a Prefeitura de Diadema não retornou até o fechamento desta edição.

Vereadores cobram esclarecimentos e convocam reunião com secretário

Vereadores da oposição convocaram o secretário de Serviços e Obras da Prefeitura de Diadema, José Marcelo Marques, para dar esclarecimentos sobre a falta de luz nas vias públicas da cidade.

Durante votação da PPP (Parceria Público-Privada) na Câmara, em 2017, sete vereadores da oposição se manifestaram contra o projeto. A justificativa, na época, era a de que faltava informação. Um deles foi Josa Queiroz (PT), que, em entrevista ao Diário, pontuou a situação como “descaso do prefeito com a população” e “extrema falta de responsabilidade”. “Vamos chamar o secretário na Câmara para que ele dê não somente explicações, mas soluções para o caos que está acontecendo”, afirmou Queiroz.

O vereador ressalta ainda que, sem luz nas ruas, o problema com a falta de Segurança pública aumenta ainda mais. “O escuro vai facilitar a ação dos criminosos. A Prefeitura tem de dar uma solução rápida e eficiente. O que não dá é para deixar Diadema em blecaute.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;