Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Quem criou o sorvete?

Raios de Luz - Gláucia Góes/ Creative Commons Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Tauana Marin
Diário do Grande ABC

29/07/2018 | 07:00


Diferentemente do que muitas pessoas possam pensar, o sorvete foi criado na China. Historiadores estimam que isso tenha ocorrido há cerca de 4.000 anos. Na época, acidentalmente, um doce feito de arroz e leite acabou congelando na neve. O inesperado produto agradou os nobres da época, sendo que eles eram os únicos a ter acesso a leites e itens feitos a partir dele.

O doce gelado chegou na Itália por meio do explorador Marco Polo. Em 1271, o italiano viajou a terras chinesas e decidiu replicar a receita em seu país natal, agradando a todos e tendo sua receita aperfeiçoada com o passar dos anos.

No Brasil, a história do sorvete é bem mais ‘recente’. Ele chegou por aqui em 1834, quando navio norte-americano aportou na cidade do Rio de Janeiro com cerca de 250 toneladas de gelo em blocos. Na ocasião, dois comerciantes compraram o carregamento e passaram a misturá-lo com frutas, vendendo o produto em determinados horários. Detalhe que o consumo deveria ser imediato, caso contrário, o produto derretia.

Por conta do Brasil ser um país tropical de clima quente, a chegada da tecnologia de refrigeração (usada em geladeiras) durante o século 20 foi essencial para que o item ganhasse força. Diante desse invento, as pessoas ampliaram seu contato com o sorvete, agora tendo capacidade de armazená-lo e comerciá-lo, o que contribuiu para sua popularização.

Grande parte do sucesso de sua venda ocorre por conta do gosto diferenciado. Quando se junta algo que é doce e refresque ao mesmo tempo, além de contar com sabor de frutas brasileiras, por exemplo, chegasse ao desenvolvimento de sabor que agrada muitos paladares, por isso, o sucesso. Vale lembrar que o sorvete não é somente uma sobremesa, mas alimento que pode ser consumido em qualquer época do ano – mesmo na época fria do inverno.

A base para a produção do sorvete, seja ele picolé ou de ‘massa’, é formada por água potável, leite integral, açúcar, gordura e espessantes, conhecidos também como ‘calda base’. Frutas ajudam a dar cor e sabor à popular mistura.

O Dia Nacional do Sorvete é celebrado em 23 de setembro;

Nos Estados Unidos, o sundae recebeu este nome porque era servido sempre aos domingos (sunday, em inglês).

Pergunta de Evelyn Guimarães Gonçalves, 10 anos, de São Caetano.

Consultoria de Lupercio Moraes, CEO da Sorvetes Rochinha. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Quem criou o sorvete?

Tauana Marin
Diário do Grande ABC

29/07/2018 | 07:00


Diferentemente do que muitas pessoas possam pensar, o sorvete foi criado na China. Historiadores estimam que isso tenha ocorrido há cerca de 4.000 anos. Na época, acidentalmente, um doce feito de arroz e leite acabou congelando na neve. O inesperado produto agradou os nobres da época, sendo que eles eram os únicos a ter acesso a leites e itens feitos a partir dele.

O doce gelado chegou na Itália por meio do explorador Marco Polo. Em 1271, o italiano viajou a terras chinesas e decidiu replicar a receita em seu país natal, agradando a todos e tendo sua receita aperfeiçoada com o passar dos anos.

No Brasil, a história do sorvete é bem mais ‘recente’. Ele chegou por aqui em 1834, quando navio norte-americano aportou na cidade do Rio de Janeiro com cerca de 250 toneladas de gelo em blocos. Na ocasião, dois comerciantes compraram o carregamento e passaram a misturá-lo com frutas, vendendo o produto em determinados horários. Detalhe que o consumo deveria ser imediato, caso contrário, o produto derretia.

Por conta do Brasil ser um país tropical de clima quente, a chegada da tecnologia de refrigeração (usada em geladeiras) durante o século 20 foi essencial para que o item ganhasse força. Diante desse invento, as pessoas ampliaram seu contato com o sorvete, agora tendo capacidade de armazená-lo e comerciá-lo, o que contribuiu para sua popularização.

Grande parte do sucesso de sua venda ocorre por conta do gosto diferenciado. Quando se junta algo que é doce e refresque ao mesmo tempo, além de contar com sabor de frutas brasileiras, por exemplo, chegasse ao desenvolvimento de sabor que agrada muitos paladares, por isso, o sucesso. Vale lembrar que o sorvete não é somente uma sobremesa, mas alimento que pode ser consumido em qualquer época do ano – mesmo na época fria do inverno.

A base para a produção do sorvete, seja ele picolé ou de ‘massa’, é formada por água potável, leite integral, açúcar, gordura e espessantes, conhecidos também como ‘calda base’. Frutas ajudam a dar cor e sabor à popular mistura.

O Dia Nacional do Sorvete é celebrado em 23 de setembro;

Nos Estados Unidos, o sundae recebeu este nome porque era servido sempre aos domingos (sunday, em inglês).

Pergunta de Evelyn Guimarães Gonçalves, 10 anos, de São Caetano.

Consultoria de Lupercio Moraes, CEO da Sorvetes Rochinha. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;