Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Temer pede reforço à segurança dos candidatos após atentado a Jair Bolsonaro



06/09/2018 | 21:55


O presidente Michel Temer pediu ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, reforço da Polícia Federal na segurança dos candidatos à Presidência, após o atentado contra Jair Bolsonaro (PSL-RJ). Temer também solicitou "apuração rigorosa dos fatos". Jungmann se reuniu com Temer no Palácio do Planalto, no fim da tarde. Antes disso, o ministro esteve na sede da Polícia Federal em Brasília.

Mais cedo, Temer aproveitou uma solenidade sobre investimentos em cisternas na Amazônia para comentar o ocorrido. Ele classificou como lamentável o esfaqueamento do candidato à Presidência pelo PSL, durante um ato de campanha eleitoral em Juiz de Fora (MG). O presidente disse também que o episódio demonstra a falta de tolerância da sociedade brasileira. "É intolerável justamente a intolerância que tem havido na sociedade brasileira", disse.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Temer pede reforço à segurança dos candidatos após atentado a Jair Bolsonaro


06/09/2018 | 21:55


O presidente Michel Temer pediu ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, reforço da Polícia Federal na segurança dos candidatos à Presidência, após o atentado contra Jair Bolsonaro (PSL-RJ). Temer também solicitou "apuração rigorosa dos fatos". Jungmann se reuniu com Temer no Palácio do Planalto, no fim da tarde. Antes disso, o ministro esteve na sede da Polícia Federal em Brasília.

Mais cedo, Temer aproveitou uma solenidade sobre investimentos em cisternas na Amazônia para comentar o ocorrido. Ele classificou como lamentável o esfaqueamento do candidato à Presidência pelo PSL, durante um ato de campanha eleitoral em Juiz de Fora (MG). O presidente disse também que o episódio demonstra a falta de tolerância da sociedade brasileira. "É intolerável justamente a intolerância que tem havido na sociedade brasileira", disse.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;