Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Gilberto Gil diz a Moro que não presenciou e nem ouviu falar de vantagem a Lula

Fernando Frazão/Arquivo/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


10/08/2018 | 13:29


O cantor Gilberto Gil prestou depoimento à Operação Lava Jato na quinta-feira, 9, como testemunha de defesa do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Nesta ação, o petista é acusado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do sítio de Atibaia.

Gil foi ministro da Cultura do Governo Lula, entre 2003 e 2018.

O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o petista, perguntou ao cantor se ele presenciou ou teve notícia de algum ato de Lula que pudesse sugerir alguma vantagem indevida em troca de atos que ele teria praticado como presidente. "Não, nunca", respondeu.

Gilberto Gil também disse que não viu ou teve conhecimento de supostos benefícios de Lula às empresas Odebrecht e OAS em troca de reformas no sítio em Atibaia.

"Não, de maneira nenhuma", afirmou Gil. "Ouviu falar?", perguntou Zanin. "Não, não. Nada disso", declarou o cantor.

O juiz federal Sérgio Moro fez questionamentos ao cantor. O magistrado da Lava Jato citou os ex-ministros José Dirceu (Casa Civil/Governo Lula) e Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civil/Governos Lula e Dilma) e o marqueteiro de campanhas do PT João Santana. Os três foram condenados na operação. Palocci e Santana são delatores.

"O sr conheceu José Dirceu?", perguntou Moro. "Sim, claro", respondeu Gil. "Ministro ao mesmo tempo que o sr?", quis saber o juiz. "Sim", disse o músico. "Teve conhecimento quando o sr ocupava o ministério do envolvimento do sr José Dirceu em algum esquema de corrupção?", questionou o magistrado. "Não", afirmou Gil.

"Conheceu Antonio Palocci?", perguntou o juiz. "Sim", disse o cantor. "Teve conhecimento durante o exercício do cargo como ministro do sr ministro Antonio Palocci em algum esquema de corrupção?", questionou Moro. "Não", respondeu Gilberto Gil.

O cantor disse a Moro que conheceu João Santana e teve contato com o marqueteiro durante o período em que ocupou o cargo de ministro da Cultura.

O juiz da Lava Jato quis saber se o músico soube, na época, de algum envolvimento de João Santana em algum esquema de corrupção ou de lavagem de dinheiro.

"Não, não tive conhecimento nenhum", afirmou Gil. "O sr tem conhecimento que tanto o sr Antonio Palocci como o sr João Santana são confessos em relação a prática de crimes de corrupção e de lavagem de dinheiro?", perguntou o magistrado. "Tenho ouvido notícias a respeito dessa possibilidade", disse Gilberto Gil. "Mas na época o sr não tinha conhecimento", afirmou o juiz. "Não", respondeu o cantor.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Gilberto Gil diz a Moro que não presenciou e nem ouviu falar de vantagem a Lula


10/08/2018 | 13:29


O cantor Gilberto Gil prestou depoimento à Operação Lava Jato na quinta-feira, 9, como testemunha de defesa do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Nesta ação, o petista é acusado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do sítio de Atibaia.

Gil foi ministro da Cultura do Governo Lula, entre 2003 e 2018.

O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o petista, perguntou ao cantor se ele presenciou ou teve notícia de algum ato de Lula que pudesse sugerir alguma vantagem indevida em troca de atos que ele teria praticado como presidente. "Não, nunca", respondeu.

Gilberto Gil também disse que não viu ou teve conhecimento de supostos benefícios de Lula às empresas Odebrecht e OAS em troca de reformas no sítio em Atibaia.

"Não, de maneira nenhuma", afirmou Gil. "Ouviu falar?", perguntou Zanin. "Não, não. Nada disso", declarou o cantor.

O juiz federal Sérgio Moro fez questionamentos ao cantor. O magistrado da Lava Jato citou os ex-ministros José Dirceu (Casa Civil/Governo Lula) e Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civil/Governos Lula e Dilma) e o marqueteiro de campanhas do PT João Santana. Os três foram condenados na operação. Palocci e Santana são delatores.

"O sr conheceu José Dirceu?", perguntou Moro. "Sim, claro", respondeu Gil. "Ministro ao mesmo tempo que o sr?", quis saber o juiz. "Sim", disse o músico. "Teve conhecimento quando o sr ocupava o ministério do envolvimento do sr José Dirceu em algum esquema de corrupção?", questionou o magistrado. "Não", afirmou Gil.

"Conheceu Antonio Palocci?", perguntou o juiz. "Sim", disse o cantor. "Teve conhecimento durante o exercício do cargo como ministro do sr ministro Antonio Palocci em algum esquema de corrupção?", questionou Moro. "Não", respondeu Gilberto Gil.

O cantor disse a Moro que conheceu João Santana e teve contato com o marqueteiro durante o período em que ocupou o cargo de ministro da Cultura.

O juiz da Lava Jato quis saber se o músico soube, na época, de algum envolvimento de João Santana em algum esquema de corrupção ou de lavagem de dinheiro.

"Não, não tive conhecimento nenhum", afirmou Gil. "O sr tem conhecimento que tanto o sr Antonio Palocci como o sr João Santana são confessos em relação a prática de crimes de corrupção e de lavagem de dinheiro?", perguntou o magistrado. "Tenho ouvido notícias a respeito dessa possibilidade", disse Gilberto Gil. "Mas na época o sr não tinha conhecimento", afirmou o juiz. "Não", respondeu o cantor.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;