Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 26 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Suspenso edital de concessão das linhas de ônibus da Vila Luzita

Claudinei Plaza/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Santo André segue orientação do MP para ampliar medidas contra emissão de poluentes


Aline Melo

24/07/2018 | 07:00


O MP (Ministério Público) recomendou que a SATrans, autarquia responsável pelo transporte municipal de Santo André, realize adequações no edital de subconcessão do sistema de transporte da Vila Luzita com o objetivo de ampliar as medidas de responsabilidade ambiental. Segundo a Prefeitura, com as mudanças, haverá novas exigências no sentido de garantir menor emissão de poluentes dos ônibus que vão atender aquela região.

A abertura das propostas estava prevista para ocorrer na quinta-feira. A concessão prevê a operação do terminal e do sistema de linhas municipais que atende a região pelos próximos 20 anos, prorrogáveis por mais cinco. Em nota, a administração informou que a licitação ficará suspensa enquanto o edital estiver em processo de aprimoramento. “Em até 30 dias, a SATrans vai apresentar as propostas de mudanças para o MP, órgão que recomendou as adequações no edital e também a suspensão do processo licitatório.”

O Paço destacou que suspendeu a licitação para atendimento de uma recomendação do MP que busca reduzir as emissões de gases de efeito estufa no sistema de transporte municipal. “Apesar de o edital atender essa premissa, o MP entendeu ser necessário realizar algumas adequações na adoção progressiva de tecnologias de emissão zero ao longo do contrato. Vamos adequar os estudos e o edital para efetiva garantia do meio ambiente e Saúde pública”, afirmou o secretário de Mobilidade Urbana, Edilson Factori. As mudanças solicitadas não foram detalhadas.

O certame, publicado em 11 de junho, tem o objetivo de definir a empresa que vai operar as 16 linhas de ônibus do chamado Lote B do transporte municipal andreense. Uma nova linha também será criada para atender a região do Recreio da Borda do Campo. A previsão de assinatura de contrato, após término do processo licitatório, era de seis meses.

A Expresso Guarará, empresa que operava o trecho, entrou em falência e paralisou as atividades em outubro de 2016. Desde então, é a empresa Suzantur que opera o terminal e as linhas, que recebem cerca de 50 mil passageiros ao dia. O contrato com a Suzantur foi feito de forma emergencial em 2016, no fim da gestão do ex-prefeito Carlos Grana (PT), e atualmente funciona em caráter precário, ou seja, sem concorrência para escolha da empresa.

Segundo o edital, a empresa ou consórcio vencedor da licitação ficará responsável por manter o terminal, modernizar a frota de ônibus com a instalação de wi-fi, pontos de carregamento de celular e painéis digitais. O sistema de transporte público da Vila Luzita tem colecionado polêmicas.

A principal delas envolve ações judiciais que investigaram a suspeita de fraude no processo que culminou na escolha da empresa Suzantur para operar o sistema via contrato emergencial em 2016. A empresa também foi alvo de investigação semelhante em Mauá. Em São Carlos, no Interior do Estado, onde a empresa também opera o sistema, a Prefeitura chegou a assumir o transporte público após o serviço entrar em “estado de calamidade”.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Suspenso edital de concessão das linhas de ônibus da Vila Luzita

Santo André segue orientação do MP para ampliar medidas contra emissão de poluentes

Aline Melo

24/07/2018 | 07:00


O MP (Ministério Público) recomendou que a SATrans, autarquia responsável pelo transporte municipal de Santo André, realize adequações no edital de subconcessão do sistema de transporte da Vila Luzita com o objetivo de ampliar as medidas de responsabilidade ambiental. Segundo a Prefeitura, com as mudanças, haverá novas exigências no sentido de garantir menor emissão de poluentes dos ônibus que vão atender aquela região.

A abertura das propostas estava prevista para ocorrer na quinta-feira. A concessão prevê a operação do terminal e do sistema de linhas municipais que atende a região pelos próximos 20 anos, prorrogáveis por mais cinco. Em nota, a administração informou que a licitação ficará suspensa enquanto o edital estiver em processo de aprimoramento. “Em até 30 dias, a SATrans vai apresentar as propostas de mudanças para o MP, órgão que recomendou as adequações no edital e também a suspensão do processo licitatório.”

O Paço destacou que suspendeu a licitação para atendimento de uma recomendação do MP que busca reduzir as emissões de gases de efeito estufa no sistema de transporte municipal. “Apesar de o edital atender essa premissa, o MP entendeu ser necessário realizar algumas adequações na adoção progressiva de tecnologias de emissão zero ao longo do contrato. Vamos adequar os estudos e o edital para efetiva garantia do meio ambiente e Saúde pública”, afirmou o secretário de Mobilidade Urbana, Edilson Factori. As mudanças solicitadas não foram detalhadas.

O certame, publicado em 11 de junho, tem o objetivo de definir a empresa que vai operar as 16 linhas de ônibus do chamado Lote B do transporte municipal andreense. Uma nova linha também será criada para atender a região do Recreio da Borda do Campo. A previsão de assinatura de contrato, após término do processo licitatório, era de seis meses.

A Expresso Guarará, empresa que operava o trecho, entrou em falência e paralisou as atividades em outubro de 2016. Desde então, é a empresa Suzantur que opera o terminal e as linhas, que recebem cerca de 50 mil passageiros ao dia. O contrato com a Suzantur foi feito de forma emergencial em 2016, no fim da gestão do ex-prefeito Carlos Grana (PT), e atualmente funciona em caráter precário, ou seja, sem concorrência para escolha da empresa.

Segundo o edital, a empresa ou consórcio vencedor da licitação ficará responsável por manter o terminal, modernizar a frota de ônibus com a instalação de wi-fi, pontos de carregamento de celular e painéis digitais. O sistema de transporte público da Vila Luzita tem colecionado polêmicas.

A principal delas envolve ações judiciais que investigaram a suspeita de fraude no processo que culminou na escolha da empresa Suzantur para operar o sistema via contrato emergencial em 2016. A empresa também foi alvo de investigação semelhante em Mauá. Em São Carlos, no Interior do Estado, onde a empresa também opera o sistema, a Prefeitura chegou a assumir o transporte público após o serviço entrar em “estado de calamidade”.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;