Fechar
Publicidade

Domingo, 18 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Caixa reduz juros para a compra de imóveis com recursos da poupança

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Banco também elevou a cota de financiamento para unidades usadas, de 70% para 80%


Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

25/08/2018 | 07:22


Com o objetivo de elevar o volume de financiamento para a compra da casa própria, uma vez que a economia vem dando sinais de retomada, a Caixa Econômica Federal anunciou ontem a redução de até 0,5 ponto percentual das taxas de juros do crédito imobiliário para operações com recursos do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo).

As taxas mínimas passaram de 9% para 8,75% ao ano, no caso de imóveis dentro do SFH (Sistema Financeiro de Habitação), e de 10% para 9,5% ao ano, para imóveis enquadrados no SFI (Sistema de Financiamento Imobiliário).

Estão enquadrados no SFH os imóveis residenciais de até R$ 800 mil, para todo País, exceto Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, onde o limite é de R$ 950 mil. Os imóveis residenciais acima dos limites do SFH são enquadrados no SFI.

Além da redução de juros, a Caixa elevou o limite de cota de financiamento de imóveis usados de 70% para 80%. A alteração exige do cliente uma entrada menor na aquisição do imóvel usado, o que contribui para reduzir o deficit habitacional. Para unidades usadas, o percentual foi mantido em 80%.

De acordo com o presidente da Caixa, Nelson Antônio de Souza, a nova redução das taxas de juros facilita o acesso à casa própria e contribui para a retomada de investimentos no setor da construção civil. “Cabe à Caixa, como principal agente financeiro da habitação, continuar oferecendo as melhores taxas e condições para os nossos clientes, além de colaborar com a retomada de investimentos do mercado imobiliário e suas cadeias produtivas”, afirma.

Vale lembrar que o segmento da construção eliminou milhares de postos de trabalho nos últimos anos, devido ao aumento do desemprego, consequente pé no freio do consumo e redução de obras. No Grande ABC, para se ter ideia, em 2014 o estoque de trabalhadores do ramo era de 47.317 profissionais, enquanto que, em junho, era de 39.772, ou seja, 7.545 a menos, conforme dados do SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo).

O mês passado, inclusive, registrou o melhor resultado do ano, com leve recuperação e contratação de 530 operários, estimulado pela retomada de empreendimentos residenciais e obras públicas. Apesar disso, o primeiro semestre ainda amarga saldo de fechamento de 225 vagas na região.

MONTANTE DISPONÍVEL - A Caixa informa que possui R$ 82,1 bilhões disponíveis para o crédito habitacional neste ano. O banco mantém a liderança no setor com 69,3% das operações para aquisição da casa própria.

Em abril, após 17 meses sem alterar os juros, a Caixa reduziu em até 1,25 ponto percentual as taxas do crédito imobiliário, de 10,25% a 9% ao ano para SFH e de 11,25% a 10% ao ano para SFI. À época, o banco também havia elevado a cota de financiamento de imóvel usado de 50% para 70%.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;