Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Produção regional

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Cineasta andreense Ivan Augusto apresenta o curta independente ‘Ricardo Anzu’


Vinícius Castelli

15/08/2018 | 07:00


 A produção regional de cinema não para. Após Milton Santos Jr. lançar Na Hora da Morte e Marcelo Felipe Sampaio mostrar a obra Eldorado – Mengele Vivo ou Morto?, agora é a vez do cineasta andreense Ivan Augusto apresentar Ricardo Anzu (Estratégia Filmes). O curta – que faz parte de uma trilogia – terá lançamento na segunda-feira, às 19h, no Cine Olido, em São Paulo. A entrada é gratuita.

Baseado em fatos reais, com pequena licença dramática, o filme conta, por meio de depoimentos, a história do personagem Ricardo Anzu – vivido por Tucão Garcia –, desde a sua adolescência até o dia que apareceu a grande chance de sua vida: mudar para uma cidade litorânea em busca de recomeço.

Mas até o momento da possível mudança em sua vida, Ricardo enfrenta diversas batalhas. Ele suporta algumas provas de persistência e sofrimento. Após grande tragédia familiar, se encarrega da missão de criar seus filhos sozinho. “Ele poderia ter desistido de viver”, explica Ivan Augusto, que assina a direção ao lado de Tucão Garcia. Mas o que cabe ao personagem após cada tombo é levantar, sacudir a poeira e seguir.

“Ricardo Anzu é uma parte de todos nós. Ele mostra como a vida é repleta de armadilhas, as quais nem sempre estamos preparados para enfrentar. Os problemas são similares, afinal, ele é humano”, diz o cineasta. “Ele tem história forte, de um sujeito que nunca perdeu a vontade de sonhar e de lutar. Que precisa permanecer firme perante os percalços da vida”, frisa.

E o personagem encontra na amizade e na solidariedade das pessoas uma maneira de continuar vivendo. “No fundo não somos uma ilha, precisamos entender que necessitamos de outras pessoas para dar um sentindo para nossas caminhadas”, reflete Ivan Augusto.

O ponto de partida para a obra foi história que o diretor ouviu de uma amiga há alguns anos. Ela se referia ao tio dela e sobre como ele não tinha sorte na vida. O cineasta sentiu que tinha um roteiro. “Comecei a filmar, mas ficou no meio do caminho. Porém o tempo me trouxe a trama à tona. Descobri que era o momento certo. Reescrevi o texto e pensei no elenco”. explica.

Para a empreitada, ele contou com atores da região e da Capital. A trilha sonora é assinada por gente do Grande ABC também: Celso Zappa e Marcelo Mazucato.

Ivan Augusto explica que o trabalho foi realizado de forma independente, sem apoio financeiro algum. “Mas cada um de nós aceitou a proposta”, afirma. “É uma história que merecia ser contada. Isso ajudou a conquistar o apoio do elenco”, explica. No total, foram gastos cerca de R$ 30 mil, entre equipamento, material humano, edição, trilha sonora etc.

Enquanto trabalha em seu próximo curta, Rocket Man, Ivan Augusto segue nos planos para Ricardo Anzu. Ele adianta que o filme rodará em outros locais, além do Cine Olido. “Estará em todo lugar que tiver um espaço para ser mostrado”, diz. Já há convites para exibição, inclusive, em mostras de cinema. “Quando a trilogia estiver pronta vamos unir os três filmes e lançar em um único pacote”, encerra.

Ricardo Anzu – Cinema. No Cine Olido – Av. São João, 473, em São Paulo. Segunda-feira, às 19h. Grátis.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados