Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Maria Flor abre o jogo sobre orgasmo feminino: 'Finge muito' porque eu achava que eu tinha que ter

Reprodução/Instagram  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


22/08/2018 | 12:11


Ainda hoje a sexualidade feminina é muito debatida. E, por conta disso, Maria Flor, que gosta de abordar temas polêmicos, resolveu abrir o jogo sobre o assunto em seu canal no YouTube. Para isso, no entanto, a atriz, que atuou em A Lei do Amor, contou sobre sua experiência, revelando que teve dificuldade de entender o seu corpo.

Em certa altura do relato, ela afirma:

- Eu finge muito porque eu achava que eu tinha que ter orgasmo (...) Mas eu não sabia muito como era o orgasmo feminino.

Para Maria Flor, a descoberta de seu corpo começou desde os cinco anos de idade, como ela conta:

- A primeira vez que eu tive contato com o sexo feminino foi com o travesseiro. Eu o abraçava quando ia dormir e ficava roçando e percebia que aquilo era diferente.

A atriz ainda falou sobre suas primeiras experiências:

- Eu namorava há muito tempo e aquilo começou, né? Você deixa o cara colocar a mão no seu peito... era um namoradinho que eu tinha no prédio da minha avó. Minha avó achava aquilo um absurdo. Ela me pegava na escada do prédio no amassinho, e me dava uma reprimida. Mas é aquilo que nada acontece. Você sente o pau duro do cara, deixa ele passar a mão no seu peito, seu mamilo fica nervosinho e você acha tudo gostosinho e você se sente molhada pela primeira vez. E a minha avó me dava uma reprimida. Não estou culpando a minha avó aqui, porque veio da criação dela.

Além disso, ela revelou como foi sua primeira vez, que, para ela, foi frustrante:

- A minha mãe me deu uma cama de casal porque eu estava namorando (...) Foi lá e foi super sem graça. Foi muito frustrante. Não doeu, mas também não foi bom, porque rolou um constrangimento (...) E eu estava muito preocupada em como fazer. Mas foi muito seguro ao mesmo tempo.

Aliás, Maria ainda critica a idealização do sexo, o que atrapalha muitas mulheres, como aconteceu com ela:

- Os filmes e as novelas te dizem que você tem que ser casta e que você precisa ter uma primeira vez perfeita. Isso é ruim!



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Maria Flor abre o jogo sobre orgasmo feminino: 'Finge muito' porque eu achava que eu tinha que ter


22/08/2018 | 12:11


Ainda hoje a sexualidade feminina é muito debatida. E, por conta disso, Maria Flor, que gosta de abordar temas polêmicos, resolveu abrir o jogo sobre o assunto em seu canal no YouTube. Para isso, no entanto, a atriz, que atuou em A Lei do Amor, contou sobre sua experiência, revelando que teve dificuldade de entender o seu corpo.

Em certa altura do relato, ela afirma:

- Eu finge muito porque eu achava que eu tinha que ter orgasmo (...) Mas eu não sabia muito como era o orgasmo feminino.

Para Maria Flor, a descoberta de seu corpo começou desde os cinco anos de idade, como ela conta:

- A primeira vez que eu tive contato com o sexo feminino foi com o travesseiro. Eu o abraçava quando ia dormir e ficava roçando e percebia que aquilo era diferente.

A atriz ainda falou sobre suas primeiras experiências:

- Eu namorava há muito tempo e aquilo começou, né? Você deixa o cara colocar a mão no seu peito... era um namoradinho que eu tinha no prédio da minha avó. Minha avó achava aquilo um absurdo. Ela me pegava na escada do prédio no amassinho, e me dava uma reprimida. Mas é aquilo que nada acontece. Você sente o pau duro do cara, deixa ele passar a mão no seu peito, seu mamilo fica nervosinho e você acha tudo gostosinho e você se sente molhada pela primeira vez. E a minha avó me dava uma reprimida. Não estou culpando a minha avó aqui, porque veio da criação dela.

Além disso, ela revelou como foi sua primeira vez, que, para ela, foi frustrante:

- A minha mãe me deu uma cama de casal porque eu estava namorando (...) Foi lá e foi super sem graça. Foi muito frustrante. Não doeu, mas também não foi bom, porque rolou um constrangimento (...) E eu estava muito preocupada em como fazer. Mas foi muito seguro ao mesmo tempo.

Aliás, Maria ainda critica a idealização do sexo, o que atrapalha muitas mulheres, como aconteceu com ela:

- Os filmes e as novelas te dizem que você tem que ser casta e que você precisa ter uma primeira vez perfeita. Isso é ruim!

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;