Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Uma feira internacional. Criada por este acadêmico


Ademir Medici

06/07/2018 | 07:00


 Acadêmicos de São Caetano: hoje é dia de cumprimentar Luiz Eduardo da Cruz Carvalho pelo seu aniversário. Zazo, ou Edu, nasceu em São Paulo, no Hospital Santa Cruz, da Vila Mariana; morou no bairro da Saúde; e veio menino para São Caetano, pois sua mãe, dona Lucy, lecionava no Grupo Escolar Senador Flaquer, do bairro Fundação.

Edu Carvalho foi o criador da Reatech (Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade), considerada a principal feira do setor na América Latina, hoje organizada e promovida pela Cipa Fiera Milano, grupo italiano.

“Durante 16 anos promovemos a Reatech no Pavilhão Imigrantes, no Jabaquara, quando a feira chegou a ser considerada a segunda do mundo”, informa Eduardo Carvalho, relembrando outros dois pioneiros, os seus amigos Rodrigo Rosso e José Roberto Seviere.

 

FUNDAÇÃO SELMA

A dedicação de Edu Carvalho nessa área foi muito grande. Durante vários anos ele exerceu as funções de superintendente da Fundação Selma, uma instituição sem fins lucrativos que atende pacientes com defeitos físicos realizando tratamentos específicos.

Eduardo Carvalho também presidiu a Animaseg (Associação Nacional da Indústria de Material de Segurança e Proteção ao Trabalho).

E todas essas atividades, num campo profissional e humano tão importante, deveram-se, reconhece o aniversariante do dia, à base nos estudos iniciados em São Caetano e aos momentos saudosos vividos com a turma do Centro Acadêmico local.

 

CENTRO ACADÊMICO

O Centro Acadêmico de São Caetano é definido por Eduardo Carvalho como algo maravilhoso: “Não fui um frequentador de todas as reuniões, nem o sou hoje, nos encontros dos amigos. Mas sempre que posso estou presente, trocando ideias, tomando conhecimento das notícias, matando saudades”.

 

SÃO CAETANO

À exceção de um período vivido em Rudge Ramos, Eduardo Carvalho sempre morou em São Caetano, daqui saindo para trabalhar fora, em São Paulo: “A cidade era muito especial. Conhecia-se a todos. A vida social era intensa. Clubes de serviços e outras entidades realizavam eventos pontuais. Havia um calendário de festas como o Baile da Pipoca”.

E acrescenta: “A cidade cresceu. Houve uma dispersão. Conhecíamos cada pessoa de cada rua. Hoje, morando em apartamento, muitas vezes não conhecemos nossos vizinhos”.

Para Eduardo, a informática causa exageros: “Outro dia fui almoçar sozinho num restaurante. E numa mesa próxima, quatro pessoas falavam ao celular, quando antigamente nós nos sentávamos para bater papo, sem telefone para atrapalhar”.

Mais uma razão para louvar os encontros dos acadêmicos, um ponto de resistência ao que não é bom da modernidade.

 

Luiz Eduardo da Cruz Carvalho

Nascimento: São Paulo, 6 de julho de 1944

Filiação:Henrique Noronha Carvalho e Lucy Gomes Vieira da Cruz Carvalho, professores de carreira.

São Caetano: a chegada em 1952.

Histórico escolar: estudou em São Caetano no Senador Flaquer e no Coronel Bonifácio de Carvalho. Fez o curso Clássico (Colegial) no Américo Brasiliense, em Santo André. Trancou matrícula no curso de Administração da Esan, em São Bernardo.

Atividades profissionais: começou no ramo de vendas, tornando-se gerente e diretor e abrindo sua própria empresa, com fabricação e vendas de equipamentos de segurança

Mulher: Aparecida Isabel.

Filha: Gabriela Ganan Emus.

Neto: Tom Filho, 3 anos.

 

ENGENHARIA E BALÉ...

A filha Gabriela viveu 15 anos na Alemanha. Casou-se com um alemão, Tom Emus, hoje engenheiro em indústria de São Bernardo. Professora de balé, ela se tornou a primeira bailaria do Ballet Dusseldorf. Hoje ensina alemão e balé em São Paulo.

 

ONTEM E HOJE. Eduardo Carvalho em 1961 e hoje: o primogênito dos professores Henrique e Lucy vive o auge do Centro Acadêmico de São Caetano e realiza um trabalho social exemplar

 

Municípios Brasileiros

Celebram aniversários em 6 de julho:

No Mato Grosso, Apiacás

No Ceará, Crateús

Na Bahia, Curaçá, Macaúbas e Saúde

No Pará, Mocajuba

Em Goiás, Palmeiras de Goiás

No Rio Grande do Sul, Piratini

Em Rondônia, São Miguel do Guaporé

Em Minas Grais, Senhora de Oliveira

No Rio de Janeiro, Teresópolis

Fonte: IBGE

 

Diário há 30 anos

Quarta-feira, 6 de julho de 1988 – ano 31, edição 6797

Manchete – Ministro da Fazenda Mailson da Nóbrega diz que País investe para a próxima década

Grande ABC – Cetesb declara três cidades sob a atenção por causa da poluição: São Bernardo, São Caetano e Diadema.

São Bernardo – Novos desmatamentos: junto à Vila Areião e na ocupação do Jardim Sabatini, loteamento irregular ao lado da Vila Limpão.

Data – Lar Menino Jesus completa 32 anos, uma obra de dom Jorge Marcos de Oliveira, o primeiro bispo do Grande ABC.

Polícia – Assaltantes espancam vigia até a morte na Vila São José, em Diadema.

 

Santos do Dia

Maria Goretti (Itália, Corinaldo, 1890 – Nettuno, 1902). Protetora da juventude e do perdão. Canonizada em 1902.

A paróquia de Utinga, em Santo André, é a ela dedicada – uma das primeiras paróquias em seu louvor no mundo.

 

Em 6 de julho de...

1918 – Alunos da Escola Normal de São Paulo iniciam prova de pedestrianismo entre São Paulo e Santos, com partida da Praça da Sé, chamada Largo da Sé. Pelo caminho, a Estrada do Vergueiro, cortando São Bernardo.

O pianista Arthur Rubinstein, polonês naturalizado norte-americano, realiza temporada no Theatro Municipal de São Paulo.

A guerra. Do noticiário do Estadão: a luta na Itália; grande atividade no baixo Piave.

1958 – Manchete do News Seller, que dava os primeiros passos como semanário de Santo André: Salve o Brasil, campeão mundial invicto de futebol. Uma charge assinada por Gilberto ilustra a matéria.

Do Editorial: “O brasileiro, tão desunido quando se trata de reivindicar melhores condições de vida, fundiu-se numa composição de todas as categorias sociais, de todos os elementos heterogêneos, de todas as ideologias, igualando rico e pobre, sábio e ignorante, misturando branco e preto, amarelo e vermelho, como nunca se viu na história do Brasil”.

1973 – O prefeito Geraldo Faria Rodrigues promulga a lei 2.052, que reestrutura a administração municipal e cria duas sociedades de economia mista, Prosbc (desenvolvimento) e Protur (turismo).

1978 – Nossa Vida em Família estreia em São Caetano, no Auditório Santos Dumont, peça de Oduvaldo Vianna Filho e primeira montagem do Grupo Teatro Experimental.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;