Fechar
Publicidade

Sábado, 15 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Jogo duro: o que mudou de uma Copa para outra

Marina Brandão/DAGBC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Preferência dos brasileiros mudou entre 2014 e 2018; metade da seleção dos carros foi substituída


Dérek Bittencourt

06/07/2018 | 07:58


A Copa do Mundo da Rússia chega hoje à sua fase de quartas de final. E o Brasil tem pela frente a Bélgica, a três passos do hexacampeonato, para apagar de vez a má impressão deixada no Mundial disputado em casa, há quatro anos, quando sofreu o vexatório revés por 7 a 1 para a Alemanha, na semifinal. De lá para cá, muita coisa mudou na Seleção, mas algumas peças seguem as mesmas. E o que isso tem a ver com automóveis? Traçando um paralelo entre os 11 carros mais vendidos nos seis primeiros meses do ano daquela Copa e os do primeiro semestre de 2018, cinco seguem como titulares, três foram para o banco de reservas, dois penduraram as chuteiras e um velho conhecido atualmente já não goza do mesmo prestígio de outros tempos.

Em 2014, o campeão de vendas era o Volkswagen Gol, atualmente o quinto mais comercializado do País – o queridinho da torcida vendeu 32.512 unidades nos primeiros seis meses deste ano. A Fiat Strada também segue entre as preferências nacionais. Há quatro anos, estava na terceira posição do ranking e, hoje, está na sexta (32.505 vendas neste primeiro semestre).

Duas opções que ganharam muito prestígio no período foram o Chevrolet Prisma e o Hyundai HB20. O modelo da montadora norte-americana era o 11º da lista e atualmente aparece em sétimo (foram comercializadas 32.015 unidades em 2018 até aqui). Já o carro da empresa sul-coreana está ainda mais bem cotado. Se em 2014 aparecia na sétima colocação, atualmente assumiu a vice-liderança (50.419 vendas).

Quem poderia ser apontado como o craque, camisa 10 e artilheiro desta seleção é o Chevrolet Onix. Carro mais vendido do País nos últimos três anos, segue no topo (vendeu 89.620 unidades). Naquela oportunidade, em 2014, ainda era um jovem promissor, mas já aparecia como o quarto mais comercializado no Brasil.

Os três que deixaram o time titular e estão em outro patamar são o Renault Sandero, que era o décimo entre os queridinhos e está em 13º (25.093); o Volkswagen Fox, que passou da nona para a modesta 21ª posição (18.688); e o Ford Fiesta, que era o quinto mais bem colocado e, hoje, é só o 40º (8.977).

O Fiat Palio era titular absoluto ao aparecer em segundo no ranking. Hoje, por outro lado, só guarda as memórias do passado, afinal, já está aposentado, a exemplo do irmão italiano Fiat Siena, oitavo mais vendido em 2014 e que hoje vê apenas sua versão Grand seguir desfilando pelos campos – 41º (8.545 comercializações) neste primeiro semestre do ano.

Quem vivia bons momentos na época da Copa do Mundo no Brasil e hoje está fora dos holofotes é o Fiat Uno. Sexto na lista de preferidos do público em 2014, no ranking atual sequer aparece entre os 50 mais vendidos. Além disso, segundo levantamento da KBB Brasil, foi o carro que – dentre estes 11 – mais desvalorizou de 2014 para cá: 64,6%.

Em termos de desvalorização o Gol também é quem figura com destaque, com apenas 16,6%, seguido por HB20 (22,2%), Siena (28,7%), Strada (35,7%), Onix (35,7%), Palio (41,5%), Prisma (41,6%) e Fiesta (58,8%) – os modelos Fox e Sandero não aparecem na pesquisa da KBB Brasil. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Jogo duro: o que mudou de uma Copa para outra

Preferência dos brasileiros mudou entre 2014 e 2018; metade da seleção dos carros foi substituída

Dérek Bittencourt

06/07/2018 | 07:58


A Copa do Mundo da Rússia chega hoje à sua fase de quartas de final. E o Brasil tem pela frente a Bélgica, a três passos do hexacampeonato, para apagar de vez a má impressão deixada no Mundial disputado em casa, há quatro anos, quando sofreu o vexatório revés por 7 a 1 para a Alemanha, na semifinal. De lá para cá, muita coisa mudou na Seleção, mas algumas peças seguem as mesmas. E o que isso tem a ver com automóveis? Traçando um paralelo entre os 11 carros mais vendidos nos seis primeiros meses do ano daquela Copa e os do primeiro semestre de 2018, cinco seguem como titulares, três foram para o banco de reservas, dois penduraram as chuteiras e um velho conhecido atualmente já não goza do mesmo prestígio de outros tempos.

Em 2014, o campeão de vendas era o Volkswagen Gol, atualmente o quinto mais comercializado do País – o queridinho da torcida vendeu 32.512 unidades nos primeiros seis meses deste ano. A Fiat Strada também segue entre as preferências nacionais. Há quatro anos, estava na terceira posição do ranking e, hoje, está na sexta (32.505 vendas neste primeiro semestre).

Duas opções que ganharam muito prestígio no período foram o Chevrolet Prisma e o Hyundai HB20. O modelo da montadora norte-americana era o 11º da lista e atualmente aparece em sétimo (foram comercializadas 32.015 unidades em 2018 até aqui). Já o carro da empresa sul-coreana está ainda mais bem cotado. Se em 2014 aparecia na sétima colocação, atualmente assumiu a vice-liderança (50.419 vendas).

Quem poderia ser apontado como o craque, camisa 10 e artilheiro desta seleção é o Chevrolet Onix. Carro mais vendido do País nos últimos três anos, segue no topo (vendeu 89.620 unidades). Naquela oportunidade, em 2014, ainda era um jovem promissor, mas já aparecia como o quarto mais comercializado no Brasil.

Os três que deixaram o time titular e estão em outro patamar são o Renault Sandero, que era o décimo entre os queridinhos e está em 13º (25.093); o Volkswagen Fox, que passou da nona para a modesta 21ª posição (18.688); e o Ford Fiesta, que era o quinto mais bem colocado e, hoje, é só o 40º (8.977).

O Fiat Palio era titular absoluto ao aparecer em segundo no ranking. Hoje, por outro lado, só guarda as memórias do passado, afinal, já está aposentado, a exemplo do irmão italiano Fiat Siena, oitavo mais vendido em 2014 e que hoje vê apenas sua versão Grand seguir desfilando pelos campos – 41º (8.545 comercializações) neste primeiro semestre do ano.

Quem vivia bons momentos na época da Copa do Mundo no Brasil e hoje está fora dos holofotes é o Fiat Uno. Sexto na lista de preferidos do público em 2014, no ranking atual sequer aparece entre os 50 mais vendidos. Além disso, segundo levantamento da KBB Brasil, foi o carro que – dentre estes 11 – mais desvalorizou de 2014 para cá: 64,6%.

Em termos de desvalorização o Gol também é quem figura com destaque, com apenas 16,6%, seguido por HB20 (22,2%), Siena (28,7%), Strada (35,7%), Onix (35,7%), Palio (41,5%), Prisma (41,6%) e Fiesta (58,8%) – os modelos Fox e Sandero não aparecem na pesquisa da KBB Brasil. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;