Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Como os países se tornam independentes?

Força da população em meio a discussões e confrontos é essencial na mudança


Tauana Marin
Diário do Grande ABC

09/09/2018 | 07:00


Um país é considerado independente quando seu povo pode escolher o sistema de governo (casos de democracia, presidencialismo e parlamentarismo) e seus representantes junto ao grupo de líderes, além de definir as próprias leis e ser reconhecido como Estado pelo restante do planeta. A força da população é essencial no confronto com os comandantes que não desejam dar independência para as pessoas.

Ainda existem povos que não possuem esse status. É o caso da região da Catalunha, na Espanha, casa do famoso time de futebol Barcelona. Os catalães tentaram por diversas vezes se separar do restante dos espanhóis, mas nunca concluíram com sucesso o plano. Outra área que também luta por sua independência é a Chechênia, com movimento para se desvincular da Rússia.

Um caso que deu certo é o da antiga Tchecoslováquia. Após sua dissolução, na década de 1990, surgiram diversos países, como Sérvia e Bósnia. Recentemente, em 2011, o Sudão do Sul, na África conseguiu o reconhecimento como nação, deixando para trás a marca de povo escravizado.

O Brasil é um país independente há 196 anos, celebrando o momento em 7 de setembro de 1822, data em que ocorre o feriado nacional. Nesse dia, o então regente da colônia de Portugal realizou o famoso decreto de liberdade.

O início da autonomia brasileira se deu com a vinda da Família Real Portuguesa para cá, em 1808. A corte fugia do avanço das tropas francesas de Napoleão sobre Portugal. Ao chegarem aqui, a situação da colônia mudou, com o comércio passando a ocorrer com outras nações e a sede do governo transferida para o Rio de Janeiro, período em que o Brasil teve grande crescimento.

Com a derrota de Napoleão em suas intervenções na Europa, os dirigentes em Portugal exigiram a volta do rei Dom João VI, que deixou Dom Pedro I como Príncipe Regente. O que o monarca não imaginava era que os brasileiros já não aceitariam mais voltar à condição. Foi quando Dom Pedro I rompeu laços com sua pátria.

O Brasil foi a única nação do continente americano a ser monarquia, o que perdurou até 15 de novembro de 1889, quando se tornou a atual república.

Dom Pedro I não estava montado em cavalo na proclamação da independência. Ele voltava de Santos para São Paulo e essas viagens eram feitas em mulas.

Consultoria de Sérgio Ribeiro Santos, professor de História da Universidade Presbiteriana Mackenzie, de São Paulo. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;