Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

'Não gostaria que minha filha ouvisse', diz Buchecha sobre funk 'pesado'

Reprodução/Instagram  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


16/08/2018 | 14:22


O cantor Buchecha fez críticas sobre funks com letras que considera "mais pesadas" em entrevista ao The Noite desta quinta-feira, 16: "Eu também tenho filha. Não gostaria que ela ouvisse esse tipo de frase".

"Muita gente começa a fazer apologia a droga e arma e depois volta a cantar funk romântico. A família brasileira, socialmente falando, é mais recatada", complementou.

Buchecha ainda citou duas cantoras que mudaram de estilo dentro do gênero após o sucesso: "A tendência é acabar todo mundo fazendo esse recuo. ... Ludmilla quando começou fazia um funk mais pesado, mais áspero. Depois mudou e fez umas letras mais leves. Anitta também".

O cantor ainda falou sobre a internação pela qual passou em 2017: "Dei um susto na galera. Foi um princípio de enfarte, fiz todos os exames. Tinha a ver com não dormir bem, má alimentação... Agora está tudo bem."

"Melhorei a alimentação, não passo mais mal. A energia, a gente tem muito mais energia. Voltei até a me apaixonar pela mesma mulher. Estou ''galando'' de novo. Não ''brocho'' mais", complementou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Não gostaria que minha filha ouvisse', diz Buchecha sobre funk 'pesado'


16/08/2018 | 14:22


O cantor Buchecha fez críticas sobre funks com letras que considera "mais pesadas" em entrevista ao The Noite desta quinta-feira, 16: "Eu também tenho filha. Não gostaria que ela ouvisse esse tipo de frase".

"Muita gente começa a fazer apologia a droga e arma e depois volta a cantar funk romântico. A família brasileira, socialmente falando, é mais recatada", complementou.

Buchecha ainda citou duas cantoras que mudaram de estilo dentro do gênero após o sucesso: "A tendência é acabar todo mundo fazendo esse recuo. ... Ludmilla quando começou fazia um funk mais pesado, mais áspero. Depois mudou e fez umas letras mais leves. Anitta também".

O cantor ainda falou sobre a internação pela qual passou em 2017: "Dei um susto na galera. Foi um princípio de enfarte, fiz todos os exames. Tinha a ver com não dormir bem, má alimentação... Agora está tudo bem."

"Melhorei a alimentação, não passo mais mal. A energia, a gente tem muito mais energia. Voltei até a me apaixonar pela mesma mulher. Estou ''galando'' de novo. Não ''brocho'' mais", complementou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;