Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

'Prevaleceu corporativismo', diz Garotinho após CNJ rejeitar recurso contra juiz



14/08/2018 | 21:50


O ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PRP) disse, através de sua assessoria de imprensa, que "prevaleceu o corporativismo" na decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de rejeitar um recurso contra o juiz Glaucenir Silva de Oliveira, responsável por ordenar sua prisão em novembro de 2017.

O ex-governador pedia o afastamento do magistrado, do Tribunal Regional Eleitoral do Rio. Garotinho e sua esposa, Rosinha, denunciavam a conduta do juiz no episódio da prisão do ex-governador. Segundo eles, Oliveira teria agido de forma abusiva, ignorado laudos e pareceres médicos quando determinou a transferência do ex-governador a um hospital "inapropriado".

O político declarou que ainda aguarda a análise de uma queixa-crime contra o juiz no Órgão Especial do Tribunal Regional Eleitoral do Rio.

"A assessoria de imprensa de Anthony Garotinho informa que ainda existe uma queixa-crime contra o juiz Glaucenir prestes a ser julgada no Órgão Especial do Tribunal de Justiça. No processo, foi anexado o laudo do médico Marcelo Jardim mostrando que Garotinho corria risco de morte súbita no caso de uma transferência de hospital. Garotinho lamenta que, mais uma vez, tenha prevalecido o corporativismo", diz a nota.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Prevaleceu corporativismo', diz Garotinho após CNJ rejeitar recurso contra juiz


14/08/2018 | 21:50


O ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PRP) disse, através de sua assessoria de imprensa, que "prevaleceu o corporativismo" na decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de rejeitar um recurso contra o juiz Glaucenir Silva de Oliveira, responsável por ordenar sua prisão em novembro de 2017.

O ex-governador pedia o afastamento do magistrado, do Tribunal Regional Eleitoral do Rio. Garotinho e sua esposa, Rosinha, denunciavam a conduta do juiz no episódio da prisão do ex-governador. Segundo eles, Oliveira teria agido de forma abusiva, ignorado laudos e pareceres médicos quando determinou a transferência do ex-governador a um hospital "inapropriado".

O político declarou que ainda aguarda a análise de uma queixa-crime contra o juiz no Órgão Especial do Tribunal Regional Eleitoral do Rio.

"A assessoria de imprensa de Anthony Garotinho informa que ainda existe uma queixa-crime contra o juiz Glaucenir prestes a ser julgada no Órgão Especial do Tribunal de Justiça. No processo, foi anexado o laudo do médico Marcelo Jardim mostrando que Garotinho corria risco de morte súbita no caso de uma transferência de hospital. Garotinho lamenta que, mais uma vez, tenha prevalecido o corporativismo", diz a nota.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;