Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 21 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Politização da Saúde


Do Diário do Grande ABC

05/09/2018 | 10:48


Prevista para ser inaugurada até dezembro em Santo André, a Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde), serviço essencial para garantir mais agilidade ao tratamento de doentes do Grande ABC, muito provavelmente seguirá no papel por mais longo tempo. O temor foi expressado ontem pelo prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), presidente do Consórcio Intermunicipal, diante da paralisação das tratativas depois que, em abril, o governador Geraldo Alckmin, também tucano, renunciou ao cargo, em favor de Márcio França (PSB), para disputar a Presidência da República.

O diálogo e o respeito que Alckmin desde sempre manteve com o Grande ABC, onde, aliás, recebeu votação expressiva na eleição de 2014, foram então abruptamente interrompidos. Azar dos moradores das sete cidades, que sentirão na pele os efeitos da lamentável politização ocorrida com a mudança no comando do Palácio dos Bandeirantes.

Anunciado no início de 2017, o projeto da Cross andreense garantiria que pacientes do Grande ABC fossem encaminhados para atendimento em unidades de Saúde instaladas nas sete cidades, como os hospitais estaduais Mário Covas, em Santo André, e Serraria, em Diadema, assim como nos AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades). Atualmente, com o controle de vagas sendo feito pelo Estado, moradores da região acabam sendo encaminhados para atendimento na Capital ou em cidades da Região Metropolitana, o que dificulta o tratamento.

O atraso no cronograma da Cross em Santo André é mais um capítulo do evidente – e inexplicável – afastamento de Márcio França do Grande ABC. Cinco meses após assumir o cargo, o governador ignora solenemente as sete cidades, como se o bloco não tivesse importância alguma. O comportamento do chefe do Executivo paulista talvez explique por que ele, candidato à reeleição, está tão mal nas pesquisas que perscrutam o eleitorado sobre quem deveria ser o principal inquilino do Palácio dos Bandeirantes a partir de 1º de janeiro de 2019.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;