Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

HC de S.Bernardo realiza 1ª cirurgia cardiovascular infantil da região

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Procedimento foi efetivado em criança de 1 ano, moradora da Grande São Paulo


Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

04/09/2018 | 07:00


 O HC (Hospital de Clínicas) de São Bernardo realizou a primeira cirurgia cardiovascular infantil do Grande ABC. O procedimento, que durou pouco mais de cinco horas e contou com a participação de dez profissionais, garantiu ao pequeno Pedro Henrique Benavides, de apenas 1 ano, melhora na qualidade de vida.

Natural de Osasco, município da Região Metropolitana de São Paulo, Pedro realizou procedimento para correção de uma cardiopatia congênita, chamada de CIA (Correção da Comunicação Interatrial). Segundo a equipe médica do hospital, a patologia corresponde a uma abertura na estrutura que divide o coração entre os lados direito e esquerdo e que pode provocar, no paciente, falta de ar, cansaço e, em alguns casos, problemas de crescimento. “Na verdade, ele tinha um buraco no coração, onde não deveria ter”, explicou Daniel Guimarães, cirurgião cardiovascular pediatra responsável pelo procedimento.

Diagnosticado com a doença no ano passado, Pedro vinha realizando tratamento médico desde o início do ano. “Descobrimos quando ele tinha 5 meses, por meio de um ecocardiograma. Na época, ele tinha uma CIA de apenas seis milímetros, o que é considerado leve. Mas, com o passar do tempo, ele cresceu e esse sopro aumentou para 12 milímetros”, afirmou Débora Lima Benavides, 23, mãe do pequeno Pedro.

Após buscar atendimento na rede privada na Capital, Débora foi aconselhada a recorrer ao SUS (Sistema Único de Saúde) para a realização do procedimento. “Fui até o Incor (Instituto do Coração e, de lá, eles me encaminharam via Cross (Central de Regulação de Vagas e Ofertas de Serviços de Saúde) para realizar o procedimento aqui no HC de São Bernardo”, destacou a mãe. Ela fez questão de ressaltar a atenção dada pela equipe médica da unidade. “Desde o começo os médicos me passaram confiança, deixaram toda a família tranquila, algo que precisávamos, pois estávamos com medo da cirurgia por ser delicada.”

O pequeno Pedro, que deve gozar de alta médica hoje, recebeu ontem a visita do prefeito Orlando Morando (PSDB). Na oportunidade, o chefe do Executivo destacou a importância de o HC contar hoje com serviço de referência em todo o Estado. “Estamos muito felizes em saber que nós temos um hospital gerido pela Prefeitura de São Bernardo com capacidade para atender uma patologia tão atípica como esta”, enfatizou.

Com dez leitos de UTI pediátrica e neonatal e 17 de enfermaria infantil, o HC de São Bernardo é o único de alta complexidade da região habilitado a realizar procedimentos de cirurgia cardiovascular infantil. Em todo o Estado, apenas outros 11 equipamentos são referências de alta complexidades deste tipo.

Implantado em março, o serviço oferecido pelo HC conta com apoio de profissionais do Instituto do Coração, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), e engloba pré e pós-operatório, procedimentos de hemodinâmica, exames, cirurgia e acompanhamento ambulatorial dos pacientes. A demanda é gerida integralmente pela Cross de São Paulo, ou seja, pacientes de todo o Estado poderão ser atendidos no equipamento.

 

Equipamento tem a meta de realizar 2.000 consultas por ano na especialidade

Segundo o secretário de Saúde de São Bernardo, Geraldo Reple Sobrinho, serão ofertadas no HC (Hospital de Clínicas) de São Bernardo cerca de 2.000 consultas ambulatoriais especificamente de cirurgia cardiovascular pediátrica, mediante encaminhamento dos casos conforme os fluxos do SUS (Sistema Único de Saúde). Existe previsão de operar 124 pacientes por ano.

“Já realizamos 30 procedimentos desde a implantação do serviço, além da cirurgia do Pedro que foi a primeira”, explicou, ontem, durante visita ao complexo hospitalar.

Todo o trabalho, segundo Reple, contará com o apoio de profissionais do Incor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo) e engloba pré e pós-operatório, procedimentos de hemodinâmica, exames, cirurgia e acompanhamento ambulatorial dos pacientes.

Os atendimentos, segundo o município, são geridos pela Cross (Central de Regulação de Vagas e Ofertas de Serviços de Saúde).  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados