Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

'Eu entrei em desespero, só chorava', diz Valesca Popozuda sobre assédio

Reprodução/Instagram  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


06/07/2018 | 10:36


Em entrevista para o programa Sensacional, da RedeTV!, a cantora Valesca Popozuda revelou que já teve que lidar com assédio sexual quando ainda fazia parte do grupo de funk Gaiola das Popozudas. Antes de uma apresentação, ela foi assediada pela pessoa que contratou o grupo.

"Fazia cinco shows na noite. Estava me arrumando, sozinha ali, o contratante entrou e veio de graça, falando besteira, achando que eu estava ali ao deus-dará. Quando chegou perto de mim, peguei o babyliss e encostei no pênis dele. Imagine o que deve doer?", disse Valesca. "Ele começou a me xingar de piranha, de tudo que você pode imaginar. Eu entrei em desespero, só chorava. Entraram perguntando o que aconteceu, inventei que estava com dor", continuou a cantora.

"Se eu, dançarina de funk que nem conheciam direito na época, falasse: ''''ah, ele estava aqui me assediando, querendo isso e aquilo'''', iam falar: ''''pô, ele está certo. Ela é quem deve estar dando mole mesmo'''', porque o povo sempre fala isso, que a mulher está dando mole, que não presta, que a mulher que foi para cima. Não vejo problema da mulher querer, ir para cima, mas, se ela não quer, não é não, tem que respeitar", desabafou.

Valesca também falou que em um momento de desespero pensou em fazer aborto quando engravidou de um namorado aos 21 anos, mas que mudou de ideia após pensar sobre o assunto. "Eu nunca escondi que quando estava grávida eu pedi sim para o pai dele, queria tirar na época. Naquele momento só vinha na minha cabeça: ''''passar por tudo que minha mãe passou...'''' Depois a minha cabeça foi esfriando, fui pensando e falei: ''''não, não vou fazer isso''''", explicou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Eu entrei em desespero, só chorava', diz Valesca Popozuda sobre assédio


06/07/2018 | 10:36


Em entrevista para o programa Sensacional, da RedeTV!, a cantora Valesca Popozuda revelou que já teve que lidar com assédio sexual quando ainda fazia parte do grupo de funk Gaiola das Popozudas. Antes de uma apresentação, ela foi assediada pela pessoa que contratou o grupo.

"Fazia cinco shows na noite. Estava me arrumando, sozinha ali, o contratante entrou e veio de graça, falando besteira, achando que eu estava ali ao deus-dará. Quando chegou perto de mim, peguei o babyliss e encostei no pênis dele. Imagine o que deve doer?", disse Valesca. "Ele começou a me xingar de piranha, de tudo que você pode imaginar. Eu entrei em desespero, só chorava. Entraram perguntando o que aconteceu, inventei que estava com dor", continuou a cantora.

"Se eu, dançarina de funk que nem conheciam direito na época, falasse: ''''ah, ele estava aqui me assediando, querendo isso e aquilo'''', iam falar: ''''pô, ele está certo. Ela é quem deve estar dando mole mesmo'''', porque o povo sempre fala isso, que a mulher está dando mole, que não presta, que a mulher que foi para cima. Não vejo problema da mulher querer, ir para cima, mas, se ela não quer, não é não, tem que respeitar", desabafou.

Valesca também falou que em um momento de desespero pensou em fazer aborto quando engravidou de um namorado aos 21 anos, mas que mudou de ideia após pensar sobre o assunto. "Eu nunca escondi que quando estava grávida eu pedi sim para o pai dele, queria tirar na época. Naquele momento só vinha na minha cabeça: ''''passar por tudo que minha mãe passou...'''' Depois a minha cabeça foi esfriando, fui pensando e falei: ''''não, não vou fazer isso''''", explicou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;