Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Qualquer um fazendo negócios com o Irã não terá negócios com EUA, diz Trump

CAROLYN KASTER/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Presidente dos EUA disse ainda que sanções contra Teerã devem ser endurecidas em novembro



07/08/2018 | 06:49


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ressaltou na manhã de hoje que pretende fazer valer as sanções que entram em vigor contra o Irã. Segundo ele, nenhum país que estiver mantendo negócios com o país persa poderá fazer o mesmo com os americanos. Além disso, Trump disse que as sanções contra Teerã devem ser endurecidas em novembro.

"As sanções contra o Irã foram oficialmente lançadas. Elas são as mais duras sanções já impostas e em novembro serão levadas a outro nível", afirmou Trump em mensagem no Twitter. "Qualquer um que manter negócios com o Irã NÃO fará negócios com os Estados Unidos. Eu estou pedindo a PAZ MUNDIAL, nada menos!", escreveu.

O governo americano já havia anunciado ontem a entrada em vigor das sanções. Trump retirou os EUA de um acordo internacional que regula o programa nuclear iraniano, em troca da retirada de sanções econômicas ao país. Para o presidente americano, o acordo ainda em vigor não garante que o regime de Teerã seja impedido de buscar armas nucleares. O Irã, por sua vez, critica a postura de Washington e afirma que tem cumprido sua parte no acordo e não busca armas nucleares.

A União Europeia e outras partes envolvidas, como a Rússia, continuam a fazer parte do pacto, mas há o temor de que empresas de vários países, inclusive da Europa, evitem negócios com o Irã, diante do temor de perder contratos nos EUA. Ontem, o bloco europeu anunciou uma norma voltada a "mitigar o impacto sobre os interesses de companhias da UE que fazem negócios legítimos com o Irã". A norma europeia veta o cumprimento das sanções americanas dentro da UE, a menos que a Comissão Europeia autorize expressamente esse cumprimento.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Qualquer um fazendo negócios com o Irã não terá negócios com EUA, diz Trump

Presidente dos EUA disse ainda que sanções contra Teerã devem ser endurecidas em novembro


07/08/2018 | 06:49


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ressaltou na manhã de hoje que pretende fazer valer as sanções que entram em vigor contra o Irã. Segundo ele, nenhum país que estiver mantendo negócios com o país persa poderá fazer o mesmo com os americanos. Além disso, Trump disse que as sanções contra Teerã devem ser endurecidas em novembro.

"As sanções contra o Irã foram oficialmente lançadas. Elas são as mais duras sanções já impostas e em novembro serão levadas a outro nível", afirmou Trump em mensagem no Twitter. "Qualquer um que manter negócios com o Irã NÃO fará negócios com os Estados Unidos. Eu estou pedindo a PAZ MUNDIAL, nada menos!", escreveu.

O governo americano já havia anunciado ontem a entrada em vigor das sanções. Trump retirou os EUA de um acordo internacional que regula o programa nuclear iraniano, em troca da retirada de sanções econômicas ao país. Para o presidente americano, o acordo ainda em vigor não garante que o regime de Teerã seja impedido de buscar armas nucleares. O Irã, por sua vez, critica a postura de Washington e afirma que tem cumprido sua parte no acordo e não busca armas nucleares.

A União Europeia e outras partes envolvidas, como a Rússia, continuam a fazer parte do pacto, mas há o temor de que empresas de vários países, inclusive da Europa, evitem negócios com o Irã, diante do temor de perder contratos nos EUA. Ontem, o bloco europeu anunciou uma norma voltada a "mitigar o impacto sobre os interesses de companhias da UE que fazem negócios legítimos com o Irã". A norma europeia veta o cumprimento das sanções americanas dentro da UE, a menos que a Comissão Europeia autorize expressamente esse cumprimento.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;