Fechar
Publicidade

Domingo, 23 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

'Me senti mais seguro no Líbano do que no Rio', diz Bruno de Luca

Reprodução/Instagram  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


25/07/2018 | 10:19


O programa "Vai Pra Onde", no qual o apresentador Bruno de Luca desbrava o turismo de vários países, estreia uma nova temporada no Multishow nesta quarta-feira, 25, às 18h. Desta vez, seu destino é o Líbano, no Oriente Médio.

Em entrevista, Bruno falou sobre suas experiências no país e contou esperar que o programa combata generalizações e estereótipos que muitos brasileiros têm da região.

"Você vê muito beach camp, gente bebendo na praia, nos bares. Fui no verão, muita gente no calçadão, passeando. Um clima muito parecido com o do Brasil, sem violência. (...) Me senti muito mais seguro lá do que no Rio de Janeiro, por exemplo", contou.

O apresentador passou pouco mais de duas semanas entre maio e junho deste ano conhecendo diversas cidades libanesas. Meses antes, em novembro de 2017, o Líbano passou por um momento complicado politicamente, que levou à renúncia do então premiê Saad Hariri.

Em um passado recente, o país foi cenário de guerras, especialmente nas décadas de 1970 e 1980 e no ano de 2006: "Isso que foi uma coisa que me impressionou muito. Você vê muros com marcas de tiro, mas todos têm um grafite tentando amenizar a época de guerra. Acho que eles vivem uma época bem bacana lá".

"Apesar de ser muito disputado pelos países em volta por ter uma abertura pro mar, é um país muito pacífico. Os (moradores) locais falam que não tem nem roubo. Se alguém vê algo na rua, os próprios cidadãos se unem pra acabar com a sacanagem", conta.

Gravando no Líbano

Bruno revela que as negociações com o governo do Líbano para que o programa pudesse ser rodado no país duraram cerca de seis meses. De acordo com ele, há diversos postos espalhados pelo país em que eram parados pelas autoridades para mostrar passaportes e documentos. "Mas sempre que a gente falava que era do Brasil, era um sorriso, as pessoas já liberavam, às vezes não queriam nem ver a autorização."

"Nessas horas dá muito orgulho de ser brasileiro, porque abre muitas portas, sabe?" Para Bruno, a "pegada" do programa também pode ter ajudado neste ponto: "Não vou ficar falando o papo que a pessoa veria no Globo News, por exemplo".

Brasil e Líbano

"Tem mais libaneses no Brasil do que no próprio Líbano", comenta o apresentador, em referência ao grande número de descendentes do país por aqui. Isso ficava perceptível quando as pessoas tomavam conhecimento de sua nacionalidade.

"Todo mundo falava, eu tenho um parente (no Brasil)! Nos lugares mais loucos, eles sabem falar umas cidades que muitas eu nunca fui. No Sul, interior de São Paulo, no próprio Rio. As pessoas abriam um sorriso, uma receptividade maravilhosa. Parecia que eu falava que era parente de alguém, já vinham me abraçar, muito bacana".

O apresentador também destaca o que considerou ser a principal diferença entre os dois povos: "A gente tá vivendo no Brasil uma fase de muita intolerância com a opinião do outro. Nas redes sociais você vê uma porradaria generalizada das pessoas, que não respeitam uma vírgula do que a outra pensam. Lá achei bem diferente isso."

"As pessoas são muito tolerantes, independente da religião ou posição política. Você não vê uma mesa de bar com discussão fervorosa de política ou religião, muito pelo contrário. Saí com pessoas de véu na mesma mesa com pessoas católicas. ... Vi muito respeito em relação a isso", concluiu.

Bruno destaca sua visita à Gruta de Jeita, que possui a maior estalactite do mundo, como o ponto mais bonito de sua viagem.

Entre os momentos que irão ao ar, estão um passeio na orla da baía de Zaitunay, uma badalada festa na noite de Byblos, e, em Baalbek, uma aula de como fazer esfirras e uma visita ao templo de Júpiter e de Baco.

Comunicação

"Todo mundo fala inglês lá. Eles tem uma facilidade pra língua, fiquei surpreso. Muita gente que eu conhecia falava mais que cinco línguas. São alfabetizados em francês, árabe e inglês", disse Bruno.

Mesmo assim, ele contava com a presença de Nadine, guia que deve aparecer ao longo dos episódios: "Achei tão engraçada, tão leve, que virou personagem em várias pautas."

''Vai Pra Onde?''

No ar desde 2007, Bruno já passou por diversos países e continentes à frente da atração - incluindo uma viagem à Cuba onde conheceu o filho de Che Guevara. Apesar de ainda não ter definido seu próximo destino, Canadá, Lituânia e Japão estão entre as possibilidades.

"No início do programa eu tinha alguns lugares que queria muito conhecer - Agora, já conheci todos os que tinha vontade. Pra mim, sempre a surpresa que vem do canal eu fico feliz".

Enquanto isso, Bruno segue tocando outros de seus projetos, como uma série documental sobre a vida do ex-jogador Ronaldo Fenômeno e seu canal no YouTube.

O Vai Pra Onde? vai ao ar às quartas-feiras, às 18h, a partir deste dia 25, no canal Multishow.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;