Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Egito aprova lei para combater notícias falsas nas redes sociais



01/09/2018 | 17:14


O Egito aprovou uma lei que impõe regras sobre as redes sociais para combater a propagação de notícias falsas.

A lei, publicada no periódico oficial do país neste sábado, coloca contas de redes sociais com mais de 5 mil seguidores sob supervisão da princial autoridade de imprensa, que pode bloqueá-las se descobrir que elas estão divulgando desinformação.

Em agosto, o presidente Abdul Fatah Khalil Al-Sisi ratificou uma lei contra crimes virtuais, dando às autoridades poder para bloquear sites que publiquem conteúdos considerados "ameaças à segurança nacional".

A Anistia Internacional criticou as duas leis numa declaração publicada em julho, dizendo que elas "dão ao Estado controle quase total sobre a mídia impressa, online e televisiva".

O Egito tem regularmente prendido jornalistas como parte da repressão à dissidência desde a derrubada do presidente Mohamed Mursi por meio de um golpe militar em 2013. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Egito aprova lei para combater notícias falsas nas redes sociais


01/09/2018 | 17:14


O Egito aprovou uma lei que impõe regras sobre as redes sociais para combater a propagação de notícias falsas.

A lei, publicada no periódico oficial do país neste sábado, coloca contas de redes sociais com mais de 5 mil seguidores sob supervisão da princial autoridade de imprensa, que pode bloqueá-las se descobrir que elas estão divulgando desinformação.

Em agosto, o presidente Abdul Fatah Khalil Al-Sisi ratificou uma lei contra crimes virtuais, dando às autoridades poder para bloquear sites que publiquem conteúdos considerados "ameaças à segurança nacional".

A Anistia Internacional criticou as duas leis numa declaração publicada em julho, dizendo que elas "dão ao Estado controle quase total sobre a mídia impressa, online e televisiva".

O Egito tem regularmente prendido jornalistas como parte da repressão à dissidência desde a derrubada do presidente Mohamed Mursi por meio de um golpe militar em 2013. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;