Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 15 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Após trocar de proprietário, Milan elege novo presidente e membros de diretoria



21/07/2018 | 18:56


O Milan nomeou neste sábado o italiano Paolo Scaroni como o seu novo presidente e também elegeu uma nova diretoria para o clube, que na semana passada havia mudado o seu proprietário. O time foi comprado, no início da temporada 2017/2018, pelo empresário chinês Yonghong Li, que perdeu o controle do Milan para um fundo de investimentos dos Estados Unidos, o Elliot Sports Management, por não conseguir honrar os débitos que fez com o grupo norte-americano para assumir a administração do clube.

Em um encontro com os acionistas do Milan neste sábado, Scaroni foi nomeado presidente e Marco Patuano, Franck Tuil, Giorgio Furlani, Stefano Cocirio, Salvatore Cerchione, Alfredo Craca e Gianluca D'Avanzo foram confirmados como membros da nova diretoria.

Ao oficializar estes nomes em comunicado divulgado em seu site, o Milan disse que esta nova administração sinaliza "o início de uma nova era do clube" e confirmou que Marco Fassone deixou de ser o seu CEO em decisão com efeito imediato, assim como informou que o novo dono deste posto de diretor executivo será definido posteriormente.

Com administrações fracassadas há anos, o Milan deixou de ser um dos protagonistas do futebol europeu e agora a nova diretoria destacou que "se reunirá em breve para analisar um novo plano de negócios para o clube", mirando principalmente o sonho de dar condições ao time de voltar a conquistar a Liga dos Campeões da Europa.

Com sete troféus da principal competição de clubes do Velho Continente, o Milan só fica atrás do Real Madrid, que tem 13 taças, no ranking dos maiores vencedores deste cobiçado torneio. Porém, não o conquista desde a temporada 2006/2007.

"A diretoria também analisará um novo orçamento para o clube. O objetivo disso será fortalecer a competitividade da equipe, em conformidade com os regulamentos do Fair Play Financeiro da Uefa", ressaltou o Milan, que na última sexta-feira conseguiu reverter, com os seus advogados na Suíça, na Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) uma punição aplicada pela Uefa que excluía o time de competições europeias nas duas próximas temporadas.

O clube foi punido por violar o Fair Play Financeiro da entidade ao contratar um time inteiro de reforços e gastar mais do que havia arrecadado. Mas, ao conseguir anular a sanção na CAS, a equipe está liberada para atuar na edição 2018/2019 da Liga Europa, para a qual se classificou ao terminar o último Campeonato Italiano em sexto lugar.

"Como ficou claro na decisão de ontem da Corte Arbitral do Esporte de anular a proibição de jogar a Liga Europa, o painel (de juízes do tribunal) notou que a atual situação financeira do clube era agora melhor, após a recente mudança de proprietário do clube", destacou o Milan, lembrando em seguida que os novos investidores do clube já anunciaram a intenção de investir pelo menos 50 milhões de euros (cerca de R$ 223 milhões) no time imediatamente e ainda mais dinheiro no longo prazo.

"Este é um momento crítico da história do clube, e estamos todos gratos por ter um novo proprietário comprometido a fazer o Milan voltar ao seus tempos de glória", ressaltou Paolo Scaroni, por meio do mesmo comunicado no qual foi confirmado como novo presidente do clube de Milão.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;