Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Petistas se estranham na Câmara de Sto.André


Leandro Laranjeira
Do Diário do Grande ABC

26/04/2007 | 07:03


O clima na bancada governista na Câmara de Santo André, definitivamente, não é bom. Desde a conturbada eleição da Mesa Diretora, no final do ano passado, que deixou rusgas ainda não superadas entre os aliados, a relação é complicada. Como se não bastasse, o clima pré-eleitoral já instalado nos bastidores contribui negativamente para o entendimento e a boa convivência.

O reflexo da disputa interna pela qual passa o PT ficou ainda mais evidenciada na última terça-feira. Na ocasião, os vereadores petistas Jurandir Gallo e Heleni de Paiva foram os pivôs de um princípio de desentendimento que por pouco não atrapalhou a reunião dos parlamentares com a secretária de Obras e Serviços Públicos, Miriam Mós Blois.

Em determinado momento do encontro, cujo assunto era a Zona Azul na cidade, Gallo criticou a postura da Comissão de Justiça da Casa, que arquivara projeto de sua autoria, em conjunto com Donizeti Pereira (PV), aumentando o tempo de tolerância para o munícipe não pagar pelo uso da vaga do estacionamento. Ele reclamou que a comissão engavetou o projeto após receber o parecer contrário da assistência técnica da Casa sem notificá-lo. “Quero ser vereador, mas os vereadores não deixam”, reclamou, emendando que gostaria de ter tido tempo para contra-argumentar e salvar a matéria.

Ofendida, Heleni, uma das integrantes da Comissão, retrucou. Respondeu que o vereador ou mesmo a assessoria dele não acompanhavam os trâmites dos projetos. “Nunca houve qualquer impedimento de um vereador questionar pareceres. Mas, para isso, é necessário acompanhar os prazos.”

Ao término da reunião, ambos deram a sua versão dos fatos. Gallo chegou a dizer que o discurso de que o vereador não acompanha os trâmites é uma “resposta de praxe”. “Já vi acontecer muito disso quando há jogo político para prejudicar determinado vereador. É uma estratégia usada por quem tem o poder contra a oposição. Mas isso está virando prática. É contra qualquer um. Na minha avaliação é ditadura”, justificou.

Já Heleni classificou de “indelicada” a atitude de Gallo. Na opinião dela, o petista deveria ter conversado internamente com os membros da Comissão caso avaliasse que foi prejudicado. “Se tivesse a preocupação de verificar o andamento do projeto poderia intervir. Quando a assessoria técnica da Casa emite parecer, o vereador pode se manifestar e tentar convencer os membros da comissão a não acatar a orientação contrária dos técnicos.”

A fim de acalmar os ânimos, o presidente da Comissão, José de Araújo (PMDB), admitiu o erro. “O vereador (Gallo) tem razão em reclamar que não foi avisado do arquivamento. Vamos procurar corrigir a falha para evitar que isso volte a acontecer.”



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;